A ALIANÇA ENTRE O GETULISTA DE PRIMEIRA HORA E O HOMEM DA GAITA NA DISPUTA PELOS RUMOS DO GETULISMO NO PTB DO ESPÍRITO SANTO (1945 – 1951)

Lucian Rodrigues Cardoso

Resumo


No presente trabalho analisa-se as decisões e discussões originárias do Partido Trabalhista Brasileiro no Espírito Santo, porque típicas de sua formação. Se um partido de tipo carismático espera que o sujeito portador desta característica arbitre sobre suas dissidências e seus conflitos internos, Getúlio Vargas negava ao PTB o peso de sua mão para direcioná-lo, sob risco de despertar a ira do partido caudatário de sua estabilidade política, o PSD. Desta maneira, o nascituro partido comportou, também no Espírito Santo, sucessivos conflitos internos durante boa parte de sua existência. Em sua fase inicial, discursivamente, as disputas recaíam sobre a celeuma de quem seria mais agraciado pelo líder; quem poderia defender melhor seu legado e sua permanência política. Porém, se as disputas organizacionais durante os primeiros anos do PTB capixaba assentavam-se no debate em torno de quem seria mais getulista, uma análise mais minuciosa aponta que o que estava em jogo era a definição, não de quem, stricto sensu, mas de como deveria ser o getulismo no Espírito Santo.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Anais dos Encontros Internacionais UFES/PARIS-EST