A AUTOCONFRONTAÇÃO COMO DISPOSITIVO PARA A PRODUÇÃO DE SABERES SOBRE O TRABALHO DOCENTE

Autores

  • Deivis Perez Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho/UNESP - campus Assis http://orcid.org/0000-0003-1316-0284
  • Carla Messias Secretaria de Estado da Educação de Mato Grosso (SEDUC/MT)

Resumo

Este artigo discute o uso do dispositivo autoconfrontação em investigações sobre o trabalho docente realizadas por pesquisadores da Linguística Aplicada, em particular, pelos estudiosos do grupo de pesquisa Análise de Linguagem, Trabalho Educacional e suas Relações (ALTER) que desenvolveram as suas atividades entre 2003 e 2013, sob a liderança da professora doutora Anna Rachel Machado da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo/PUC-SP. O artigo apresenta a autoconfrontação, suas origens, referências teóricas, fases e movimentos que devem ser seguidos na sua aplicação. Em seguida, buscou-se examinar o uso da autoconfrontação em teses de doutorado e dissertações de mestrado produzidas no contexto do ALTER. Ao final, são apresentadas as limitações na utilização do dispositivo verificadas nas pesquisas do grupo e, também, o seu significativo legado para a Linguística Aplicada e para as Ciências do Trabalho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Deivis Perez, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho/UNESP - campus Assis

Deivis Perez é doutor em Educação pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) e professor doutor no Programa de Pós-Graduação em Psicologia da UNESP - câmpus Assis.

Carla Messias, Secretaria de Estado da Educação de Mato Grosso (SEDUC/MT)

Carla Messias é doutorado em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e pela Universidade de Genebra-Suiça e atua como professora na Secretaria de Estado da Educação de Mato Grosso (SEDUC/MT).

Downloads

Publicado

2019-05-14