APRESENTAÇÃO

Ana Carolina Galvão Marsiglia

Resumo


A organização desse dossiê é marcada pela premente, diária e inegociável necessidade de resistir! No Espírito Santo, as políticas de austeridade, as violações de direitos humanos, o sucateamento da saúde, da educação, da segurança pública1 têm levado todos aqueles que se comprometem com a vida humanizada a se revoltar, posicionar e lutar. No Brasil em geral, não é diferente e a cada dia levamos um golpe do ilegítimo presidente Michel Temer: desmonte de programas sociais, como o “Minha Casa, Minha Vida” e “Ciência sem Fronteiras”, congelamento de verbas públicas por vinte anos, “reformas” (do ensino médio, trabalhista e previdenciária), lei da terceirização, abertura do pré-sal para estrangeiros, privatizações, redução do orçamento das universidades – deixando-as à míngua, para tentar fazê-las morrer de inanição. É tudo desesperador e, a cada retrocesso, temos a sensação de que nada poderá nos tirar dessa profunda crise política, econômica e social. No entanto, é preciso, mais do que sobreviver, criar as condições dignas de vida – para todos e não esmorecer ante ao quadro desalentador que se mostra.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22535/cpe.v22i46.19326

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Cadernos de Pesquisa em Educação

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.