O Fundo Público e a superexploração do trabalho no Brasil

Autores

  • Renata Gomes da Costa Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Serviço Social da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Professora do curso de Serviço Social da Universidade Federal do Mato GrossoS Mestre em Serviço Social, Trabalho e Questão Social

DOI:

https://doi.org/10.22422/2238-1856.2017v17n34p77-99

Resumo

O presente artigo analisa a relação entre fundo público e a superexploração do trabalho no Brasil. O fundo público é uma mediação decisiva no capitalismo, por possuir uma função central no processo de valorização ao participar de forma direta e indireta da produção de mais-valia. O objetivo do trabalho é particularizar esses elementos na realidade brasileira a luz da Teoria Marxista da Dependência (TMD), a fim de realizar as mediações necessárias que expliquem as contradições, limites e possibilidades do financiamento das políticas sociais no capitalismo dependente.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AMARAL, M.S. Uma nova fase do capitalismo e um novo padrão de dependência na América Latina? – Elementos para uma investigação. VI Colóquio Internacional Marx e Engels, promovido pelo Centro de Estudos Marxistas – CEMARX/IFCH-UNICAMP, Campinas 2009. Disponível em< https://www.ifch.unicamp.br/formulario_cemarx/selecao/2009/trabalhos/uma-nova-fase-do-capitalismo--elementos-para-uma-investig.pdf> Acesso em: 10 de julho de 2016.

BAMBIRRA, V. O capitalismo dependente latino-americano. 3 ed. Florianópolis: Insular, 2015.
BEHRING, E. R. Política Social no contexto da crise capitalista. In: Serviço Social: direitos Sociais e competências profissionais. Brasília: CFESS/ABEPSS, 2009.

BEHRING, E. R. Crise do capital, fundo público e valor. In: Capitalismo em crise, política social e direitos. São Paulo: Cortez, 2010.

______. Rotação do capital e crise: fundamentos para compreender o fundo público e a política social. In: Financeirização, fundo público e política social. São Paulo: Cortez, 2012.

BOSCHETTI, I. Assistência Social e trabalho no capitalismo. São Paulo: Cortez, 2016.
DIEESE. Reforma Trabalhista: riscos e perdas impostos pelo PL 6.787/2016 aos trabalhadores e ao movimento sindical. 2017. In: https://www.dieese.org.br/outraspublicacoes/2017/reformaTrabalhistaSintese.pdf. Acesso em: 10/06/2017
FERNANDES, F. A Revolução Burguesa no Brasil: ensaio de interpretação sociológica. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1976.
FONTES, V. O Brasil e o capital imperialismo: teoria e história. 2. ed. Rio de Janeiro: EPSJV/Editora UFRJ, 2010.
GALEANO, E. As veias abertas da América Latina. 8 ed. Rio de Janeiro: Paz e terra, 1979.
KATZ, C. Neoliberalismo, neodesenvolvimentismo, socialismo. São Paulo: Expressão Popular: Perseu Abramo, 2016.
LUCE, M. S. A superexploração da força de trabalho no Brasil: evidências da história recente. In: Desenvolvimento e dependência: cátedra Ruy Mauro Marini, Brasília: Ipea, 2013.
MARINI, R. A dialética da dependência, 1973. In: TRASPADINI, R; STEDILE, J.P. Ruy Mauro Marini, 2. Ed. São Paulo: Expressão Popular, 2011.
OSORIO, J. Fundamentos da Superexploração. In: Desenvolvimento e dependência: cátedra Ruy Mauro Marini, Brasília: Ipea, 2013.

Downloads

Publicado

2017-12-29