ARTICULAÇÃO ENTRE SUPERVISÃO DE CAMPO E ACADÊMICA EM SERVIÇO SOCIAL

Adriana Ramos, Francine Helfreich Coutinho dos Santos

Resumo


Este artigo é produto de questões levantadas a partir das reflexões das autoras na condição de supervisoras acadêmicas de estágio. Neste espaço de interlocução pretende-se apresentar considerações sobre a centralidade do estágio supervisionado e a articulação entre o papel de seus principais sujeitos na perspectiva do Projeto Ético Político. Parte-se do princípio de que é necessário retomar algumas reflexões considerando como eixo de análise a questão das atribuições privativas e competências do assistente social, que se configuram como uma particularidade do exercício profissional. Procura-se estabelecer considerações de como, coletivamente, propostas de ação podem ser pensadas para o enfrentamento desta questão que se encontra na pauta do dia.


Palavras-chave


Estágio Supervisionado. Projeto Ético-Político. Supervisores.

Texto completo:

PDF

Referências


ABEPSS. Associação Brasileira de Ensino e Pesquisa em Serviço Social. Política Nacional de Estágio da Associação Brasileira de Ensino e Pesquisa em Serviço Social. 2010. Disponível em: Acesso em: 10 abr. 2015.

_______. Centro de Documentação e Pesquisa em Políticas Sociais e Serviço Social. Proposta básica para o projeto de formação profissional. Serviço Social & Sociedade, São Paulo, n. 50, p. 143-171, 1996.

BRASIL. Lei n. 11.788, de 25 de setembro de 2008. Dispõe sobre o estágio de estudantes; altera a redação do art. 428 da Consolidação das Leis do Trabalho – CLT, aprovada pelo Decreto-Lei no 5.452, de 1o de maio de 1943, e a Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996; revoga as Leis nos 6.494, de 7 de dezembro de 1977, e 8.859, de 23 de março de 1994, o parágrafo único do art. 82 da Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, e o art. 6o da Medida Provisória n. 2.164-41, de 24 de agosto de 2001; e dá outras providências. Diário Oficial da União, Poder Executivo, Brasília-DF: 26 set. 2008. Disponível em: Acesso em: 12 fev. 2016.

_______. Lei n. 8.662, de 7 de junho de 1993. Dispõe sobre a profissão de Assistente Social e dá outras providências. Diário Oficial da União, Poder Executivo, Brasília-DF, 8 jun. 1993. Disponível em: Acesso em: 28 mar. 2016.

______. Lei n. 13.183, de 4 de novembro de 2015. Altera as Leis nºs 8.212, de 24 de julho de 1991, e 8.213, de 24 de julho de 1991, para tratar da associação do segurado especial em cooperativa de crédito rural e, ainda essa última, para atualizar o rol de dependentes, estabelecer regra de não incidência do fator previdenciário, regras de pensão por morte e de empréstimo consignado, a Lei nº 10.779, de 25 de novembro de 2003, para assegurar pagamento do seguro-defeso para familiar que exerça atividade de apoio à pesca, a Lei nº 12.618, de 30 de abril de 2012, para estabelecer regra de inscrição no regime de previdência complementar dos servidores públicos federais titulares de cargo efetivo, a Lei nº 10.820, de 17 de dezembro de 2003, para dispor sobre o pagamento de empréstimos realizados por participantes e assistidos com entidades fechadas e abertas de previdência complementar e a Lei nº 7.998, de 11 de janeiro de 1990; e dá outras providências. Diário Oficial da União, Poder Executivo, Brasília-DF, 5 nov. 2015. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2015/Lei/L13183.htm> Acesso em: 28 mar. 2016.

CASTELO, Rodrigo. O novo desenvolvimentismo e a decadência ideológica do pensamento econômico brasileiro. Serviço Social e Sociedade, São Paulo, n. 102, p 613-636, out./dez. 2012.

CFESS. Conselho Federal de Serviço Social. Resolução n. 273, de 13 de março de 1993. Lei n. 8.662/93 de regulamentação da profissão. 10. ed. Brasília-DF: CFESS, 2012. Disponível em: Acesso em; 9 out. 2015.

CRESS. Conselho Regional de Serviço Social - 7ª região. Orientação profissional: informações básicas para o assistente social. Rio de Janeiro: CRESS, 2008.

ESS. Escola de Serviço Social. Projeto político pedagógico do curso de Serviço Social. Niterói: ESS/UFF, 2012. (Documento Institucional). Memo.

GONÇALVES, Reinaldo. Novo desenvolvimentismo e liberalismo enraizado. Serviço Social & Sociedade, São Paulo, n. 112, p. 637-671, 2012.

LEWGOY, A. M. B. Supervisão de estágio em Serviço Social. São Paulo: Cortez, 2009.

MATOS, M. C de. Considerações sobre as atribuições e competências profissionais de assistentes sociais na atualidade. Serviço Social & Sociedade, São Paulo, n. 124, p. 678-698, out./dez. 2015.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Conselho Nacional de Educação Superior. Resolução n. 15, de 13 de março de 2002. Estabelece as diretrizes curriculares para o curso de Serviço Social. Disponível em: Acesso em: 15 maio 2016.

MOTA, A. E. Espaços ocupacionais e dimensões políticas da prática profissional do assistente social. Serviço Social & Sociedade. São Paulo, n. 120, p. 694-705, out/dez. 2014.

OLIVEIRA, C.A. H. da S. O estágio supervisionado na formação profissional do assistente social: desvendando significados. Serviço Social & Sociedade, São Paulo, n. 80, p. 59-81, 2004.

ORTIZ, F. G. Desafios contemporâneos para o processo de estágio e supervisão em Serviço Social. FORTI, V.; GUERRA, Y. et al. (Orgs.). Serviço Social: temas, textos e contextos. Rio de Janeiro: Lúmen Júris, 2013.

PAULO NETTO, J. A construção do projeto ético-político do Serviço Social. In. Capacitação em Serviço Social e Política Social. Módulo 1. Brasília-DF: CFESS/ABEPSS/CEAD/Unb, 1999.

PEREIRA, L. D. Educação e Serviço Social: do confessionalismo ao empresariamento da formação profissional. São Paulo: Xamã, 2008.

RIBEIRO, E. B. O estágio no processo de formação dos assistentes sociais. In: FORTI, V.; GUERRA, Y. et al. (Orgs.). Serviço Social: temas, textos e contextos. Rio de Janeiro: Lúmen Júris, 2013.

SAMPAIO JÚNIOR, P. A. Desenvolvimentismo e neodesenvolvimentismo: tragédia e farsa. Serviço Social & Sociedade, São Paulo, n. 112, p. 672-688, out./dez. 2012.

SANTO, C.M. dos. Na prática a teoria é outra? mitos e dilemas na relação entre teoria, prática, instrumentos e técnicas do Serviço Social. Rio de Janeiro: Lúmen Juris, 2010.




DOI: https://doi.org/10.22422/2238-1856.2016v16n31p281-304

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


INDEXADORES:

Latindex: http://www.latindex.unam.mx/

Dialnet: http://dialnet.unirioja.es/servlet/revista?codigo=19796

IndexCopernicus: http://journals.indexcopernicus.com/passport.php?id=8544

Portal de periódicos da Ufes: http://peridicos.ufes.br

Diadorim-IBICT: http://diadorim.ibict.br/handle/1/319

LICENÇA:

CC BY https://creativecommons.org/licenses/by/4.0/