A FAMÍLIA ESCRAVA PRESENTE NOS REGISTOS ECLESIÁSTICOS: UMA ANÁLISE DE ITAPEMIRIM-ES (1860-1870)

Laryssa da Silva Machado

Resumo


O presente trabalho irá analisar a família escrava de Itapemirim-ES encontrada nos registros eclesiásticos da paróquia local, entre 1860-1870. Nesta região encontram-se famílias matrilineares, nucleares e extensas, o que revela a dinâmica da escravaria de Itapemirim, que durante o século XIX compreendia importante região no Espírito Santo. A região de Itapemirim foi pouco estudada pela historiografia capixaba. Este trabalho mostra-se relevante por apresentar as famílias escravas presentes no livro de batismo da Paróquia Nossa Senhora do Amparo. Esta paróquia separava livros para registros de livres e de escravos, e nem todos os batismos foram realizados na Matriz da Vila de Itapemirim. Em outras localidades do sul da província capixaba ocorreram batismos, alguns sendo realizados na província do Rio de Janeiro. Também são encontrados registros de famílias formadas por africanos e livres, porém a grande maioria era de famílias crioulas, nucleares ou matrilineares, que batizaram um filho neste período.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Anais dos Encontros Internacionais UFES/PARIS-EST