Regulação melodramática e políticas de visibilidade nas telenovelas brasileiras

Autores

  • Juliana Ribeiro Pinto Bravo Universidade Federal Fluminense / PUC-RJ.

Resumo

O presente artigo tem o objetivo de analisar como a popularização do melodrama na América Latina impulsionou uma proposta patriarcal burguesa conservadora perante a representação dos personagens desenvolvidos nas histórias. Dessa forma, pretende-se compreender a origem das regulações de gêneros e sexualidades evidentes na teledramaturgia brasileira, visto que a telenovela é um gênero derivado da estrutura melodramática. Paralelamente, a teoria queer surge no fim dos anos 1980 para contestar a heteronormatividade presente nas sociedades com o intuito de romper com os privilégios consequentes dos binarismos de gêneros. Não por menos, a ideologia melodramática contida nas telenovelas estaria de acordo com um projeto pedagógico em relação a valores, ética e moral.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Juliana Ribeiro Pinto Bravo, Universidade Federal Fluminense / PUC-RJ.

Mestranda em Comunicação pela Universidade Federal Fluminense. Graduada em Cinema e Audiovisual pela Universidade Federal Fluminense. Integrante dos grupos de pesquisa “Entelas”(UFF) e “Cinema, Televisão, Literatura: Interseções” (PUC-RIO).

Downloads

Publicado

2016-08-10

Edição

Seção

ARTIGOS