HISTÓRIA, MEMÓRIA E O ENSINO DE HISTÓRIA DOS REGIMES NÃO DEMOCRÁTICOS

Davi Elias Rangel Santos

Resumo


A consagração de conteúdos reproduzidos e retransmitidos nos bancos escolares insere-se num contexto de produção e circulação de bens simbólicos, onde os historiadores do presente encontram-se desafiados a romperem as barreiras que tem dificultado os debates acadêmicos e a produção dos novos conhecimentos históricos. A escola é o espaço onde as sociedades disputam as memórias sobre si. Sendo necessário trazer para o debate contemporâneo as questões sobre a ditadura militar e não tratá-la como algo presa ao passado. Neste contexto, para entendermos melhor regimes ditatoriais e, sobretudo, o regime brasileiro, é necessário compreendermos os efeitos da violência sobre as vítimas e suas consequências, com a finalidade de estabelecer uma conexão entre o passado e o presente.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Anais dos Encontros Internacionais UFES/PARIS-EST