Almanaque de Ciência Política https://www.periodicos.ufes.br/almanaque <p>A revista é um projeto editorial do CEDIP, Centro de Estudos em Instituições Políticas e Democracia da UFES, que visa propiciar maior circulação do conhecimento acadêmico por meio da publicação de trabalhos na área de Ciência Política, particulamente trabalhos que tratem das instituições políticas e outras dimensões dos regimes democráticos.</p> <p>O Almanaque é um periódico eletrônico semestral, com várias seções para a publicação de trabalhos: (a) dossiê temático, (b) artigosde e ensaios de temática livre e (c) resenhas, (d) reedições ou republicações de textos antigos ou de difícil acesso. Eventualmente, o periódico também publicará entrevistas, crônicas e traduções de textos relevantes para a área das ciências sociais.</p> <p>O periódico adota o sistema de publicação&nbsp;<em>ahead of print</em>, os artigos aprovados e finalizados são imediatamente publicados para agilizar sua circulação.</p> <p>Aceitam-se artigos escritos em português ou espanhol.</p> Universidade Federal do Espírito Santo pt-BR Almanaque de Ciência Política 2526-8066 <h4>Proposta de Política para Periódicos de Acesso Livre</h4><p>Os autores mantém os direitos autorais das ideias contidas nos trabalhos e concedem à revista o direito de publicação. Os autores têm autorização para assumir contratos adicionais separadamente, para distribuição não-exclusiva da versão do trabalho publicada nesta revista (ex.: publicar em repositório institucional ou como capítulo de livro), com reconhecimento de autoria e publicação inicial nesta revista.</p><p>Os textos da revista estão licenciados com uma Licença <a href="http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/" rel="license">Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional</a> (CC BY-NC-ND).</p><p> </p><div class="separator"> </div> Democracia e representação: da Grécia antiga à revolução americana https://www.periodicos.ufes.br/almanaque/article/view/39939 <p>O artigo visa contribuir para a discussão teórica sobre a democracia representativa, através de uma análise comparativa dos conceitos de democracia e representação em relação a dois períodos históricos: a Antiguidade Grega e o advento das repúblicas representativas. Realiza-se, portanto, uma revisão dos pensamentos de autores fundamentais para o desenvolvimento de concepções fundantes da democracia. Entre seus representantes antigos, discutem-se as ideias de Platão e Aristóteles; já entre os modernos, a obra discutida é O Federalista, de Alexander Hamilton, James Madison e John Jay. Além disso, buscamos explicar a passagem de uma concepção de democracia à outra, bem como suas limitações e potencialidades. Por fim, refletindo sobre como as duas tradições ajudaram a formatar a democracia atual, nos apoiamos em autores contemporâneos - como Hanna Pitkin (2004), Ellen Wood (2011) e Nadia Urbinati (2005) – para pensar como a democracia representativa pode ser aprimorada.</p> Raíssa Sales de Macêdo Copyright (c) 2023 2023-01-18 2023-01-18 6 2 01 14 O conceito de nação no pensamento social brasileiro https://www.periodicos.ufes.br/almanaque/article/view/39940 <p>Nação é um conceito bastante recente no pensamento social e que denota grande amplitude, irredutível a definições fechadas, que partiu de uma noção eurocêntrica de sociedade para virar questão premente em todo o mundo. No Brasil, a pendência da nação é preocupação do pensamento social desde pelo menos sua Independência em 1822, e com maior aprofundamento no Período Imperial com o movimento do Romantismo e na Era Vargas. Por revisão bibliográfica e de dados históricos, este artigo examina como a “questão nacional” foi tratada ao longo dos séculos pelo pensamento social brasileiro, as construções artificiais impostas “de cima para baixo”, a consequente falta de sua conclusão e os efeitos dessa “pendência” na vida cotidiana social e política brasileira.</p> Luiz Gustavo Lopez Mide Copyright (c) 2023 2023-01-18 2023-01-18 6 2 01 18 Ideias, instituições e atores: uma reflexão em torno de duas instituições artístico-culturais no Espírito Santo https://www.periodicos.ufes.br/almanaque/article/view/39938 <p>Temos por objetivo analisar os sentidos atribuídos às ideias de<br>descentralização e participação presentes nos parâmetros normativos das<br>políticas públicas culturais no Estado do Espírito Santo, especificamente<br>no relatório da Secretaria de Estado da Cultura, referente à gestão<br>cultural entre os anos de 2003 e 2010 (Sedult, s/d), e, a partir da análise<br>do espaço cultural Palácio Anchieta e o Museu de Artes do Espírito Santo<br>Dionísio Del Santo (MAES), refletir sobre as possibilidades e os limites de<br>uma efetiva participação política. Os resultados evidenciam uma<br>concepção restritiva de participação tanto nos parâmetros normativos<br>quanto nas instituições analisadas.</p> Marcelo de Souza Marques Copyright (c) 2023 2023-01-18 2023-01-18 6 2 01 20 Políticas afirmativas e a sub-representatividade das mulheres nos cargos eletivos do Brasil: análise das eleições de 2014, 2018 e 2020 https://www.periodicos.ufes.br/almanaque/article/view/39942 <p>Este artigo analisa a participação das mulheres na política brasileira a partir de sua historicidade e diante das políticas públicas afirmativas instituídas formalmente com o intituito de fomentar tal participação, considerando tanto a evolução normativa como as decisões dos tribunais superiores que interferem positivamente no incentivo ao ingresso delas na política partidária, considerando os pleitos eleitorais. Os dados utilizados estão disponíveis no sítio eletrônico do Tribunal Superior Eleitoral e se referem às eleições gerais de 2014 e 2018 e às eleições municipais de 2020. Far-se-á uma análise exploratória dos dados para quantificar a participação feminina na política brasileira. Os resultados indicam que efetivamente houve um aumento da participação feminina na política, que também se visualizou no êxito eleitoral dos cargos eletivos. No entanto, devido ao percentual das mulheres registradas como eleitoras, bem como a quantidade das filiações partidárias, as estatísticas revelam que persiste a sub-representatividade feminina.&nbsp;</p> Bianca Stella Azevedo Barroso Maurício Assuero Lima de Freitas Copyright (c) 2023 2023-01-18 2023-01-18 6 2 01 14 Os impedimentos à participação dos refugiados venezuelanos na democracia liberal brasileira https://www.periodicos.ufes.br/almanaque/article/view/39941 <p>O presente estudo traz uma discussão sobre a não inclusão de estrangeiros, especificamente os imigrantes venezuelanos, na democra-cia liberal brasileira. Para isso, esse estudo apresenta, em um primeiro momento, o contexto político e social que influenciou a migração de venezuelanos em 2017 e 2018. Em seguida, é apresentado um referencial teórico sobre a crise da democracia liberal (CASTELLS, 2017), e a ideia de participação política (MOUFFE, 2006; PATEMAN, 1992), unida a uma reflexão sobre a exclusão dos imigrantes do regime político a partir de notícias veiculadas pela mídia brasileira e leis nacionais que os limitam. Por fim, se têm as Conclusões, em que imigrantes não conseguem exercer seus direitos sociais e políticos, em consequência de barreiras legais, sociais e culturais que impedem a sua plena participação.</p> Renata da Silva Copyright (c) 2023 2023-01-18 2023-01-18 6 2 01 18