A PROPOSTA DAS OFICINAS NAS DIRETRIZES CURRICULARES: ELEMENTOS PARA DEBATE

Luciana Gonçalves Pereira de Paula, Ana Cláudia Leiroz Nacarat, Camila Martins da Silva

Resumo


Esse artigo traz ao debate um elemento curricular inovador para a formação profissional em Serviço Social, presente nas Diretrizes Curriculares de 1996: a oficina. Para isso, resgata o avanço das Diretrizes Curriculares da ABEPSS, no sentido de compreender a proposta de formação em Serviço Social pautada no referencial crítico marxista. Em seguida, discorre sobre o papel das Oficinas de Trabalho Profissional e de Supervisão de Estágio e o seu significado. Posteriormente, apresenta a visão dos/as alunos/as, formandos/as da FSS/UFJF, no ano de 2016, acerca da metodologia desenvolvida nesses espaços. Ao final, destaca o avanço do conservadorismo na profissão, com os processos de mercantilização da educação sob os princípios do neoliberalismo, para pensarmos estratégias de fortalecimento de nossa categoria profissional na defesa de uma formação de qualidade.

Palavras-chave


Serviço Social. Oficina. Diretrizes Curriculares. Assistente Social. Formação Profissional.

Texto completo:

PDF

Referências


ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENSINO E PESQUISA EM SERVIÇO SOCIAL. Diretrizes Gerais para o Curso de Serviço Social. Rio de Janeiro, 1996. Disponível em: . Acesso em: 5 fev. 2018.

ABREU, Marina Maciel. A formação profissional em Serviço Social e a mediação da Associação Brasileira de Ensino e Pesquisa em Serviço Social (ABEPSS): as diretrizes curriculares/1996 em relação à perspectiva emancipatória no âmbito do avanço do conservadorismo. In: SILVA, Maria Liduína de Oliveira (Org.). Serviço Social no Brasil: histórias de resistências e de ruptura com o conservadorismo. São Paulo: Cortez, 2016.

CONSELHO FEDERAL DE SERVIÇO SOCIAL. Meia formação não garante um direito: o que você precisa saber sobre a supervisão direta de estágio em Serviço Social. Brasília (DF), [2013]. Disponível em: . Acesso em: 5 fev. 2018.

CHIRELLI, Mara Quaglio; NASSIF, Julia Volpi. O processo ensino-aprendizagem em metodologia ativa: visão do professor no currículo integrado e por competência dialógica. In: CONGRESSO IBERO-AMERICANO EM INVESTIGAÇÃO QUALITATIVA, 6., 2017. Anais... Indagatio Didactica, v. 9, 2017. Disponível em: . Acesso em: 5 fev. 2018.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA. Faculdade de Serviço Social. Projeto Pedagógico do Curso de Serviço Social da Universidade Federal de Juiz de Fora. Juiz de Fora, 2016.

FIGUEIRÊDO, Maria do Amparo Caetano de et al. Metodologia de Oficina Pedagógica: uma experiência de extensão com crianças e adolescentes. Revista Eletrônica Extensão Cidadã, João Pessoa v.2, p. 1-12, 2006. Disponível em: . Acesso em: 5 fev. 2018.

GUERRA, Yolanda. O potencial do ensino teórico-prático no novo currículo: elementos para o debate. Revista Katálysis, Florianópolis, v. 8, n. 2, p. 147-154, jul./dez. 2005.

IAMAMOTO, Marilda Vilela. A formação acadêmico-profissional no Serviço Social brasileiro. Serviço Social e Sociedade, São Paulo: Cortez, n. 120, p. 609-639, out./dez. 2014.

IAMAMOTO, Marilda Vilela. O Serviço Social na Contemporaneidade: trabalho e formação profissional. 19. ed. São Paulo: Cortez, 2010.

LIMA, Cristiana Costa. A formação profissional em Serviço Social nos países amazônicos da América Latina sob o neoliberalismo: tendências no movimento de expansão e privatização do ensino superior no Brasil e na Colômbia. 2014. Tese (Doutorado em Políticas Públicas)–Programa de Pós-graduação em Políticas Públicas, Universidade Federal do Maranhão, São Luís, 2014.

NETTO, José Paulo. Pequena História da ditadura brasileira (1964-1985). São Paulo: Cortez, 2014.

OLIVEIRA, Cirlene Aparecida Hilário da Silva. O estágio supervisionado na formação profissional do Assistente Social. Serviço Social e Sociedade, São Paulo: Cortez, n. 80, 2004.

OTRENTI, Eloá et al. Portfólio reflexivo como método de avaliação da residência de gerência de serviços de enfermagem. Revista Semina – Ciências Biológicas e da Saúde, Londrina, v. 32, n. 1, p. 41-46, jan./jun. 2011.

PAULA, Luciana Gonçalves Pereira de. Um debate sobre estratégias e táticas – Problematizações no campo do Serviço Social. 2014. Tese (Doutorado em Serviço Social)–Programa de Pós-graduação em Serviço Social, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2014.

RAMOS, Sâmya Rodrigues; ABREU, Maria Helena Elpídio. Estratégias de enfrentamento e lutas do Serviço Social brasileiro frente à precarização da formação e do trabalho profissional e suas implicações no estágio supervisionado. In: SANTOS, Cláudia Mônica dos; LEWGOY, Alzira Maria Baptista; ABREU, Maria Helena Elpídio. A Supervisão de Estágio em Serviço Social: aprendizados, processos e desafios. Coletânea Nova de Serviço Social. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2016.

SANTOS, Cláudia Mônica dos. Na prática a teoria é outra? Mitos e dilemas na relação entre teoria, prática, instrumentos e técnicas no Serviço Social. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2010.

SANTOS, Cláudia Mônica dos; PINI, Francisca. A transversalidade do ensino da prática na formação profissional do assistente social e o projeto ABEPSS itinerante. Temporalis, Brasília (DF): Associação Brasileira de Ensino e Pesquisa em Serviço Social, ano 13, n. 25, p. 133-153, jan./jun. 2013.




DOI: https://doi.org/10.22422/temporalis.2018v18n35p155-172

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


INDEXADORES:

Latindex: http://www.latindex.unam.mx/

Dialnet: http://dialnet.unirioja.es/servlet/revista?codigo=19796

IndexCopernicus: http://journals.indexcopernicus.com/passport.php?id=8544

Portal de periódicos da Ufes: http://peridicos.ufes.br

Diadorim-IBICT: http://diadorim.ibict.br/handle/1/319

LICENÇA:

CC BY https://creativecommons.org/licenses/by/4.0/