ARTICULAÇÃO ENTRE SUPERVISÃO DE CAMPO E ACADÊMICA EM SERVIÇO SOCIAL

Autores

  • Adriana Ramos Universidade Federal Fluminense
  • Francine Helfreich Coutinho dos Santos Universidade Federal Fluminense (SSN/UFF,) Niterói.

DOI:

https://doi.org/10.22422/2238-1856.2016v16n31p281-304

Resumo

Este artigo é produto de questões levantadas a partir das reflexões das autoras na condição de supervisoras acadêmicas de estágio. Neste espaço de interlocução pretende-se apresentar considerações sobre a centralidade do estágio supervisionado e a articulação entre o papel de seus principais sujeitos na perspectiva do Projeto Ético Político. Parte-se do princípio de que é necessário retomar algumas reflexões considerando como eixo de análise a questão das atribuições privativas e competências do assistente social, que se configuram como uma particularidade do exercício profissional. Procura-se estabelecer considerações de como, coletivamente, propostas de ação podem ser pensadas para o enfrentamento desta questão que se encontra na pauta do dia.

Biografia do Autor

Adriana Ramos, Universidade Federal Fluminense

Docente da Universidade Federal Fluminense (Campus de Gragoatá).

Francine Helfreich Coutinho dos Santos, Universidade Federal Fluminense (SSN/UFF,) Niterói.

Assistente Social, doutora em Serviço Social pelo Programa de Pós Graduação da UERJ, professora adjunta do Curso de Serviço Social/ Niterói da Universidade Federal Fluminense (SSN/UFF,) Niterói.

Referências

ABEPSS. Associação Brasileira de Ensino e Pesquisa em Serviço Social. Política Nacional de Estágio da Associação Brasileira de Ensino e Pesquisa em Serviço Social. 2010. Disponível em: <http://www.cfess.org.br/arquivos/pneabepss_maio2010_corrigida.pdf> Acesso em: 10 abr. 2015.

_______. Centro de Documentação e Pesquisa em Políticas Sociais e Serviço Social. Proposta básica para o projeto de formação profissional. Serviço Social & Sociedade, São Paulo, n. 50, p. 143-171, 1996.

BRASIL. Lei n. 11.788, de 25 de setembro de 2008. Dispõe sobre o estágio de estudantes; altera a redação do art. 428 da Consolidação das Leis do Trabalho – CLT, aprovada pelo Decreto-Lei no 5.452, de 1o de maio de 1943, e a Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996; revoga as Leis nos 6.494, de 7 de dezembro de 1977, e 8.859, de 23 de março de 1994, o parágrafo único do art. 82 da Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, e o art. 6o da Medida Provisória n. 2.164-41, de 24 de agosto de 2001; e dá outras providências. Diário Oficial da União, Poder Executivo, Brasília-DF: 26 set. 2008. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2008/lei/l11788.htm> Acesso em: 12 fev. 2016.

_______. Lei n. 8.662, de 7 de junho de 1993. Dispõe sobre a profissão de Assistente Social e dá outras providências. Diário Oficial da União, Poder Executivo, Brasília-DF, 8 jun. 1993. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L8662.htm> Acesso em: 28 mar. 2016.

______. Lei n. 13.183, de 4 de novembro de 2015. Altera as Leis nºs 8.212, de 24 de julho de 1991, e 8.213, de 24 de julho de 1991, para tratar da associação do segurado especial em cooperativa de crédito rural e, ainda essa última, para atualizar o rol de dependentes, estabelecer regra de não incidência do fator previdenciário, regras de pensão por morte e de empréstimo consignado, a Lei nº 10.779, de 25 de novembro de 2003, para assegurar pagamento do seguro-defeso para familiar que exerça atividade de apoio à pesca, a Lei nº 12.618, de 30 de abril de 2012, para estabelecer regra de inscrição no regime de previdência complementar dos servidores públicos federais titulares de cargo efetivo, a Lei nº 10.820, de 17 de dezembro de 2003, para dispor sobre o pagamento de empréstimos realizados por participantes e assistidos com entidades fechadas e abertas de previdência complementar e a Lei nº 7.998, de 11 de janeiro de 1990; e dá outras providências. Diário Oficial da União, Poder Executivo, Brasília-DF, 5 nov. 2015. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2015/Lei/L13183.htm> Acesso em: 28 mar. 2016.

