NEOLIBERALISMO E EDUCAÇÃO DE LÍNGUAS ESTRANGEIRAS

Autores

  • Daniel de Mello Ferraz Universidade Federal do Espírito Santo

Resumo

Resumo: Segundo Said (2007), o neoliberalismo aprisionou o mundo com suas garras, com graves consequências para a democracia e o meio ambiente, consequências que não podem ser subestimadas nem deixadas de lado. Portanto, discutir o neoliberalismo significa problematizar essa lógica que tem aprisionado o mundo com garras potentes e tem naturalizado disparidades sociais e práticas educacionais. São muitos os exemplos da potência e presença da educação neoliberal: há algumas décadas, as instituições têm se voltado para o mercado de trabalho, por meio da busca de ranqueamos, do incentivo de uma educação para certificação (profissional, internacional, de proficência linguística) e por meio da fragmentação do conhecimento e dos currículos. Neste artigo, investigo como se dá a relação entre a língua inglesa e a sociedade por meio dos discursos de alunos e professores do ensino médio de uma escolar técnica e de uma faculdade de tecnologia, ambas as instituições do governo do estado de São Paulo. Percebe-se que o ensino e a aprendizagem de língua inglesa nestes contextos se voltam para uma educação mormente neoliberal.

Palavras-chave: Neoliberalismo. Educação neoliberal. Ensino/aprendizagem de língua inglesa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniel de Mello Ferraz, Universidade Federal do Espírito Santo

Daniel de M. Ferraz é formado em Letras-Inglês pela PUC-SP, mestre em Estudos Linguísticos e Literários em Inglês pela Universidade de São Paulo e Doutor em Letras-Inglês pela Universidade de São Paulo. Realiza pós-doutorado na mesma instituição. É professor do Departamento de Línguas e Letras e do Programa de Pós-Graduação em Estudos Linguísticos da Universidade Federal do Espírito Santo. 

Downloads

Publicado

2019-05-14