APROVEITAMENTO DA CASCA DE COCO VERDE PARA USO ENERGÉTICO

Najara Barros Dias, Paula Zimermann Schneider, Gisele de Lorena Diniz Chaves, Wanderley Cardoso Celeste

Resumo


O descarte do resíduo de coco verde causa transtornos, seja ele feito de forma adequada ou inadequada. A disposição adequada deste resíduo representa um custo considerável nos gastos com limpeza pública. O resíduo é encaminhado para os aterros sanitários que, com isso, tem sua vida útil diminuída devido ao volume que este resíduo ocupa, além de contribuir com a emissão de metano, um dos principais gases do efeito estufa. Quando descartado inadequadamente, contribui com a proliferação de vetores causadores de doenças, o que por sua vez representa um custo indireto para o poder público. Neste contexto, pesquisas vem sendo realizadas para o desenvolvimento de técnicas para aproveitamento deste resíduo. A sua utilização para a geração de energia, além de prover uma destinação para os resíduos, também auxilia na diversificação da matriz energética. O objetivo deste trabalho é discutir alternativas para aproveitamento da casca de coco verde para geração de energia. Foram encontrados na literatura diferentes produtos resultantes do processamento deste resíduo. Os trabalhos analisados objetivam apresentar a viabilidade técnica da utilização do resíduo, mas notou-se a falta de trabalhos que estudam a viabilidade econômica e logística do reaproveitamento.


Palavras-chave


Casca de coco verde, Biomassa, Energia.

Texto completo:

PDF

Referências


AGRIZZI, T. Pirólise da Casca de Coco: Estudo da Cinética de Devolatilização e Identificação dos Produtos. 2017. 101 f. Engenharia, Tecnologia e Gestão – Universidade Federal do Espírito Santo, Centro Universitário Norte do Espírito Santo, São Mateus, 2017.

ANDRADE, A. M. de et al.. Pirólise de Resíduos do Coco-da-baía (Cocos nucifera Linn) e Análise do Carvão Vegetal. Revista Árvore, Viçosa, v. 28, n. 5, 707–714, ago. 2004. ISSN 1806-9088.

BARCELOS, K. M. Análise do potencial do leito de jorro como reator para pirólise da casca de coco: estudo experimental e simulação via CFD. 2016. 115 f. Engenharia, Tecnologia e Gestão – Universidade Federal do Espírito Santo, Centro Universitário Norte do Espírito Santo, São Mateus, 2016.

BATISTA, R. R. Rotas De Aproveitamento Tecnológico De Resíduo Orgânico Agrícola: Casca de Coco, Casca De Cacau e Casca de Café. 2014. 108 f. Engenharia, Tecnologia e Gestão – Universidade Federal do Espírito Santo, Centro Universitário Norte do Espírito Santo, São Mateus, 2014.

BATTISTI, D. S.; NAYLOR, R. L. Historical Warnings of Future Food Insecurity with Unprecedented Seasonal Heat. Science, v. 323, 240–244, jan. 2009. ISSN 0036-8075.

BILGILI, F. et al.. Can biomass energy be an efficient policy tool for sustainable development? Renewable and Sustainable Energy Reviews, v. 71, 830–845, jan. 2017. ISSN 1364-0321.

BRIDGWATER, A. V.; TOFT, A. J.; BRAMMER, J. G. A techno-economic comparison of power production by biomass fast pyrolysis with gasification and combustion. Renewable and Sustainable Energy Reviews, v. 6, n. 3, 181-248, 2002. ISSN 1364-0321.

CABRAL, M. M. S. et al. Composição da fibra da casca de coco verde in natura e após pré-tratamentos químicos. Engevista, Rio de Janeiro, v. 19, n. 1, 99–108, jan. 2017. ISSN 2317-6717.

CARMO, V. B. DO. Avaliação da Eficiência Energética Renovável de Biomassas Alternativas Para Geração de Eletricidade. 2013. 170 f. Engenharia Química. Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2013.

CARRIJO, O. A.; LIZ, R. S. DE; MAKISHIMA, N. Fibra da Casca do Coco Verde Como Substrato Agrícola. Horticultura Brasileira, Brasília, v. 20, n. 4, 533–535, dez. 2002. ISSN 0102-0536.

