Capitalismo dependente, autocracia burguesa e democracia de cooptação: o golpe de 2016 e a atualidade de Florestan Fernandes

Palavras-chave: Florestan Fernandes, Golpe de Estado, Capitalismo Dependente, Autocracia Burguesa, Democracia de Cooptação

Resumo


O presente artigo, resultado de pesquisa bibliográfica e documental, aborda a interpretação do sociólogo brasileiro Florestan Fernandes acerca da formação sócio histórica do Brasil objetivando debater sua atualidade para a compreensão socioeconômica e política do Brasil contemporâneo, com destaque para o golpe de Estado de 2016. Conclui-se que o capitalismo dependente e as combinações entre autocracia burguesa e democracia de cooptação seguem vigentes na realidade brasileira.

Biografia do Autor

Davi Machado Perez, Universidade Estadual do Tocantins - UNITINS
Doutor em Serviço Social pela Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC. Mestre e Bacharel em Serviço Social pela mesma instituição. Membro do Núcleo de Estudos e Pesquisas: Trabalho, Questão Social e América Latina - NEPTQSAL. Atualmente exerce a docência no curso de Serviço Social da Universidade Estadual do Tocantins - UNITINS, ministrando as disciplinas de Introdução ao Serviço Social e Fundamentos I e II. Atuou como docente do ensino superior no Departamento de Serviço Social da UFSC, ministrando as disciplinas Serviço Social e Realidade Social I e Método Crítico Dialético. Também trabalhou como docente no curso de Serviço Social da Universidade Federal do Tocantins - UFT, onde ministrou as disciplinas Economia Política e Serviço Social, Ciência Política, Política Social II, Pesquisa em Serviço Social II, Pesquisa em Serviço Social III, Sociologia II, Fundamentos Históricos Teóricos e Metodológicos do Serviço Social I e Direito e Legislação.

Referências

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENSINO E PESQUISA EM SERVIÇO SOCIAL. Diretrizes gerais para o curso de Serviço Social. Rio de Janeiro, 1996.

COUTINHO, Carlos Nelson. Cultura e sociedade no Brasil: ensaio sobre ideias e formas. São Paulo: Expressão Popular, 2011.

COUTINHO, Carlos Nelson. A democracia como valor universal. Rio de janeiro: Salamandra, 1984.

CONTE, Daniela. Nelson Werneck Sodré e as interpretações do Brasil moderno (1958-1964): análise de conceitos e contexto de um intelectual brasileiro. 2010. Dissertação (Mestrado em História)- Programa de Pós-Graduação em História do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2010.

FERNANDES, Florestan. A revolução burguesa no Brasil: ensaio de interpretação sociológica. 5. ed. São Paulo: Globo, 2005.

FERNANDES, Florestan. Nova República? Rio de Janeiro: Zahar, 1986.

FERNANDES, Florestan. Capitalismo dependente e classes sociais na América latina. São Paulo: Global, 2009.

FERNANDES, Florestan. Democracia e desenvolvimento: A transformação da Periferia e o Capitalismo Monopolista da Era Atual. São Paulo: Hucitec, 1994.

FERNANDES, Florestan. Movimento socialista e partidos. São Paulo: Hucitec, 1980.

FURTADO, Celso. Formação Econômica do Brasil. Rio de Janeiro: Fundo de Cultura, 1959.

JINKINGS, I; DORIA, K; CLETO, M. (Orgs.). Porque gritamos golpe? São Paulo: Boitempo, 2016.

LÊNIN. V. I. Imperialismo, estágio superior do capitalismo: ensaio popular. São Paulo: Expressão Popular, 2012.

LENIN. V. I. O Estado e a Revolução. São Paulo: Expressão Popular, 2010.

LÊNIN. V. I. O desenvolvimento do capitalismo na Rússia: o processo de formação do mercado interno para a grande indústria. São Paulo: Nova Cultural, 1988.

LOWY, Michael. Da tragédia à farsa: o golpe de 2016 no Brasil. In: JINKINGS, I; DORIA, K; CLETO, M. (Orgs.). Porque gritamos golpe? São Paulo: Boitempo, 2016.

MARX, Karl. O Capital: crítica da economia política. Livro I: o processo de produção do capital. São Paulo: Boitempo, 2013.

MIGUEL, Luis Felipe. A democracia na encruzilhada. In: JINKINGS, I; DORIA, K; CLETO, M; (Orgs.). Porque gritamos golpe? São Paulo: Boitempo, 2016.

MOORE JUNIOR, B. As origens sociais da ditadura e da democracia: senhores e camponeses na construção do mundo moderno. São Paulo: Martins Fontes, 1975.

NETTO, J. P. A atualidade de Florestan Fernandes. Brasil de Fato, 2013. Disponível em: http://www.brasildefato.com.br/node/12398. Acesso em: 10 ago. 2018.

NETTO, J. P. Pequena história da ditadura brasileira (1964-1985). São Paulo: Cortez, 2014.

PRESTES, Anita Leocádia. Luiz Carlos Prestes, a Constituinte e a Constituição de 1988. Revista Virtual EN_FIL – Encontros com a filosofia, v. 9, p. 1-14, 2018.

SEMER, Marcelo. Ruptura institucional e desconstrução do modelo democrático: o papel do judiciário. In: JINKINGS, I. DORIA, K. CLETO, M. (Orgs.). Porque gritamos golpe? São Paulo: Boitempo, 2016.

SOUZA, Antonio Candido de Mello e. Florestan Fernandes. São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo, 2001.

Publicado
2019-10-06