DESASTRES E FAVELAS CARIOCAS: A COBERTURA MIDIÁTICA DAS CHUVAS DE 2010

RAFAEL SOARES GONÇALVES

Resumo


Resumo: O projeto de retorno das remoções de favelas na cidade ficou ainda mais notório depois das chuvas que devastaram a cidade na noite do dia 5 de abril de 2010. Ainda sob o choque da comoção após as chuvas, a mídia anunciou projetos da prefeitura do Rio de Janeiro de retomar a remoção em massa de favelas. O presente artigo pretende analisar a cobertura de jornais das chuvas de 2010 a partir do acervo levantado por membros do Núcleo de Terras e Habitações da Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro. A nossa hipótese central repousa sobre a ideia que desastres mobilizam a opinião pública e, no caso das favelas cariocas, recolocaram em pauta as remoções na gramática política local. O artigo analisará, primeiramente, a discussão de risco ambiental e a sua utilização para legitimar políticas de remoção. A partir das reportagens, analisaremos, posteriormente, a instrumentalização da noção de risco ambiental e, por fim, como essa noção vem sendo utilizada para culpabilizar os afetados pelas chuvas.

Palavras-chave: Desastres; Favelas Cariocas; Cobertura Midiática; Remoções.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.