Angústia de consciência: maldade e redenção, estética e ética na filosofia de Arthur Schopenhauer

Oswaldo Giacoia Junior

Resumo


A partir de uma aproximação com a filosofia de Kitaro Nishida, este artigo reflete sobre a relação entre ética e estética no sistema de pensamento de Arthur Schopenhauer, por meio do tratamento de uma difícil questão apresentada em sua filosofia prática: a transição da maldade extrema – a Schadenfreude (alegria maligna) – para a autonegação da vontade de viver. Trata-se de um problema que implica a distinção entre vivência estética, ética, religião e ascese, e suscita a possibilidade de uma figura radical da existência humana no mundo.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Diadorim    Sumários    Livre    Redib    DOAJ  Capes Periódicos
  Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.