A metáfora do amanhecer em Aurora, para piano e orquestra de Almeida Prado

Ronal Xavier Silveira

Resumo


O presente artigo visa estabelecer uma relação entre a obra Aurora para Piano e Orquestra (1975) de José Almeida Prado (1943-2010) com a epígrafe presente em sua edição. Nesta epígrafe, o compositor propõe um roteiro para a obra onde utiliza termos como luz, vida, calor, movimento, espiral e claridade, que sugerem associações diretas entre as metáforas e os processos composicionais. Tomando como referência alguns dados coletados da partitura, procura-se fazer algumas relações possíveis entre a escrita e os efeitos sonoros alcançados para “pintar”, metaforicamente, o amanhecer do dia.


Palavras-chave


Almeida Prado; Aurora; Metáfora; Análise musical.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.