A FORMAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL NO PERÍODO NEODESENVOLVIMENTISTA DE DILMA ROUSSEFF: OS ENTRAVES PARA UMA EDUCAÇÃO EMANCIPADORA

Suellen Bezerra Alves Keller

Resumo


O presente artigo busca tematizar a configuração da formação em Serviço Social entre os anos de 2011 e 2016, período em que o Brasil foi governado pela presidenta Dilma Rousseff e momento em que se vivenciou o esgotamento do projeto neodesenvolvimentista. A partir de um estudo qualitativo, em que foi realizada pesquisa teórico-bibliográfica com base no método materialista-dialético, investigou-se como a educação institucionalizada, no modo de produção capitalista, cumpre a função prática de formar para o mercado, e ideológica de criar consensos sobre as massas. Ao final dos governos de coalizão petistas, o Serviço Social vivenciou muitos desafios, resultantes, sobretudo, do crescimento de cursos de graduação à distância. Conclui-se que o enfrentamento do conservadorismo na profissão e na realidade social prescinde de uma formação emancipadora, que proporcione conhecimento crítico sobre a totalidade e permita a construção de estratégias efetivas de atuação.

Palavras-chave


Formação Profissional. Serviço Social. Esgotamento do Neodesenvolvimentismo.

Texto completo:

PDF

Referências


ADORNO, Theodor.; HORKHEIMER, Max. Dialética do esclarecimento. Rio de Janeiro: Zahar, 2006.

ALVES, Giovanni. Trabalho e neodesenvolvimentismo: choque de capitalismo e nova degradação do trabalho no Brasil. Bauru: Canal 6, 2014.

AVRITZER, Leonardo. Impasses da democracia no Brasil. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2016.

BOITO JR., Armando. Reforma e Crise Política no Brasil: os conflitos de classe nos governos do PT. Campinas/São Paulo: Unicamp/Unesp, 2018

CFESS-CRESS. Política de Educação Permanente do Conjunto CFESS-CRESS. Brasília [DF], 2013.

FREIXO, Adriano de. RODRIGUES, Thiago (org). 2016, o ano do Golpe. Rio de Janeiro: Oficina Raquel, 2016.

GRAMSCI, Antonio. Os intelectuais e a organização da cultura. Trad. Carlos Nelson Coutinho. 9. Ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1995.

IAMAMOTO, M. V.; CARVALHO, R de. Relações sociais e Serviço Social no Brasil. Esboço de uma interpretação histórico metodológica. São Paulo: Cortez, 2007.

IAMAMOTO, Marilda Villela. Serviço Social em tempo de capital fetiche: capital financeiro, trabalho e questão social. São Paulo: Cortez, 2007.

INEP. Resumo técnico: Censo da educação superior 2014. – Brasília: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, 2016.

MARX, Karl. Sobre a Questão Judaica. São Paulo: Boitempo, 2010.

MÉSZAROS, István. A educação para além do capital. São Paulo: Boitempo Editorial, 2008.

SOUZA, João Valdir Alves de. Educação. In: Souza, João Valdir Alves de; Guerra, Rosângela (organizador). Dicionário crítico da educação. Belo Horizonte: Dimensão, 2014.




DOI: https://doi.org/10.22422/temporalis.2018v18n36p336-348

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


INDEXADORES:

Latindex: http://www.latindex.unam.mx/

Dialnet: http://dialnet.unirioja.es/servlet/revista?codigo=19796

IndexCopernicus: http://journals.indexcopernicus.com/passport.php?id=8544

Portal de periódicos da Ufes: http://peridicos.ufes.br

Diadorim-IBICT: http://diadorim.ibict.br/handle/1/319

LICENÇA:

CC BY https://creativecommons.org/licenses/by/4.0/