O GOVERNO REPRESENTATIVO EM JOHN STUART MILL: REPRESENTAÇÕES E PARADIGMAS.

Eduardo Teixeira Gomes

Resumo


Este trabalho analisa suscintamente concepções de John Stuart Mill (1806-1873) sobre o Governo Representativo e a Democracia Representativa no contexto das lutas políticas inglesas durante a segunda metade do século XIX. Herdeiro do radicalismo filosófico capitaneado por gigantes como Jeremy Bentham (1748-1832) e James Mill (1773-1836), cujos pressupostos reformistas revolucionários impactaram seu tempo histórico, o jovem Stuart Mill avançou fundamentalmente além ao apresentar uma Democracia Representativa - e econômica - com ideais a serem utilizados em todas as sociedades. A revolução filosófica na Inglaterra já visível desde fins do século XVIII, esteada no apoio entusiástico deste grupo ao utilitarismo como filosofia moral e política da qual se esperava ser uma potência para transformação da face política ocidental. Stuart Mill desempenhou papéis ativos em diversas causas políticas de seu tempo e seus ideais ainda ressoam pelos sistemas democráticos mais de 150 anos após suas formulações. O Governo Representativo, com viés educativo, potencializado na participação ativa das massas populares na política e construção das suas realidades sociais constitui um caminho tão crucial quanto eficaz para construção de uma Democracia Representativa propulsora do desenvolvimento humano autonomista com foco na formação de um Estado submisso à sociedade democrática.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Anais dos Encontros Internacionais UFES/PARIS-EST