Da interpretação à compreensão

análise discursiva de textos em mídias digitais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.47456/cl.v15i31.35125

Palavras-chave:

Compreensão, Interpretação, Análise discursiva

Resumo

O presente artigo contempla a temática da compreensão e da interpretação, sob novos olhares contemporâneos. O trabalho trata da relação entre os componentes internos e os componentes externos ao enunciado, consoante princípios de teorias da enunciação. Em uma parte inicial, apresenta-se a dinâmica interacional do ato de comunicação, entre sujeitos sociais e discursivos, regido por bases contratuais; depois, discute-se a função dos saberes de conhecimento e dos saberes de crença como fonte para a criação dos imaginários sociais e discursivos. Com base na noção de que compreender é uma operação mais globalizante e que interpretar consiste em um conjunto de operações inferenciais, faz-se uma abordagem mais atual do conceito de inferência, a partir dos dois tipos propostos por Charaudeau (2019): inferência centrípeta interna ou estrutural e inferência centrífuga externa, ou situacional e interdiscursiva. Ao final, propõe-se uma aplicação das noções teóricas apresentadas, por meio de uma análise dos variados tipos de inferência presentes em um corpus de mídia digital.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Aparecida Lino Pauliukonis , Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Professora Titular de Língua Portuguesa da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Atua no Programa de Letras Vernáculas, na linha de pesquisa Semântica e Análise do discurso. Membro do Grupo de Pesquisa CIAD- Rio.

Beatriz dos Santos Feres , Universidade Federa Fluminense (UFF)

Professora Associada de Língua Portuguesa da Universidade Federal Fluminense. Atua no Programa de Pós-Graduação em Estudos da Linguagem da mesma universidade. É líder do Grupo de Pesquisa Leitura, fruição e ensino (Leifen – CNPq) e membro do Ciad-Rio.

Lúcia Helena Martins Gouvêa, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Professora Associada de Língua Portuguesa da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Atua no Programa de Pós-Graduação de Letras Vernáculas, na linha de pesquisa Semântica e Análise do Discurso. Coordena, desde 2017, o Círculo Interdisciplinar de Análise do Discurso (Ciad-Rio).

Patricia Ferreira Neves Ribeiro, Universidade Federal Fluminense (UFF)

Mestre e doutora em Letras pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e Professora Associada de Língua Portuguesa da Universidade Federal Fluminense, vinculada ao Programa de Pós-Graduação em Estudos da Linguagem. É vice-líder do GP LeiFen/CNPq e membro do Ciad-Rio.

Rosane Santos Mauro Monnerat, Universidade Federal Fluminense (UFF)

Professora Titular do Curso de Letras da Universidade Federal Fluminense. Atua no Programa de Pós-Graduação em Estudos da Linguagem, na Linha de Pesquisa Estudos do Texto, do Discurso e da Tradução.

Referências

AUSTIN, J. L. Quand dire, c’est faire. Paris: Éditions du Seuil, 1970. p. 96-100.

BAKHTIN, M. Marxismo e Filosofia da Linguagem. São Paulo: Editora Hucitec, 1981.

BAKHTINE, M. Esthétique de la création verbale. Paris: Gallimard, 1984.

BARTHES. R. Le texte: de la théorie à la recherche. Paris: Seuil, 1972.

BENVENISTE, É. O aparelho formal da enunciação. In: BENVENISTE, E. Problemas de linguística geral II. 2. ed. Campinas: Pontes, 2006. p. 81-90.

CALCANHOTO, A. Carioca. Álbum: A Fábrica do Poema, 1994.

CAPA do jornal Extra. Extra, Rio de Janeiro, 5 maio, 2020. Disponível em: https://extra.globo.com/capas-jornal-extra/2020-05-60-24430846.html?mesSelecionado=Mai&ano=2020. Acesso em: 17 jul. 2020.

CAPA do jornal Meia Hora. Meia Hora, Rio de Janeiro, 19 de abril, 2016.

CHARAUDEAU, P. Compreensão e interpretação. Interrogações em torno de dois modos de apreensão do sentido nas ciências da linguagem. 2019. Disponível em: https://ciadrj.letras.ufrj.br/. Acesso em: 16 out. 2020.

CHARAUDEAU, P. Compréhension et interpretation: interrogations autour de deux modes d’appréhension du sens dans les sciences du langage In: ACHARD-BAYLE, G; GUÉRIN, M; KLEIBER; G.; KRYLYCHIN, M. (Orgs.). Les sciences du langage et la question de l’interprétation (aujourd’hui). Limoges, Les Éditions Lambert-Lucas: 2018. p. 21-55.

CHARAUDEAU, P. Os estereótipos, muito bem. Os imaginários, ainda melhor. Trad. André Luiz Silva e Rafael Magalhães Agrisano. Entrepalavras, Fortaleza, v. 7, p. 571-591, 2017.

CHARAUDEAU, P. Linguagem e discurso: modos de organização. Trad. Angela M. S. Corrêa et alii. São Paulo: Contexto, 2008.

CHARAUDEAU, P. Discurso político. São Paulo: Contexto, 2006a.

CHARAUDEAU, P. Discurso das mídias. São Paulo: Contexto, 2006b.

CHARAUDEAU, P. El contrato de comunicación en una perspectiva lingüística: Normas psicosociales y normas discursivas. Opcion, Maracaibo, v. 22, n. 49, p. 38-54, 2006c.

CHARAUDEAU. P. Les conditions de compréhention du sens du discours. In: Anais do I Encontro Franco-brasileiro de Análise do discurso. Rio de Janeiro, CIAD-Rio/UFRJ, 1995, p. 9-16.

CHARAUDEAU, P. Grammaire du sens et de l´éxpression. Paris: Hachette, 1992.

GENETTE, G. Seuils. Paris: Éditions du Seuil, 1987.

JODELET, D. (Org.). Representações sociais: um domínio em expansão. In: JODELET, D. As representações sociais. Trad. Lilian Ulup. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2001.

MEDEIROS, M. Confie em Deus, mas tranque o carro. In: Revista O Globo. Rio de Janeiro: Globo, 08/11/2009.

MOSCOVICI, S. Representações sociais: investigações em psicologia social. Editado em inglês por Gerard Duveen; Trad. Pedrinho A. Guareschi. 11 ed. Petrópolis: Vozes, 2015.

SANTAELLA, L. Produção de linguagem e ideologia. São Paulo: Cortez Editora, 1980.

SEARLE, J. R. Les actes de langage. Essai de philosophie du langage. Paris: Hermann Éditeurs des Sciences et des Arts, 1996. p. 83-91.

SPERBER, D.; WILSON, D. Relevance: communication and cognition. Oxford: Basil Blackwell, 1986.

Downloads

Publicado

2021-10-03