OS DISCURSOS DE PROTESTO NAS MANIFESTAÇÕES DA COPA DAS CONFEDERAÇÕES NO BRASIL

Autores

  • Micheline Mattedi Tomazi Universidade Federal do Espirito Santo
  • Raquelli Natale Universidade Federal do Espirito Santo

Resumo

Neste artigo, propomos a análise de cartazes presentes nas manifestações sociais de brasileiros, durante a Copa das Confederações, em 2013, que retomam o discurso da canção Pra não dizer que não falei das flores, de Geraldo Vandré, produzida na Ditadura Militar. Com base na teoria sociocognitiva, de van Dijk (2001; 2010; 2011; 2012), especialmente no conceito de contexto, buscamos compreender como ocorre a retomada de textos em contextos distintos e como são construídos os diferentes efeitos de sentido em cada cartaz por meio das experiências dos sujeitos manifestantes no momento da interação. Os resultados evidenciam que a construção das estruturas discursivas não é influenciada somente pela situação comunicativa de interação, mas pelos modelos de contexto que cada indivíduo constrói diante de determinado evento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Micheline Mattedi Tomazi, Universidade Federal do Espirito Santo

Professora doutora do Departamento de Línguas e Letras da Universidade Federal do Espírito Santo – UFES – Vitória, Espírito Santo, Brasil.

Raquelli Natale, Universidade Federal do Espirito Santo

Mestranda em Estudos Linguísticos pela Universidade Federal do Espírito (UFES), bolsista CAPES, membro do Grupo de Estudos sobre Discurso Midiático (GEDIM/UFES) e membro do Grupo de Estudos sobre a Articulação do Discurso (GEArtD/UFMG).

Downloads

Publicado

2014-08-17