VIOLÊNCIA DE GÊNERO, POLÍTICAS PÚBLICAS PARA O SEU ENFRENTAMENTO E O PAPEL DO SERVIÇO SOCIAL.

Autores

  • Teresa Kleba Lisboa Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.22422/2238-1856.2014v14n27p33-56

Resumo

Neste artigo, apresenta-se a temática da violência de gênero, com seus diferentes desdobramentos: violência doméstica, violência contra a mulher, violência intrafamiliar, entre outras. A violência de gênero tem sido definida como uma relação de poder e de permanente conflito, principalmente no lócus familiar, demandando atendimento, encaminhamentos, orientação, informação, recursos e capacitação por parte dos profissionais que trabalham com essa questão, particularmente assistentes sociais, psicólogos, profissionais da área da saúde bem como os da área jurídica. Reflete-se sobre a complexidade das questões que envolvem o enfrentamento da violência contra a mulher chamando a atenção para o papel do Estado na garantia de políticas públicas que perpassam diferentes áreas. Ressalta-se que o papel das/dos Assistentes Sociais é fundamental junto a essa questão. Questiona-se por que a maioria dos cursos de Serviço Social (no Brasil) não insere em seus currículos conteúdos que preparam os profissionais para trabalhar com situações de violência. Por fim, propõe-se um trabalho interdisciplinar destacando o papel do Serviço Social no atendimento das usuárias.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Teresa Kleba Lisboa, Universidade Federal de Santa Catarina

Professora do Departamento de Serviço Social e do Programa de Pós Graduação Interdisciplinar em Ciências Humanas da Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis/SC.

Referências

AMORÓS, Célia. Diez palabras clave sobre Mujer. España: Navarra, 1995.

BOURDIEU, Pierre. A dominação masculina. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1999.

BRASIL. Presidência da República. Secretaria de Políticas para as Mulheres. Plano Nacional de Políticas para as Mulheres. Brasília: Secretaria de Políticas para as Mulheres, 2013.

CASIQUE, Irene. El complejo vinculo entre empoderamiento de la mujer y violência de género. In: CASTRO, Roberto; CASIQUE, Irene (Ed.). Estudios sobre cultura, género y violência contra las mujeres. Cuernavaca: UNAM; Centro Regional de Investigaciones Multidisciplinarias, 2007. p. 231-259.

FEMENÍAS, María Luisa. Esbozo de un feminismo latinoamericano. Revista Estudos Feministas, v. 15, n. 01, p. 11-25, jan./abr. 2007.

FERRER, Diana Valle. Espacios de liberdad: mujeres, violência domestica y resistencia. Buenos Aires: Espacio, 2011. Capítulo II – Raíces de la violência contra las mujeres: perspectivas teóricas. p. 37-68.

FOUCAULT, Michel. História da Sexualidade: a vontade de saber, v. I. 15. ed. Rio de Janeiro: Graal, 1988.

HUACUZ ELIAS, María Guadalupe. Violencia de Género o Violencia Falocentrica? variaciones sobre um sis/tema complexo. México: Instituto Nacional de Antropologia y Historia, 2009. (Coleción Cientifica, 546, Serie Antropologia).

LAGARDE, Marcela. Género y feminismo: desarrollo humano y democracia. Madrid: Horas & Horas, 1996.

______. Una Mirada feminista en el umbral del milenio. Costa Rica: Instituto de Estudios de la Mujer; Universidad Nacional, 1999.

LAMAS, Marta (Compil.). El Género: la construcción cultural de la diferencia sexual. México: Programa Universitario de Estudios de Género; Universidad Autónoma de México, 2003.

MANUEL, Teresa San Segundo (directora). Violencia de género: una visión multidisciplinar. Madrid: Editorial Centro de Estudios Ramón Aceres, 2008.

RODRIGUEZ, María Elena. Hijas de la igualdad, herederas de injusticias. Madrid: Narcea, 2008.

SCOTT, Joan. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Revista Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 20, n. 2, jul./dez. 1995.

VELÁZQUEZ, Susana. Violências Cotidianas, Violência de Gênero: escutar, compreender, ajudar. Buenos Aires: Paidós, 2006.

Downloads

Publicado

2014-08-30