REDUÇÃO VOCÁLICA EM BELO HORIZONTE

Autores

  • Marlúcia Maria Alves Universidade Federal de Uberlândia

Resumo

O objetivo desta pesquisa é analisar a produção e a variação das vogais médias em posição pretônica nos nomes no dialeto de Belo Horizonte considerando os fatores linguísticos favorecedores e o processo fonológico de redução vocálica. A posição inicial de palavra associada ao travamento silábico por /S/ ou à formação de sílaba nasalizada favorece a elevação, de modo categórico. Favorecem também a elevação a consoante nasal labial precedente, para as vogais anteriores, e as consoantes labial e velar precedentes, para as vogais posteriores. Foi considerado o corpus POBH (2000). A redução vocálica também é estudada conforme a Teoria da Otimalidade (PRINCE; SMOLENSKY, 1993; MCCARTHY; PRINCE,1993), modelo de análise gramatical cujos principais objetivos são estabelecer as propriedades universais da linguagem e caracterizar os limites possíveis da variação linguística. O ranqueamento parcial de restrições, que estabelece várias hierarquias, cada uma selecionando o melhor candidato em termos de variação é investigado. Além disso, a caracterização por meio de traços fonológicos para as vogais médias é considerada. Os traços [alto] e [ATR] atuam em conjunto para a distinção dos segmentos vocálicos médios e altos no português brasileiro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marlúcia Maria Alves, Universidade Federal de Uberlândia

Possui graduação em Letras - Língua Portuguesa pela Universidade Federal de Minas Gerais (1992), graduação em Letras - Língua Francesa pela Universidade Federal de Minas Gerais (1995), mestrado em Linguística pela Universidade Federal de Minas Gerais (1999) e doutorado em Linguística pela Universidade Federal de Minas Gerais (2008). Atualmente atua como Professor Adjunto 3 DE na graduação e na pós-graduação no Instituto de Letras e Linguística da Universidade Federal de Uberlândia. Também é sócia da Associação Brasileira de Lingüística, membro do Grupo de Estudos Linguísticos do Estado de SP, sócia da Associação dos Professores de Francês de Minas Gerais e membro da Sociedade Brasileira de Fonética. Tem experiência na área de Lingüística, com ênfase em Teoria e Análise Linguística e Fonologia, atuando principalmente nos seguintes temas: vogais médias, variação linguística, processos fonológicos e teoria da otimalidade.

Publicado

2014-12-31