TRABALHO PROFISSIONAL E GERENCIALISMO: UM DEBATE SOBRE O SERVIÇO SOCIAL EM ESPAÇOS SÓCIO-OCUPACIONAIS REESTRUTURADOS

KARLA FERNANDA VALLE

Resumo


Resumo: Debateremos os impactos da racionalidade gerencial sobre o trabalho do assistente social em espaços sócio-ocupacionais reestruturados, forjados pela Crise do Capital e pela reforma neoliberal-gerencial do Estado, capitaneada pelos organismos multilaterais. Entende-se que os “fetiches da gestão” reforçam a subalternidade profissional e catalisam a perda da já relativa autonomia do assistente social por facilitarem uma renovação conservadora na profissão. Recorreremos ao referencial teórico-metodológico marxiano para a análise das especificidades do mundo do trabalho submetido a égide do capital manipulatório. Por fim, a pesquisa de campo investiga o judiciário trabalhista carioca na condição de expressão particular de uma instituição pública reestruturada.

Palavras-chave: Assistente social. Gerencialismo.  Reforma neoliberal do Estado.

 


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.