CHAPLIN-KRAMER, R. et al. Spatial patterns of agricultural expansion determine impacts on biodiversity and carbon storage. Proceedings of the National Academy of Sciences, Corvallis, v. 112, n. 24, 7402–7407, jun. 2015. ISSN 0027-8424.

COELHO, M. A. Z. et al. Aproveitamento De Resíduos Agroindustriais: Produção De Enzimas a Partir Da Casca De Coco Verde. Boletim do Centro de Pesquisa de Processamento de Alimentos, Curitiba, v. 19, n. 1, 33–42, jun. 2001. ISSN 1983-9774.

CORREIA, D. et al. Uso do Pó da Casca de Coco na Formulação de Substratos Para Formação de Mudas Enxertadas de Cajueiro Anão Precoce. Revista Brasileira de Fruticultura, Jaboticabal, v. 25, n. 3, 557–558, dez. 2003. ISSN 1806-9967.

CORTEZ, L. A. B. et al. Processamento de Casca e Fibra de Coco Verde Por Carbonização Para Agregação de Valor. BioEng, Campinas, v. 3, n. 1, 21–30, abr. 2009. ISSN 1098-6596.

DIAS, J. M. C. de S. et al. Produção de briquetes e péletes a partir de resíduos agrícolas, agroindustrais e florestais. Brasília: Embrapa Agroenergia, 2012. 132p. ISSN 2177- 4439.

EMBRAPA. Caracterização, Aproveitamento e Geração de Novos Produtos de Resíduos Agrícolas, Agroindustriais e Urbanos. Brasília: Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, 2011. Disponível em . Acesso em: 16 jun. 2018.

EMBRAPA. Estratégias de melhoria de bioprocessos para a produção de celulases. Brasília: Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, 2014. Disponível em . Acesso em: 16 jun. 2018.

EMBRAPA. Propostas para o aproveitamento do potencial energético da casca do coco-verde. Brasília: Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, 2015. Disponível em . Acesso em: 16 jun. 2018.

EMBRAPA. Tecnologias para produção e uso de biogás e fertilizantes a partir do tratamento de dejetos animais no âmbito do plano ABC. Brasília: Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, 2017. Disponível em . Acesso em: 16 jun. 2018.

EMPRESA DE PESQUISA ENERGÉTICA. Balanço Energético Nacional. Brasília: Ministério de Minas e Energia, 2017. Disponível em . Acesso em: 20 maio 2018.

ESTEVES, M. R. L. Estudo do Potencial Energético e Aproveitamento das Cascas de Coco Para a Produção de Briquete em Maceió-AL. 2014. 79 f. Programa de Pós-Graduação em Engenharia Química - Universidade Federal de Alagoas, Maceió, 2014.

ESTEVES, M. R. L.; ABUD, A. K. S.; BARCELLOS, K. M. Avaliação do potencial energético das cascas de coco verde para aproveitamento na produção de briquetes. Scientia plena, v. 11, n. 3, 1–8, jan. 2015. ISSN 1808-2793.

FOOD AND AGRICULTURE ORGANIZATION. Crops Statistics. Roma: Organização das Nações Unidas. Disponível em . Acesso em: 19 maio. 2018.

FERREIRA, A. F. B. et al. Caracterização Energética da Fibra da Casca do Coco com Posterior Produção de Briquete. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA QUÍMICA, XXI, 2016, Fortaleza. Disponível em . Acesso em: 20 maio 2018.

FIGUEIREDO, A. L. Pirólise termoquímica de pós da fibra de coco seco em um reator de cilindro rotativo para produção de bio-óleo. 2011. 127 f. Programa de Pós-Graduação em Ciência e Engenharia de Petróleo – Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2011.

GÓMEZ, E. O. Projeto, Construção e Avaliação Preliminar de Um Reator de Leito Fluidizado Para Gaseificação de Bagaço de Cana-de-açúcar. 1996. 200 f. Programa de Pós-Graduação em Engenharia Agrícola - Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1996.

GONÇALVES, F. A. et al. Bioethanol production from coconuts and cactus pretreated by autohydrolysis. Industrial Crops and Products, v. 77, 1–12, jun. 2015. ISSN 0926-6690.

HOLANDA, J. S. de; ALVES, M. C. S.; CHAGAS, M. C. M. das. Cultivo do Coqueiro no Rio Grande do Norte. 1. ed. Natal: Empresa de Pesquisa Agropecuária do RN, 2009. 47 p. ISSN 1983-280-X.

