A CONCEPÇÃO DE QUESTÃO SOCIOAMBIENTAL E O SERVIÇO SOCIAL

Autores

  • Letícia Soares Nunes Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e Prefeitura Municipal de Florianópolis (PMF).
  • Amanda Gomes de Medeiros Silva Prefeitura Municipal de Florianópolis (PMF).

DOI:

https://doi.org/10.22422/2238-1856.2013v13n26p97-116

Resumo

O presente artigo tem como objetivo problematizar a concepção de questão socioambiental de assistentes sociais que atuam diante dessa temática emergente, com base num recorte da pesquisa documental e empírica realizada em 2012, em que foram entrevistados seis assistentes sociais da região da Grande Florianópolis/SC. Afirma-se a importância de se compreender a concepção de questão socioambiental dos assistentes sociais, pois, a depender da concepção, sua prática pode tender a uma ação conservadora ou transformadora. Ou seja, postula-se a necessidade de articulação entre teoria e prática, em que aqueles que desenvolvem as ações no âmbito da questão socioambiental, a partir do conhecimento crítico e da compreensão da realidade concreta, precisam construir alternativas viáveis e compatíveis com a opção teórica adotada, refletindo acerca de sua prática e do que a fundamenta

Biografia do Autor

Letícia Soares Nunes, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e Prefeitura Municipal de Florianópolis (PMF).

Graduada em Serviço Social pela Universidade Federal de Santa Catarina (2009). Mestre em Serviço Social pelo Programa de Pós Graduação Mestrado em Serviço Social (PPGSS) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) em 2012. Atualmente é Professora do Departamento de Serviço Social da UFSC e Assistente Social do Centro de Referência Especializado da Assistência Social (CREAS) da região Continental do município de Florianópolis/SC, mas especificamente no Serviço de Proteção e Atendimento Especializado a Famílias e Indivíduos (PAEFI), que corresponde a serviços de Proteção Social Especial de média complexidade.

Amanda Gomes de Medeiros Silva, Prefeitura Municipal de Florianópolis (PMF).

Assistente Social formada pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Atualmente atua na Prefeitura Municipal de Florianópolis (PMF), vinculada ao Conselho Tutelar da Região Insular.

Referências

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENSINO DE SERVIÇO SOCIAL. “Tendências no Ensino da Metodologia em Serviço Social”. In: Cadernos ABES - Metodologia no Serviço Social, n.3. São Paulo: Cortez. 1987 p.p 69-99.

AMMANN, S. B. Ideologia do Desenvolvimento de Comunidade no Brasil. São Paulo: Cortez. 10ª edição, 2003.

ANDRADE, M. A. de. O metodologismo e desenvolvimentismo no Serviço Social brasileiro-1946 a 1961. In: Serviço Social & Realidade, Franca, v. 17, n. 1, p. 268-299, 2008. Acesso em 05 de abril de 2012.

BARROCO, M. L. S. Ética e Serviço Social: Fundamentos Ontológicos. São Paulo: Cortez. 4ª edição, 2006.

BEISIEGEL, R C. de. Paulo Freire (Coleção Educadores). Brasília: MEC- Fundação Joaquim Nabuco/Editora Massangana, 2010.

COUTINHO, C.Contra Corrente- Ensaios sobre a democracia e o socialismo.São Paulo: Cortez.2000

FREIRE, P. A educação como prática da liberdade. São Paulo: Paz e Terra. 24ª edição, 2000.

__________Pedagogia do Oprimido. São Paulo: Terra e Paz, 1987.

__________Pedagogia da Autonomia- Saberes necessários à pratica educativa. São Paulo: Ed. Paz e Terra, 1996.

__________Pedagogia da Esperança - Um reencontro com a Pedagogia da Esperança. São Paulo: Paz e Terra, 2003. 11ª edição, 2003

__________ Educação e Mudança. São Paulo: Ed. Paz e Terra, 2011.

FREYRE, G. Casa-Grande & Senzala- Formação da família brasileira sobre o regime patriarcal. São Paulo: Círculo do Livro, 1986.

