SIMILARIDADE LINGUÍSTICA ENTRE PORTUGUÊS E ESPANHOL: EFEITOS NA PRODUÇÃO DE FALA EM L2

Autores

  • Elena Ortiz Preuss Universidade Federal de Goiás – UFG

Resumo

Este artigo apresenta um estudo que visava verificar os efeitos da similaridade entre espanhol e português na produção de fala em L2, levando em consideração a hipótese de sobrecarga atencional (COSTA, SANTESTEBAN & IVANOVA, 2006) provocada pela similaridade entre as línguas. Para isso, foram analisados os dados de bilíngues português-espanhol e espanhol português, em tarefas de nomeação de desenhos na L2. Os participantes tinham que ignorar as palavras distratoras, correspondentes aos nomes dos desenhos na L1, que apareciam antes da imagem. As análises levaram em consideração os tempos de reação (TR) e a acurácia das respostas, com o propósito de identificar a existência de correlação entre as variáveis. A similaridade linguística, nesse contexto, foi observada pelo uso de vocábulos cognatos, não cognatos e falso-cognatos. Os resultados mostraram que não houve correlação entre TR e acurácia, somente entre TR e status cognato das palavras, ou seja, a velocidade de funcionamento dos mecanismos de acesso e produção lexical na L2 é afetada pelo status cognato das palavras. Por outro lado, a falta de correlação entre TR e acurácia pode ser uma evidência de que a similaridade entre as línguas não garante produção mais rápida e acurada na língua-alvo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elena Ortiz Preuss, Universidade Federal de Goiás – UFG

Professora adjunto do Departamento de Línguas e Literaturas Estrangeiras, área de Espanhol, e do Programa de Pós-graduação em Letras e Linguística, da Faculdade de Letras, da UFG. Doutora em Estudos da Linguagem, pela UFRGS (2011), realizou estágio pós-doutoral no Departamento de espanhol e português da Georgetown University (2013).

Downloads

Publicado

2014-08-17