CONSTRUÇÃO VERBO + LOCATIVO (VLOC)

UMA ANÁLISE CENTRADA NO USO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.47456/cl.v14i28.30870

Palavras-chave:

Linguística Funcional Centrada no Uso, Gramática de Construções, Construção VLoc

Resumo

Neste artigo, descrevemos os padrões instanciados pela construção VLoc procedural e analisamos as propriedades formais e funcionais que os caracterizam numa amostra do português brasileiro contemporâneo. Partimos da hipótese de que esses padrões só podem ser captados se levarmos em consideração o uso da língua em situação efetiva de comunicação, como defende a Linguística Funcional Centrada no Uso. Para tanto, recorremos a 40 entrevistas disponíveis no Banco de Dados do Projeto A Brasília que não lê (BORTONI-RICARDO, 2009). Por meio de pressupostos da Gramática de Construções (GOLDBERG, 1995; CROFT, 2001; TRAUGOTT; TROUSDALE, 2013; entre outros), explicamos que verbo e locativo evidenciam uma forte integração das subpartes e formam um pareamento de forma e sentido, passando a atuar no nível pragmático-discursivo, ora como modalizador, ora como marcador discursivo. Além disso, são usados para direcionar a dinâmica interacional: ora o foco está no falante, indicando subjetividade, ora no interlocutor, evidenciando intersubjetividade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Alice Linhares Costa, Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC)

Mestra em Letras: Linguagens e Representações pela Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC) com financiamento da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); graduada em Letras - Língua Portuguesa, Língua Inglesa e suas respectivas literaturas pela mesma instituição.

Gessilene Silveira Kanthack, Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC)

Doutora e mestra em Linguística pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC); graduada em Letras pela Universidade Federal de Viçosa (UFV). Realiza estágio de pós-doutorado na Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB). É professora do curso de Letras, do Programa de Pós-Graduação em Letras: Linguagens e Representações e do Mestrado Profissional em Letras da Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC).

 

Valéria Viana Sousa, universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB)

Doutora em Letras (Linguística e Língua Portuguesa) pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB); especialista em Língua Portuguesa pela PUC-MG; graduada em Letras pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB). É professora do Programa de Pós-Graduação em Linguística e do Mestrado Profissional em Letras da UESB.

 

Referências

BORTONI-RICARDO, S. M. A Brasília que não lê. 2009. Disponível em: http://www.stellabortoni.com.br/index.php/projetos/a-brasilia-que-nao-le/category/20-banco-de-dados. Acesso em: mai. 2019.

BYBEE, J. Language, usage and cognition. Cambridge: Cambridge University Press, 2010.

CROFT, W. Radical construction grammar: syntactic theory in typological perspective.

Oxford: Oxford University Press, 2001.

FURTADO DA CUNHA, M. A.; BISPO, E. B.; SILVA, J. R. Linguística Funcional Centrada no Uso: conceitos básicos e categorias analíticas. In: CEZÁRIO, M. M.; FURTADO DA CUNHA, M. A. (Orgs.). Linguística Centrada no Uso: uma homenagem a Mário Martelotta. Rio de Janeiro: Mauad X: FAPERJ, 2013. p.13-39.

GOLDBERG, A. Constructions: A Construction Grammar Approach to Argument Structure.

Chicago: The University of Chicago Press, 1995.

NEVES, M. H. M. Gramática de usos do português. São Paulo: Editora UNESP, 2000.

OLIVEIRA, M. R.; SANTOS, L. P. Padrões de uso da expressão sei lá no português. Signótica, Goiânia, v. 23, n. 2, p. 363-384, 2011. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/sig/article/view/17529. Acesso em: mar. 2020.

ROSA, F. S. As expressões espera aí e espera lá na perspectiva da gramaticalização. 2012. Dissertação (Mestrado em Estudos de Linguagem) – Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2012.

ROSÁRIO, I. C.; OLIVEIRA, M. R. Funcionalismo e a abordagem construcional da gramática. ALFA, São Paulo, v. 60, n. 2, p. 233-259, 2016. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/alfa/article/view/8007/5854. Acesso em: abr. 2018.

TEIXEIRA, A. C. M. Padrões de uso de vá lá e vamos lá na norma brasileira do português: micro-construções e gramaticalização. 2010. Dissertação (Mestrado em Letras) – Instituto de Letras, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2010.

TEIXEIRA, A. C. M. Construção verbal marcadora discursiva VLocMD: uma análise funcional centrada no uso. 2015. Tese (Doutorado em Estudos de Linguagem) – Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2015.

TRAUGOTT, E. C.; DASHER, R. Regularity in semantic change. Cambridge: Cambridge University Press, 2002.

TRAUGOTT, E. C.; TROUSDALE, G. Constructionalization and constructional changes.

Oxford: Oxford University Press, 2013.

Downloads

Publicado

2020-10-14