Angústia de consciência: maldade e redenção, estética e ética na filosofia de Arthur Schopenhauer

Autores

  • Oswaldo Giacoia Junior

Resumo

A partir de uma aproximação com a filosofia de Kitaro Nishida, este artigo reflete sobre a relação entre ética e estética no sistema de pensamento de Arthur Schopenhauer, por meio do tratamento de uma difícil questão apresentada em sua filosofia prática: a transição da maldade extrema – a Schadenfreude (alegria maligna) – para a autonegação da vontade de viver. Trata-se de um problema que implica a distinção entre vivência estética, ética, religião e ascese, e suscita a possibilidade de uma figura radical da existência humana no mundo.

Publicado

2019-02-28

Edição

Seção

Dossiê Schopenhauer