Oswald de Andrade: devorador do sátiro nietzschiano

Autores

  • Ivan Risafi de Pontes UFPA

Resumo

O presente artigo problematiza a recepção do pensamento estético e filosófico de Friedrich Nietzsche pelo modernista e pensador Oswald de Andrade. Para tanto, demonstrar-se-á a incorporação da transvaloração de todos os valores pelos personagens conceituais Sátiro e Sileno. A análise do espectro da ambiguidade e da ambivalência inerentes aos seus corpos possibilitará, por sua vez, a contextualização da afirmação da vida, bem como do pathos e da conditio humana presentes na obra dos dois pensadores. Nessas, reconhecemos, por fim, a vontade de vida e uma incorporação do mundo constituídas na luta entre a visão apolínea e dionisíaca do homem, que encontram sua expressão filosófica no cerne da ação devoradora própria das pulsões e da fisiologia tanto do sátiro nietzschiano como do homem antropofágico oswaldiano. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2020-07-10

Edição

Seção

Artigos