As formas de resistência dos trabalhadores no contexto da indústria 4.0 e da inteligência artifical

Autores

  • Noêmia Lazzareschi Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUCSP)
  • Marcelo Augusto Vieira Graglia Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUCSP)
  • Patricia Huelsen Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUCSP)

DOI:

https://doi.org/10.47456/argumentum.v13i2.27875

Resumo

Este artigo procura demonstrar as reações políticas dos trabalhadores às transformações tecnológicas e organizacionais, isto é, à reestruturação do processo de produção e de prestação de serviços, que acompanha as transformações do cenário histórico mundial, como frutos dos seus condicionantes tecnocientíficos, econômicos, políticos, sociais, culturais, nacionais e internacionais. Embora não se abrace a tese do dedterminismo tecnológico, as novas condições de trabalho são aqui consideradas como um dos fatores determinantes das formas de resistência dos trabalhadores e da orientação política dos movimentos sindicais em todos os países do mundo. Surge dessa compreensão, com fundamento na vasta literatura sobre os movimentos sindicais no Brasil, a relação entre taulorismo;fordismo e sindicalismo de confronto; toyotismo e sindicalismo de negociação; quarta revolução tecnológica e tendência à independência dos sindicatos e das centrais sindicais, graças aos meios tecnológicos de comunicação direta entre os pares, para a apresentação, organização e luta por novas reivindicações.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Noêmia Lazzareschi, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUCSP)

Socióloga. Doutora em Ciências Sociais. Professora da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. (PUCSP, São Paulo, Brasil).

Marcelo Augusto Vieira Graglia, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUCSP)

Engenheiro Mecânico. Doutor em Tecnologia da Inteligência de Design Digital. Professor da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. (PUCSP, São Paulo, Brasil).

 

 

Patricia Huelsen, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUCSP)

Engenheira de Alimentos. Doutora em Tecnologia da Inteligência de Design Digital. Professora da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. (PUCSP, São Paulo, Brasil).

Downloads

Publicado

2021-08-31

Como Citar

Lazzareschi, N., Graglia, M. A. V., & Huelsen, P. (2021). As formas de resistência dos trabalhadores no contexto da indústria 4.0 e da inteligência artifical. Argumentum, 13(2), 193–207. https://doi.org/10.47456/argumentum.v13i2.27875