Teoria das profissões, marxismo e Serviço Social

Ludson Rocha Martins

Resumo


O presente texto elabora subsídios, a partir do debate brasileiro sobre o Serviço Social, para uma análise marxista das ocupações especializadas. Teoricamente, são tratadas algumas das bases da sociologia das profissões, bem como o pensamento de Vicente Faleiros, Marilda Iamamoto e José Paulo Netto sobre atuação do assistente social. Por fim, esboça-se a partir de tais nomes alguns apontamentos sobre a natureza das profissões na sociedade moderna.

Palavras-chave


Marxismo; Sociologia das Profissões; Serviço Social

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, A. J. Contributos da sociologia para a compreensão dos processos de profissionalização. Medi@ções, Setúbal, v. 1, n. 2, p. 115-127, 2010. Disponível em: http://mediacoes.ese.ips.pt/index.php/mediacoesonline/article/viewFile/28/pdf_13. Acesso em: 1 fev. 2018.

APPLE, M. W. Trabalho docente e textos: economia política das relações de classe e gênero em educação. Porto Alegre: Artes Médica, 1995.

ASSUNÇÃO, V. N. F. de. A teoria das abstrações de Marx: o método científico exato para o estudo do ser social. Verinotio - revista online de filosofia e ciências humanas, n. 18, p. 46-61, 2013. Disponível em: http://www.verinotio.org/conteudo/0.8857190030494.pdf. Acesso em: 21 fev. 2018.

BRAVERMAN, H. Trabalho e capital monopolista: a degradação do trabalho no século XX. 3. ed. Rio de Janeiro: LTC, 1987.

CARVALHO, A. B. de. Magistratura e direito alternativo. São Paulo: Acadêmica, 1992.

CHASIN, J. Marx: estatuto ontológico e resolução metodológica. In: TEIXEIRA, F. Pensando com Marx. São Paulo: Ensaio, 1995.

CORRIGAN, P; LEONARD, P. Social Work under captalism: a marxist approach. Londres: Macmillan, 1978.

DUBAR, C. A construção de si pela atividade de trabalho: a socialização profissional. Cad. Pesqui., São Paulo, v. 42, n. 146, ago. 2012. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-15742012000200003&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 1 fev. 2018.

DURAND, J. C. G. A serviço da coletividade: crítica à sociologia das profissões. Rev. adm. empres. [online]. 1975, vol.15, n.6, p.59-69. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-75901975000600005&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 19 fev. 2018.

DURKHEIM, É. Da divisão do trabalho social. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

EDGELL. S. Class. Londres: Routledge, 1993.

FALEIROS, V. de P. Metodologia e ideologia do trabalho social. 11.ed. São Paulo: Cortez, 2009.

FALEIROS, V. de P. Saber profissional e poder institucional. 5. ed. São Paulo: Cortez, 1997.

FALEIROS, V. de P. Estratégias em Serviço Social. 10. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

FALEIROS, V. de P. Globalização, correlação de forças e Serviço Social. São Paulo: Cortez, 2013.

FERGUSON, I. Um outro Serviço Social é possível: reivindicando a tradição radical. Em Pauta, Rio de Janeiro: revista da Faculdade de Serviço Social da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, n. 27, jul. 2011.

FREIDSON, E. Para uma análise comparada das profissões: a institucionalização do discurso e do conhecimento formais. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, v. 11, n. 31, p. 141-55, 1996.

FREIDSON, E. “A teoria das profissões: situação do setor”. In: FREIDSON, E. O renascimento do profissionalismo: teoria, profecia e política. São Paulo: Edusp, 1998, p. 47-63.

HUGHES, E. C. Men and their work. Londres: The Free Press of Glencoe-Collier Macmillan, 1958.

IAMAMOTO, M. V. O Serviço Social em tempo de capital fetiche: capital financeiro, trabalho e questão social. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2008.

IAMAMOTO, M. V.; CARVALHO, R. de. Relações sociais e Serviço Social no Brasil: esboço de uma interpretação histórico-metodológica. 2. ed. São Paulo: Cortez, 1983.

MARX, K. Grundrisse - manuscritos econômicos 1857-1858: esboços da crítica da economia política. São Paulo: Boitempo, 2011.

MARX, K. O capital: crítica da economia política. Livro I: o processo de produção do capital. São Paulo: Boitempo, 2013.

MARX, K.; ENGELS, F. A ideologia alemã: crítica da mais recente filosofia alemã em seus representantes Feuerbach, B. Bauer e Stirner, e do socialismo alemão em seus diferentes profetas – 1845-1846. São Paulo: Boitempo, 2007.

MARTINS, L. R. Crítica da legitimidade na teoria das profissões e suas contribuições para o debate sobre os fundamentos do Serviço Social. 2014. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, 2014a.

MARTINS, L. R. Teoria das profissões e a análise dos fundamentos do Serviço Social. Verinotio, revista on-line de Filosofia e Ciências Humanas, n. 20, p. 64-81, out. 2014b. Disponível em: http://www.verinotio.org/conteudo/0.46616944434696.pdf. Acesso em: 10 fev. 2018.

MENEGHETTI, G. Profissões e identidades profissionais: um estudo sobre as teorias e conceitos nas ciências sociais e no serviço social. 2009. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2009.

MERTON, R. Social research and practicing professions. Nova Iorque: University Press of America, 1982.

MERTON, R. Estrutura social e anomie. In: MERTON, R. Sociologia: teoria e estrutura. São Paulo: Mestre Jou, 1970. p. 203-234.

MONTAÑO, C. A natureza do Serviço Social: um ensaio sobre sua gênese, a "especificidade" e sua reprodução. 2.ed. São Paulo: Cortez, 2011.

NAVARRO, V. Medicine under capitalism. New York, Prodist, 1976.

NETTO, J. P. Capitalismo monopolista e Serviço Social. 6. ed. São Paulo: Cortez, 2007.

OPPENHEIMER, M. The proletarianization of the professional. The Sociological Review, v. 20, p. 2013-227, 1972.

PAÇO CUNHA, E. Rearticulação categorial ao pensamento marxiano: produção em geral, trabalho abstrato e burocracia. CSOnline (UFJF), v. 1, p. 175-201, 2012. Disponível em: https://csonline.ufjf.emnuvens.com.br/csonline/article/download/1739/1212. Acesso em: 19 fev. 2018.

PARSONS, T. “Estructura social y proceso dinámico: el caso de la práctica médica moderna”. In: PARSONS, T. El sistema social. Madri: Alianza, 1982, p. 274-305.

PAYNE, M. Teoria do Trabalho Social Moderno. Coimbra: Quarteto, 2002.

SAVIANI, D. Escola e democracia: teorias da educação, curvatura da vara, onze teses sobre educação e política. 36. ed. São Paulo: Autores Associados; Cortez, 2003.

VERDÈS-LEROUX. J. Trabalhador social: prática, habitus, ethos, formas de intervenção. São Paulo: Cortez, 1986.

WRIGHT, E. O. Class Boundaries in Advanced Capitalist Societies. New Left Review, v. 98, p. 3-41, 1976.




DOI: https://doi.org/10.22422/temporalis.2019v19n37p45-64

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


INDEXADORES:

Latindex: http://www.latindex.unam.mx/

Dialnet: http://dialnet.unirioja.es/servlet/revista?codigo=19796

IndexCopernicus: http://journals.indexcopernicus.com/passport.php?id=8544

Portal de periódicos da Ufes: http://peridicos.ufes.br

Diadorim-IBICT: http://diadorim.ibict.br/handle/1/319

LICENÇA:

CC BY https://creativecommons.org/licenses/by/4.0/