LAVOYER, F. C. G. Estudo da Secagem de Polpa de Coco Verde em Leito de Jorro e Viabilidade de Sua Utilização na Indústria. 2012. 92 f. Programa de Pós-Graduação de Biociências, Letras, e Ciências Exatas - Universidade Estadual Paulista, São José do Rio Preto, 2012.

LEITÃO, R. C. et al. Anaerobic treatment of coconut husk liquor for biogas production. Water Science and Technology, v. 59, n. 9, 1841–1846, 2009. ISSN 0273-1223.

MARTINS, C. R.; JESUS JUNIOR, L. A. de. Produção e Comercialização de Coco no Brasil Frente ao Comércio Internacional: Panorama 2014. 1 ed. Aracaju: Embrapa Tabueleiros Costeiros, 2014. 53 p. ISSN 1678-1953.

MATHAI. P. M. Bast and other plant fibers. The Textile Institute. Cambridge: Woodhead Publishing Limited, 2005. p. 275-313.

MATTOS, A. L. A. et al. Beneficiamento da casca de coco verde. Embrapa Agroindústria Tropical, 2012. Disponível em . Acesso em: 20 maio 2018.

MCKENDRY, P. Energy production from biomass (part 1): overview of biomass. Bioresource Technology, v. 83, 37–46, jul. 2002. ISSN 0960-8524.

MENDU, V. et al.Global bioenergy potential from high-lignin agricultural residue. Proceedings of the National Academy of Sciences, Berkeley, v. 109, n. 10, 4014–4019, jan. 2012. ISSN 0027-8424.

NAYLOR, R. L. et al. The Ripple Effect: Biofuels, Food Security, and the Environment. Environment: Science and Policy for Sustainable Development, Washington, v. 49, n. 9, 30–43, nov. 2007. ISSN 0013-9157.

NEENA, C.; AMBILY, P. S.; JISHA, M. S. Anaerobic degradation of coconut husk leachate using UASB-reactor. Journal of Environmental Biology, v. 28, n. 3, 611–615, 2007. ISSN 0254-8704.

NEJAT, P. et al. A global review of energy consumption, CO2 emissions and policy in the residential sector (with an overview of the top ten CO2 emitting countries). Renewable and Sustainable Energy Reviews, v. 43, 843–862, mar. 2015. ISSN 1364-0321.

PADILLA, E. R. D. et al. Potencial Energético da Casca de Coco (Cocos nucifera L.) para Uso na Produção de Carvão Vegetal por Pirólise. Revista Virtual de Química, v. 10, n. 2, abr. 2018. ISSN 1984-6835.

PASSOS, P. R. DE A. Destinação sustentável de cascas de coco (coco nucifera) verde: Obtenção de telhas e chapas de partículas. 2005. 186 f. Ciências em Planejamento Energético - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2005.

PEREIRA, A. O. P. et al. Perspectives for the expansion of new renewable energy sources in Brazil. Renewable and Sustainable Energy Reviews, v. 23, 49–59, mar. 2013. ISSN 1364-0321.

PIMENTA, A. S. et al. Utilização de Resíduos de Coco (Cocos Nucifera) Carbonizado Para a Produção de Briquetes. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 25, n. 1, 137–144, mar. 2015. ISSN 0103-9954.

PRADO JR., F. A. et al.. How much is enough? An integrated examination of energy security, economic growth and climate change related to hydropower expansion in Brazil. Renewable and Sustainable Energy Reviews, v. 53, p. 1132–1136, jan. 2016. ISSN 1364-0321.

RAJAGOPAL, D. et al. Challenge of biofuel: Filling the tank without emptying the stomach? Environmental Research Letters, v. 2, n. 4, nov. 2007. ISSN 1748-9326.

ROCHA, A. M. et al. Aproveitamento de Fibra de Coco para Fins Energéticos: Revisão e Perspectivas. CONGRESSO SOBRE GERAÇÃO DISTRIBUÍDA E ENERGIA NO MEIO RURAL, 10, São Paulo: Universidade Federal de São Paulo, 2015. Disponível em . Acesso em: 16 jun. 2018.

ROCHA, F. B. de A. et al. Gestão de resíduos como ferramenta aplicada ao beneficiamento do coco verde. ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, XXX, São Carlos, 2010.

