AS LUTAS URBANAS E O PAPEL DOS PARTIDOS POLÍTICOS

Autores

  • Isabela Ramos Ribeiro Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.22422/2238-1856.2013v13n26p75-96

Resumo

O presente artigo procura relacionar as lutas sociais urbanas, em especial as recentes manifestações de junho, com o papel dos partidos políticos no Brasil atualmente. Tem como objetivo demonstrar a importância da organização política tanto para a conquista de direitos como para a superação do capitalismo. Para tal, serão abordadas algumas concepções teóricas de partido, em uma análise bibliográfica, buscando trazer contribuições para pensar a organização política de forma coerente com as condições e determinantes sócio-históricas particulares em nosso país. Se, conforme as concepções de Lenin e Gramsci, o partido deve mediar a luta cotidiana com a luta mais ampla, sendo um agente na construção da vontade nacional-popular e de uma nova hegemonia, deparamo-nos hoje com o desafio de superar o apartidarismo e o antipartidarismo presentes no senso comum. Para tanto, é tarefa imprescindível entender esse momento histórico e suas consequências para a luta de classes nas cidades brasileiras, permitindo recolocar a “grande política” na ordem do dia.

Biografia do Autor

Isabela Ramos Ribeiro, Universidade Federal de Santa Catarina

Mestranda do Programa de Pós-graduação em Serviço Social (UFSC), na linha de Direitos, Sociedade Civil e Políticas Sociais na América Latina. Graduada em Serviço Social pela Universidade Federal de Santa Catarina.

Referências

BOGO, Ademar. Organização política e política de quadros. São Paulo: Expressão Popular, 2011.
BRAGA, Ruy. Apresentação. In: Hegemonia às avessas. OLIVEIRA, Fransico; BRAGA, Ruy; RIZEK, Cibele (Orgs.). São Paulo: Boitempo, 2010.
BRAZ, Marcelo. Partido Proletário e Revolução: sua problemática no século XX. Tese de doutorado (Programa de Pós-graduação em Serviço Social). Rio de Janeiro: UFRJ, 2006.
COUTINHO, Carlos Nelson. Gramsci: um estudo sobre seu pensamento político. 4. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2012.
DURIGUETTO, Maria Lúcia. Sociedade civil e democracia. São Paulo: Cortez, 2007.
GRAMSCI, Antonio. Cadernos do cárcere. Tradução de Carlos Nelson Coutinho com a colaboração de Luiz Sergio Henriques e Marco Aurélio Nogueira. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.
GRAMSCI, Antonio. Espontaneidade e direção consciente. Disponível em http://gramsci-brasil.blogspot.com.br/2007/10/espontaneidade-e-direo-consciente.html Acesso em 08/08/2013.
HARVEY, David. A liberdade da cidade. In: Cidades Rebeldes. São Paulo: Boitempo, 2013.
IASI, Mauro. A rebelião, a cidade e a consciência. In: Cidades Rebeldes. São Paulo: Boitempo, 2013.
LENIN, Vladimir. Que fazer? In: Obras escolhidas. Tomo 1. São Paulo: Alfa-Omega, 1979.
LENIN, Vladimir. Esquerdismo: doença infantil do comunismo. Disponível em http://www.marxists.org/portugues/lenin/1920/esquerdismo/index.htm Acesso em 20/08/2013.
LUKÁCS, Gyorgy. Lênin. São Paulo: Boitempo, 2012.
MARICATO, Ermínia. É a questão urbana, estúpido! In: Cidades Rebeldes. São Paulo: Boitempo, 2013.
MARINI, Ruy Mauro. A luta pela democracia. In: Coleção Cadernos de Pensamento Crítico Latino-americano. v. 1. São Paulo: CLACSO/Expressão Popular, setembro de 2008.
MARTINS, André Silva; NEVES, Lúcia Maria Wanderley. A nova pedagogia da hegemonia e a formação/atuação de seus intelectuais orgânicos. In: NEVES, Lúcia Maria Wanderley (Org.). Direita para o social e esquerda para o capital. São Paulo: Xamã, 2010.
MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. A Ideologia Alemã. São Paulo: Boitempo, 2007.
MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. Manifesto do Partido Comunista. Porto Alegre: L&PM Pocket, 2001.
MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. Mensagem do Comitê Central à Liga [dos comunistas]. In: Luta de classes na Alemanha. São Paulo: Boitempo, 2010.
OLIVEIRA, Francisco de. Hegemonia às avessas. In: Hegemonia às avessas. OLIVEIRA, Fransico; BRAGA, Ruy; RIZEK, Cibele (Orgs.). São Paulo: Boitempo, 2010.
SAKAMOTO, Leonardo. Em São Paulo, o Facebbok e o Twitter foram às ruas. In: Cidades Rebeldes. São Paulo: Boitempo, 2013.
SECCO, Lincoln. As jornadas de junho. In: Cidades Rebeldes. São Paulo: Boitempo, 2013.
VAINER, Carlos. Quando a cidade vai às ruas. In: Cidades Rebeldes. São Paulo: Boitempo, 2013.

Publicado

2014-02-20