GADOTTI, M. Por que continuar lendo Freire?. Disponível: http://168.96.200.17/ar/libros/freire/posfacio.pdf. Acesso em 7 Janeiro, 2011

_______________ Educação e Ordem Classista. In: Educação e Mudança. São Paulo: Ed. Paz e Terra, 2011.

GOMES, M.F. “Paulo Freire e Serviço Social Brasil- Elementos do pensamento freiriano para superação do conservadorismo na profissão”. In: Em Pauta. Disponível em: http://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/revistaempauta/article/view/2498/1931. Acesso em 10 de outubro de 2012.

IAMAMOTO, M.V, & CARVALHO, R. de. Relações Sociais e Serviço Social no Brasil- Esboço de uma interpretação histórico- metodológica. São Paulo: Cortez. 15ª edição, 2003.

IAMAMOTO, M. V. Serviço Social na Contemporaneidade. São Paulo: Cortez. 7° edição, 200

________________. Serviço Social em Tempo de Capital Fetiche- Capital financeiro, trabalho e questão social. São Paulo: Cortez . 2008.

LOWY, M. O Marxismo dos anos 60 na França: a corrente humanista revolucionária. Revista Serviço Social & Sociedade n. 30 São Paulo: Cortez. 1989

____________. A guerra dos deuses- Religião e política na América Latina. Rio de Janeiro. Vozes, 2000

MACHADO, G.S. Abordagens Psicossociais - Vol. III - Perspectivas para o Serviço Social. Vasconcelos, E. M.(org.) Editora: Hucitec.2009

NETTO, J. P. Ditadura e Serviço Social- uma análise do Serviço Social no Brasil pós -64. São Paulo: Cortez, 2011.

PAIVA, V.(2011). Paulo Freire e o nacionalismo desenvolvimentista. Revista de Ciências da Educação, 2, P. 83‑86. São Paulo: Graal. Disponível em: http://sisifo.fpce.ul.pt. Acesso em 20 dezembro, 2011.

PINHEIRO, L. F. Serviço Social, Religião e Movimentos Sociais no Brasil. Rio de Janeiro, 2010. 1° edição, 2010.

PRAXEDES, W. L. de A.. Repensando a recepção do marxismo no pensamento educacional brasileiro. Revista Espaço Acadêmico. nº 12. Disponível em: www.espacoacademico.com.br. Acesso em 08 de dezembro, 2011.

QUIROGA, C. Invasão positivista no marxista: manifestação no ensino da Metodologia no Serviço Social. São Paulo: Cortez, 1991.

VASCONCELOS, E. M.(Org.). Saúde mental e Serviço Social – O desafio da subjetividade e da interdisciplinaridade. São Paulo: Cortez, 2000.

RUZO, Elya C. C. “Uma filosofia latino-americana de Serviço Social”. In: Revista Debates Sociais. Rio de Janeiro: CBSSI. Maio de 1975.

SILVA E SILVA, M.O O Serviço Social e Popular. São Paulo: Cortez. 2009.

STRECK D. R. “Da pedagogia do oprimido às pedagogias da exclusão: um breve balanço crítico”. Educação &. Sociedade. Campinas, vol. 30, n. 107, p. 539-560, maio/ago. 2009. Disponível em http://www.cedes.unicamp.br. Acesso em 07 de setembro de 2012.

WANDERLEY, L. E. W. Educação Popular – Metamorfoses e veredas. São Paulo, Cortez, 2010.

WEFFORT, F. “Educação e Política- Reflexões sociológicas sobre a pedagogia da liberdade”. (Prefácio) in: A educação como prática da liberdade. São Paulo: Paz e Terra. 24ª edição, 2000.

YAZBEK, M. C. Os fundamentos do Serviço Social na contemporaneidade. Disponível em: http://www.prof.joaodantas.nom.br/materialdidatico/material/.pdf. Acesso em 02 fevereiros, 2010.

KISNERMAN, N. Sete estudos sobre Serviço Social. São Paulo: Cortez & Moraes.1972.

KOIKE, Maria M. “Formação profissional em Serviço Social: exigências atuais” in: http://www.prof.joaodantas.nom.br/materialdidatico/material/5_Formacao_profissional_em_Servico_Social_exigencias_atuais.pdf . Acesso em 07 de setembro 2012.

YOUNGHUSBAND, Eileen. “O futuro do Serviço Social”. In: Revisa Debates Sociais. Rio de Janeiro: CBSSI. Maio de 1975.

Publicado

2014-02-20