Ressignificando o não-lugar durante a pandemia Covid-19: homens, mulheres e crianças em situação de rua em São José dos Campos/SP, Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.47456/geo.v1i33.35528

Palavras-chave:

população em situação de rua; não-lugar; Covid-19; planejamento urbano e regional.

Resumo

O artigo tem como tema a territorialidade da população em situação de rua durante a pandemia da COVID-19.  O objetivo principal consiste em apontar questões referentes à condição vivida pelas pessoas em situação de rua do município de São José dos Campos/SP, considerando o uso dos espaços públicos como forma de sobrevivência. Propõe-se  uma discussão a partir da teoria de Marc Augé sobre o “não-lugar” discutida à luz de uma análise etnográfica dos lugares ocupados por estas pessoas em situação de rua. As considerações finais deste artigo indicam para uma ressignificação dos espaços ocupados, principalmente os de passagem como ruas, rodoviárias e praças, pela população em situação de rua. Verifica-se que estes homens, mulheres e crianças agem de maneira à transformação dos "não-lugares" da modernidade em lugares de disputa e significação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marília Goulart Silva, Universidade do Vale do Paraíba

Possui graduação em Serviço Social pela Universidade do Vale do Paraíba (2013) , Mestrado em Serviço Social pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUC/SP (2018). É doutoranda do programa de Pós graduação em Planejamento Urbano e Regional (PLUR) da Universidade do Vale do Paraíba - Univap. Tem experiência na área de Serviço Social, com ênfase em Serviço Social, atuando principalmente com políticas públicas voltadas a população em situação de rua. Principal área de estudo: Serviço Social, planejamento urbano e regional e políticas públicas.

Lidiane Maria Maciel, Universidade do vale do Paraíba

Possui Graduação em Ciências Sociais pela Universidade Federal de São Carlos (2009), mestrado (2012) e doutorado (2016) em Sociologia pela Universidade Estadual de Campinas. Realizou estágio Sanduíche na Université de Paris - Ouest Nanterre (2014-2015) e é Pós-doutora pelo Departamento de Sociologia da Universidade Estadual de Campinas na área de técnicas e métodos de pesquisa social (2017). Docente-pesquisadora na Faculdade de Educação e Arte, da Universidade do Vale do Paraíba (UNIVAP) e do Programa de Pós-graduação em Planejamento Regional e Urbano (PLUR IP&D UNIVAP). Pesquisadora do Projeto Temático FAPESP Observatório das migrações no Estado de São Paulo (NEPO/UNICAMP, coordenado pela Profa.  Dra. Rosana Baeninger). Atualmente desenvolve um projeto de pesquisa regular no Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento (IP&D UNIVAP) com o título: deslocamentos (I) migratórios ocupações, desocupações e realocação de população na Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte e Região Metropolitana de São Paulo. Como área de estudo inclui-se: Sociologia urbana, demografia/estudos populacionais e Planejamento Regional e Urbano. É coordenadora do Núcleo de Extensão Pesquisa-ação e Cartografias Sociais da Universidade do Vale do Paraíba (NEPACS/UNIVAP).

Adriane Aparecida Moreira de Souza, Universidade do vale do Paraíba

Possui graduação em Geografia pela Universidade do Vale do Paraíba (1997); mestrado em Planejamento Urbano e Regional pela Universidade do Vale do Paraíba (2000) e Doutorado em Geografia Humana pela Universidade de São Paulo (2008). Atualmente, atua na Universidade do Vale do Paraíba como docente da Graduação e Coordenadora do Curso de Geografia e como docente e pesquisadora do Programa de Pós-Graduação em Planejamento Urbano e Regional. No período de 11/2015 a 01/2019 foi Coordenadora do Curso de Mestrado em Planejamento Urbano e Regional. Desde 01/2019 é Coordenadora do Curso de Doutorado em Planejamento Urbano e Regional. Desenvolve estudos que envolvem os seguintes temas: espaço urbano, especialização produtiva e interações espaciais.

Referências

AUGÉ, Marc. Não lugares: introdução a uma antropologia da supermodernidade. Campinas: Papirus, 1994.

CABRAL, Luciana Francisca. A rua no imaginário social. Scripta Nova. Revista eletrónica de geografía y ciencias sociales, Vol. IX, nº 194, 1 de agosto de 2005.

CARLOS, Ana Fani . A cidade. 8.ed. São Paulo: Contexto, 2005

CARLOS, Ana Fani. O lugar do/no mundo. São Paulo: FFCLH, 2007.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano: artes de fazer. Petrópolis: Vozes, 1998.

DAMATTA, Roberto. Carnavais, malandros e heróis: para uma sociologia do dilema brasileiro. Rio de Janeiro: Rocco. 1997a.

DAMATTA, Roberto. A casa & a rua: espaço, cidadania, mulher e morte no Brasil. Rio de Janeiro: Rocco. 1997b.

DANTAS, Mônica Lúcia Gomes. et al. Construção de políticas públicas para população em situação de rua no município do Rio de Janeiro: limites, avanços e desafios. Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca. 2007. [Tese de doutorado]. Fundação Oswaldo Cruz. Rio de Janeiro.

FRANGELLA, Simone Miziara. Corpos urbanos errantes: uma etnografia da corporalidade de moradores de rua em São Paulo. 2004. [Tese de Doutorado] Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH). Unicamp. Campinas, SP.

