Serviço social, Projeto Ético-Político profissional e o debate da consciência

Palavras-chave: Serviço Social. Projeto Ético-Político. Organização Política. Debate da Consciência.

Resumo

Este trabalho apresenta elementos que particularizam os fundamentos do Serviço Social no Brasil, em seu movimento histórico e teórico. Trata da aquisição de seu estatuto profissional no marco da era dos monopólios. Recupera o processo de constituição da direção social da profissão, sobremaneira a partir da década de 1990, após interlocução com a teoria marxista, destacando sua organização política. É neste período também que a profissão adquire maturidade intelectual, teórica e ético-política e avança em termos de construção de seu projeto profissional. A partir destes elementos, estabelecemos a interlocução com o debate da consciência com base nos postulados de Marx e Engels. Findamos as reflexões compreendo a importância deste debate para o Serviço Social e a necessidade de avançar nesta interlocução.  

Biografia do Autor

Tales Willyan Fornazier Moreira, Universidade Federal de Goiás (UFG)

Assistente Social. Professor Substituto da Universidade Federal de Goiás (UFG), Regional Goiás. Discente de Pós-Graduação do PEPGSSO da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Pesquisador do Grupo de Estudo e Pesquisa em Fundamentos, Formação e Exercício Profissional em Serviço Social (GEFEPSS) da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM).

Referências

ABRAMIDES, M. B. C. O Projeto Ético-Político Profissional do Serviço Social Brasileiro – Tese de Doutorado (Pós-Graduação em Serviço Social), Pontifícia Universidade Católica, São Paulo, 2006.

CAPUTI, L.; FORNAZIER MOREIRA, T. W. As Diretrizes Curriculares da ABEPSS e os valores éticos e políticos para a formação profissional em Serviço Social. Temporalis, Brasília, DF, n. 32, p. 97-121, jul/dez. 2016.

COUTINHO, C. N. Pluralismo: dimensões teóricas e políticas. Cadernos ABESS, São Paulo: Cortez, n. 4, 1991.

IAMAMOTO, M. V.; CARVALHO, R. Relações sociais e serviço social no Brasil: esboço de um interpretação teórico-metodológica. São Paulo: Cortez, 1995.

IASI, M. L. Ensaios sobre Consciência e Emancipação. São Paulo, Expressão Popular: 2011.

MARX, K. H.; ENGELS, F. A ideologia alemã. São Paulo: Editora Hucitec, 1999.

MONTAÑO, C. DURIGUETTO, M. L. Estado, classe e movimento social. Biblioteca básica do Serviço Social. São Paulo: Cortez, 2011.

MOTA, A. E.; AMARAL, A. Serviço Social brasileiro: cenários e perspectivas nos anos 2000. In:_____ (org). Serviço Social brasileiro nos anos 2000: cenários, pelejas e desafios. Recife: Editora UFPE, 2014, p. 23-43.

MOTA, A. E. Serviço Social brasileiro: insurgência intelectual e legado político. In: OLIVEIRA e SILVA (org). Serviço Social no Brasil: histórias de resistência e de lutas contra o conservadorismo. São Paulo: Cortez, 2016, p. 165-182.

NETTO, J. P. A construção do projeto ético-político do serviço social. Centro Português de Investigação em História e Trabalho Social, Lisboa, 1999. Disponível em: http://www.cpihts.com/PDF03/jose%20paulo%20netto.pdf. Acesso em: 9 jun. 2018.

NETTO, J. P. Ditadura e serviço social: uma análise do serviço social no Brasil pós-64. São Paulo: Cortez, 2010.

NETTO, J. P. Capitalismo monopolista e serviço social. São Paulo: Cortez, 2001.

SOUZA, J. M. A. Três notas sobre o sincretismo no Serviço Social. Serviço Social e Sociedade, São Paulo, v. 119, p. 531-559, jul/set. 2014.

TEIXEIRA, J. B.; BRAZ, M. O projeto ético-político do Serviço Social. Serviço Social: Direitos Sociais e Competências Profissionais. Brasília (DF) , 2009. Disponível em: http://www.abepss.org.br/arquivos/anexos/teixeira-joaquina-barata_-braz-marcelo-201608060407431902860.pdf. Acesso em: 10 jun. 2018.

YAZBEK, M. C. A dimensão política do trabalho do assistente social. Serviço Social e Sociedade, n.120, p. 677-693, 2014.

Publicado
2019-10-06