As agruras do habitar nas cidades fílmicas de Gustavo Taretto

Autores

  • Aline Aparecida de Souza Vaz

Resumo

O presente estudo tem como objetivo analisar os filmes Medianeras (2011) e Las Insoladas (Gustavo Taretto; 2015), olhando para a transposição cinematográfica da cidade de Buenos Aires. Pressupõe-se que na falta de identificação com o local as personagens não se apropriam das paisagens da cidade, mas são enclausuradas pela arquitetura que não acolhe, mas oprime. Ambas as Buenos Aires, de Medianeras e de Las Insoladas, fecham as personagens em si mesmas, sugerem imaginários produtores de insegurança e mal-estar, causando uma rede de conflitos: a limitação do habitar e do mergulho na cidade; sugerindo novos modos de ser e estar, deslocando as personagens para o lugar do desejo e da frustração, em uma relação com imagens de consumo que projetam possíveis futuros e evidenciam o presente e a ausência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2017-09-01

Edição

Seção

TEMÁTICA LIVRE