RODRIGUES, R. Modelagem e Simulação de Um Gaseificador em Leito Fixo Para o Tratamento Térmico de Resíduos Sólidos da Indústria Calçadista. 2008. 174 f. Pesquisa e Desenvolvimento de Processos - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2008.

ROSA, M. de F. et al. Processo agroindustrial: obtenção de pó de casca de coco verde. 1 ed. Fortaleza: Embrapa, 2001.

ROUT, T. et al. Exhaustive study of products obtained from coconut shell pyrolysis. Journal of Environmental Chemical Engineering, v. 4, 3696–3705, fev. 2016. ISSN 2213-3437.

SCHENA, T. Pirólise da fibra da casca de coco: caracterização do bio-óleo antes e após a aplicação de dois processos de melhoramento. 2015. 173 f. Programa de Pós-Graduação em Química - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2015.

SHAFIE, S. M. et al. A review on electricity generation based on biomass residue in Malaysia. Renewable and Sustainable Energy Reviews, v. 16, 5879–5889, ago.2012. ISSN 1364-0321.

SIENGCHUM, T.; ISENBERG, M.; CHUANG, S. S. C. Fast pyrolysis of coconut biomass - An FTIR study. Fuel, v. 105, 559–565, out. 2013. ISSN 0016-2361.

SILVA, J. DE R. S. Produção de Commodities, Desmatamento e Insegurança Alimentar na Amazônia Brasileira. Revista Geográfica de América Central, Heredia, v. 2, 1–15, dez. 2011. ISSN 1011-484X.

SILVA, A. C. da. Reaproveitamento Da Casca De Coco Verde. Revista Monografias Ambientais, Santa Maria, v. 13, n. 5, 4077–4086, dez. 2014. ISSN 2236-1308.

SILVEIRA, M. S. Aproveitamento das Cascas de Coco Verde Para Produção de Briquete em Salvador-BA. 2008. 164 f. Programa de Pós-Graduação em Gerenciamento e Tecnologias Ambientais no Processo Produtivo - Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2008.

SOCIEDADE NACIONAL DE AGRICULTURA. Indústria do coco cresce, mas alto desperdício gera desafio tecnológico. Rio de Janeiro: Sociedade Nacional de Agricultura, 2014. Disponível em . Acesso em: 11 jun. 2018.

SOARES, J. et al. Fed-batch production of green coconut hydrolysates for high-gravity second-generation bioethanol fermentation with cellulosic yeast. Bioresource Technology, v. 244, 234–242, nov. 2017. ISSN 0960-8524.

SOUSA, F. W. et al. Green coconut shells applied as adsorbent for removal of toxic metal ions using fixed-bed column technology. Journal of Environmental Management, v. 91, 1634–1640, abr. 2010. ISSN 0301-4797.

SOUSA NETO, V. de O. et al. Coconut Bagasse Treated by Thiourea/Ammonia Solution for Cadmium Removal: Kinetics and Adsorption Equilibrium. BioResources, Raleigh, v. 7, n. 2, 1504–1524, 2012. ISSN 1930-2126.

TILMAN, D. et al. Beneficial Biofuels - The Food, Energy, and Environment Trilemma. Science, Nova York, v. 325, 270–271, jul. 2009. ISSN 0036-8075.

YANG, H. et al. In-depth investigation of biomass pyrolysis based on three major components: hemicellulose, cellulose and lignin. Energy & Fuels, v. 20, n. 1, 388-393, jan. 2006. ISSN 0887-0624.

ZAGO, E. S. et al. O Processo De Briquetagem Como Alternativa De Sustentabilidade Para as Indústrias Madeireiras do Município de Aripuanã-MT. Tecnoeng, Ponta Grossa, v. I, n. 2, 22–34, dez. 2010. ISSN 2178-3586.

ZHANG, Y-H. P.; LYND, L. R. Toward an Aggregated Understanding of Enzymatic Hydrolysis of Cellulose: Noncomplexed Cellulase Systems. Biotechnology and Bioengineering, v. 88, n. 7, 797–824, nov. 2004. ISSN 0006-3592.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Brazilian Journal of Production Engineering - BJPE

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

 

                      Brazilian Journal of Production Engineering - BJPE (ISSN: 2447-5580)