CASTELO, Rodrigo. O novo desenvolvimentismo e a decadência ideológica do pensamento econômico brasileiro. Serviço Social e Sociedade, São Paulo, n. 102, p 613-636, out./dez. 2012.

CFESS. Conselho Federal de Serviço Social. Resolução n. 273, de 13 de março de 1993. Lei n. 8.662/93 de regulamentação da profissão. 10. ed. Brasília-DF: CFESS, 2012. Disponível em: <http://www.cfess.org.br/arquivos/CEP_CFESS-SITE.pdf> Acesso em; 9 out. 2015.

CRESS. Conselho Regional de Serviço Social - 7ª região. Orientação profissional: informações básicas para o assistente social. Rio de Janeiro: CRESS, 2008.
ESS. Escola de Serviço Social. Projeto político pedagógico do curso de Serviço Social. Niterói: ESS/UFF, 2012. (Documento Institucional). Memo.

GONÇALVES, Reinaldo. Novo desenvolvimentismo e liberalismo enraizado. Serviço Social & Sociedade, São Paulo, n. 112, p. 637-671, 2012.

LEWGOY, A. M. B. Supervisão de estágio em Serviço Social. São Paulo: Cortez, 2009.

MATOS, M. C de. Considerações sobre as atribuições e competências profissionais de assistentes sociais na atualidade. Serviço Social & Sociedade, São Paulo, n. 124, p. 678-698, out./dez. 2015.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Conselho Nacional de Educação Superior. Resolução n. 15, de 13 de março de 2002. Estabelece as diretrizes curriculares para o curso de Serviço Social. Disponível em: <http://www.cfess.org.br/js/library/pdfjs/web/viewer.html?pdf=/arquivos/legislacao_diretrizes_cursos.pdf> Acesso em: 15 maio 2016.

MOTA, A. E. Espaços ocupacionais e dimensões políticas da prática profissional do assistente social. Serviço Social & Sociedade. São Paulo, n. 120, p. 694-705, out/dez. 2014.

OLIVEIRA, C.A. H. da S. O estágio supervisionado na formação profissional do assistente social: desvendando significados. Serviço Social & Sociedade, São Paulo, n. 80, p. 59-81, 2004.

ORTIZ, F. G. Desafios contemporâneos para o processo de estágio e supervisão em Serviço Social. FORTI, V.; GUERRA, Y. et al. (Orgs.). Serviço Social: temas, textos e contextos. Rio de Janeiro: Lúmen Júris, 2013.

PAULO NETTO, J. A construção do projeto ético-político do Serviço Social. In. Capacitação em Serviço Social e Política Social. Módulo 1. Brasília-DF: CFESS/ABEPSS/CEAD/Unb, 1999.

PEREIRA, L. D. Educação e Serviço Social: do confessionalismo ao empresariamento da formação profissional. São Paulo: Xamã, 2008.

RIBEIRO, E. B. O estágio no processo de formação dos assistentes sociais. In: FORTI, V.; GUERRA, Y. et al. (Orgs.). Serviço Social: temas, textos e contextos. Rio de Janeiro: Lúmen Júris, 2013.

SAMPAIO JÚNIOR, P. A. Desenvolvimentismo e neodesenvolvimentismo: tragédia e farsa. Serviço Social & Sociedade, São Paulo, n. 112, p. 672-688, out./dez. 2012.

SANTO, C.M. dos. Na prática a teoria é outra? mitos e dilemas na relação entre teoria, prática, instrumentos e técnicas do Serviço Social. Rio de Janeiro: Lúmen Juris, 2010.

Publicado

2017-02-13