O REFÚGIO E A BARBARIZAÇÃO DA VIDA: CONDIÇÕES E RELAÇÕES DE TRABALHO DOS REFUGIADOS FRENTE ÀS NOVAS CONFIGURAÇÕES DA QUESTÃO SOCIAL EM TEMPOS DE CRISE DO CAPITAL

ADRIELE MARLENE MANJABOSCO

Resumo


Resumo: Este artigo tem como base a fundamentação teórica e o estado da arte do tema do projeto de pesquisa desenvolvida no mestrado em Serviço Social que objetiva investigar as relações e condições de trabalho dos refugiados. Aqui, busca-se discorrer sobre a relação entre questão social e refúgio em contexto de crise do capital e, a partir de estudos recentes, elencar particularidades nas condições e relações de trabalho dos refugiados no Brasil. Destaca-se que o atual fenômeno de ampliação do número de refugiados possui as marcas do recrudescimento das expressões da questão social, notabilizas nas guerras prolongadas, no conservadorismo manifestado na xenofobia e no preconceito contra imigrantes e refugiados e na precarização das relações e condições de trabalho, evidenciando a barbarização da vida humana.

Palavras chave: refúgio; trabalho; questão social; crise do capital.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.