Análise computacional do hidrocarboneto aromático policíclico antraceno e sua aplicação na astroquímica

Autores

  • Rosiane Carneiro Da Rosa Universidade Federal do Rio Grande
  • Dinalva Aires de Sales Universidade Federal do Rio Grande
  • Carla Martinez Canelo Universidade de São Paulo
  • Brenda Matoso Abreu Miranda Universidade Federal do Rio Grande - FURG

DOI:

https://doi.org/10.47456/Cad.Astro.v2n2.35751

Palavras-chave:

astroquímica, PAH, modelagem computacional, DFT

Resumo

Este trabalho objetiva analisar o espectro de emissão na região entre 5 e 15 μm do antraceno, uma espécie química de relevância astroquímica, obtido por modelagem computacional. E também comparar resultados obtidos com conjuntos de bases diferentes. A classe molecular escolhida possui características que permitem sua presença abundante em ambientes hostis do espaço, despertando interesse acerca de suas propriedades físico-químicas. A estrutura molecular foi desenhada na plataforma Gabedit e os cálculos da abordagem quântica realizados pelo software ORCA. Foram utilizadas duas funções de base, 6-31G* e 6-31G**, para comparação entre resultados. Para a análise dos métodos e inferências de semelhanças e diferenças, foi utilizado o NASA Ames PAH IR Spectroscopic Database (PAHdb), como banco de dados de referência. Os resultados obtidos apresentam um avermelhamento nas bandas vibracionais, mesmo utilizando a função de descrita pelos autores do PAHdb, expondo a direta relação entre complexidade e eficácia dos métodos comparados. Ainda assim, os resultados obtidos foram satisfatórios. Uma vez que as bandas de emissão desta molécula, em comparação com dados espectroscópicos, permitem inferir a presença da mesma em galáxias ativas, como Seyfert 1, Seyfert 2 e Starburst.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rosiane Carneiro Da Rosa, Universidade Federal do Rio Grande

Rosiane Carneiro da Rosa é Graduada em Física pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Farroupilha - Campus São Borja (2019). Mestranda em Física na Universidade Federal do Rio Grande e possui foco de suas pesquisas na área de astroquímica, atuando principalmente nas pesquisas em moléculas complexas e simulações computacionais.

Dinalva Aires de Sales, Universidade Federal do Rio Grande

Dinalva Aires de Sales é Graduada em Matemática pela Universidade do Vale do Paraíba (2005), Mestre em Física e Astronomia pela Universidade do Vale do Paraíba (2007) e Doutora em Física pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2012). Foi NASA Postdoctoral Fellow no Rochester Institute of Technology (2012/2013) e pós-doutoranda da DOCFIX-FAPERGS/CAPES na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2013/2016). Tem experiência na área de Astrofísica, atuando principalmente nos seguintes temas: núcleo ativo de galáxia, galáxias em interação, moléculas complexas, espectroscopia e imageamento. Atualmente é professora adjunta do Instituto de Matemática, Estatística e Física (IMEF) da Universidade Federal do Rio Grande (IMEF-FURG) e Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Física (PPG-Física) do IMEF-FURG.

Carla Martinez Canelo, Universidade de São Paulo

Carla Martinez Canelo é Graduada em Física pela Universidade de São Paulo (2013). Também é Mestra (2016) e Doutora (2020) em Astronomia pela mesma instituição. Possui experiência na área de Astronomia, com ênfase em Astrobiologia e Astroquímica, e em divulgação científica.

Brenda Matoso Abreu Miranda, Universidade Federal do Rio Grande - FURG

Brenda Matoso Abreu Miranda é Graduada em Física pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Farroupilha - Campus São Borja (2017). Especialista em Docência do Ensino Superior pela Universidade Anhanguera (2019) e Mestra em Física pela Universidade Federal do Rio Grande - FURG (2020).

Downloads

Publicado

2021-08-05

Como Citar

[1]
R. C. Da Rosa, D. A. Sales, C. M. Canelo, e B. M. A. Miranda, “Análise computacional do hidrocarboneto aromático policíclico antraceno e sua aplicação na astroquímica”, Cad. Astro., vol. 2, nº 2, p. 132, ago. 2021.