BAR GAY: UMA ANÁLISE DO CASO VITÓRIA A PARTIR DO ROTEIRO TURÍSTICO DE AMYLTON DE ALMEIDA (1980)

Randas Gabriel Aguiar Freitas

Resumo


Esse trabalho parte da questão de como alguns espaços de sociabilização são categorizados como “bares gays” ou “bares LGBT” por uma parcela do seu público ser composto por lesbicas, gays, bissexuais, travestis e transgêneros. Para isso é analisado os bares de Vitória-ES frequentados por homossexuais nas décadas de 1970 e 1980, por nesse período existir um contexto político autoritário e munido de concepções conservadoras. Esse diagnóstico parte do entendimento de que ser homossexual frequentador de uma vida pública em um contexto de controle político e social tornase um ato de resistência e afirmação de uma identidade. É utilizado como fonte um roteiro turístico publicado no jornal Lampião da Esquina e uma entrevista feita com o capixaba Frederico Morothin. O roteiro turístico publicado no Lampião da Esquina, com todas suas limitações, se confrontado a entrevista dada pelo capixaba Frederico Morothin, permite compreender que no início dos anos de 1980 a visão de “bar gay” nos bares de Vitória estava associada aos bares frequentados por expressões de homossexualidade desviantes dos padrões e gênero e sexualidade. A partir disso existem indícios que essa visão ganha o imaginário social no contexto da ditadura, pois a homossexualidade estava marcada por diversos estigmas.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Anais dos Encontros Internacionais UFES/PARIS-EST