GIDDENS, Anthony. As consequências da modernidade. São Paulo: Unesp, 1991.

GONÇALVES, Márcio Augusto. Organização e funcionamento do SUS. Florianópolis: Departamento de Ciências da Administração/UFSC; Brasília: CAPES: UAB, 2014.

GOULART, Marília. Vida nas ruas: políticas e despolíticas. 2018. [Dissertação mestrado] Programa de Pós-graduação em Serviço Social. PUC/SP. São Paulo. SP.

HARVEY, David. O problema da Globalização. Revista Novos Rumos. n. 27 (13), pp.1-9.1998.

HINO, Paula; SANTOS, Jaqueline de Oliveira. ROSA, Anderson da Silva. Pessoas que vivenciam situação de rua sob o olhar da saúde. Revista Brasileira de Enfermagem, Vol. 71, pp.732-740, 2018.

IPEA – INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA. Nota Técnica –Estimativa da população em situação de rua no Brasil – setembro de 2012 a março de 2020. Atlas de vulnerabilidade social dos municípios brasileiros. Brasília: Ipea, 2015. n.73. 2020.

IPEA – INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA. Nota Técnica –População em situação de rua em tempos de pandemia: um levantamento de medidas municipais emergenciais. Atlas de vulnerabilidade social dos municípios brasileiros. Brasília: Ipea, 2015. n.74. 2020.

KNOWLES, Caroline. Nas trilhas de um Chinelo: Uma jornada pelas vias secundárias da globalização. São Paulo: Annablume, 2017.

KOJIO, Nadia Csoknyai del Monte. Políticas Públicas de Patrimônio em São José dos Campos. 2009. [Dissertação de mestrado]. Programa de Pós-graduação em Planejamento Urbano e Regional. Universidade do Vale do Paraíba (UNIVAP). São José dos Campos.

LEFEBVRE, Henri. Da cidade à sociedade urbana. In: A revolução urbana. 3 ed. Belo Horizonte, Ed.UFMG, 1999.

LILLEBYE, Einar. Architectural and functional relationships en street planning: an historical view. Landscape and Urban Planning. v 35 , p. 85-105. 1996.

MACIEL, Lidiane Maria; SILVA, Marília Goulart; SOUZA, Adriane A. M. A população em situação de rua diante da pandemia: um estudo de caso ampliado entre São José dos Campos/SP e São Paulo/SP. GC - Revista Nacional de Gerenciamento de Cidades. vol .08, n.63, p. 205-225. 2020.

MBEMBE, Achille. Necropolítica: biopoder, soberania, estado de exceção, política da morte. Tradução Renata Santini. São Paulo: N 1 edições, 2018.

MTE - MINISTÉRIO do Trabalho e Emprego. Dados e Estatísticas. Disponível em São José em Dados -Prefeitura de São José dos Campos (sjc.sp.gov.br). Acesso em: 14 de maio de 2021.

PAIVA, Irismar Karla. Sarmento et al. Direito à saúde da população em situação de rua: reflexões sobre a problemática. Ciência & Saúde Coletiva, v. 21, p. 2595-2606, 2016.

PLANO DIRETOR.Leitura técnica do Município para revisão do Plano Diretor. Disponível em:http://planodiretor.sjc.sp.gov.br/resources/uploads/EstudoTecnico/Anexo/PD_VOLUME_1_C7_REGIOES_URBANAS.pdf. Acesso em: 06 de maio de 2021.

SASSEN, Saskia. Sociologia da Globalização. Porto Alegre: Artmed, 2010.

SA, Teresa. Lugares e não lugares em Marc Augé. Tempo soc. São Paulo , v. 26, n. 2, p. 209-229, Dec. 2014 .

SANTOS, Boaventura de Souza Santos; MENESES, Maria Paula. Epistemologias do sul. [org]. São Paulo: Cortez, 2010.

SANTOS, Boaventura de Sousa. A Cruel Pedagogia do Vírus. Coimbra, Edições. ALMEDINA, S.A. 2020.

SANTOS, Milton. Por uma outra globalização: do pensamento único à consciência universal. 3 ed. Rio de Janeiro: Record, 2000.

SANTOS, Milton. A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. 4. ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2004.

SEADE. Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados. Disponível em:https://www.seade.gov.br/coronavirus/#. Acesso em 23 de abril de 2021.

SILVA, Antonio Carlos Oliveira da; SANTOS, Leonardo Silva; KUMAGAE, Killian. Et. Al. A Cidade e seus significados: Olhares subjetivos sobre São José dos Campos. GUIMARÃES. Antonio Carlos; ZANETTI, Valéria. São José dos Campos: cotidiano, gênero e representação. São José dos Campos, SP: UNIVAP, 2014.

Downloads

Publicado

2021-12-15

Como Citar

GOULART SILVA, M. .; MARIA MACIEL, L.; MOREIRA DE SOUZA, A. A. . Ressignificando o não-lugar durante a pandemia Covid-19: homens, mulheres e crianças em situação de rua em São José dos Campos/SP, Brasil. Geografares, [S. l.], v. 1, n. 33, p. 60–83, 2021. DOI: 10.47456/geo.v1i33.35528. Disponível em: https://www.periodicos.ufes.br/geografares/article/view/35528. Acesso em: 17 maio. 2022.