DETERMINAÇÕES DO RACISMO NO MERCADO DE TRABALHO: IMPLICAÇÕES NA “QUESTÃO SOCIAL” BRASILEIRA

Autores

  • Tereza Cristina Santos Martins Universidade Federal de Sergipe - UFS

DOI:

https://doi.org/10.22422/2238-1856.2014v14n28p113-132

Resumo

Este artigo analisa o racismo no mercado de trabalho. Trata-se de uma pesquisa teórica que partiu dos processos sociais reais da sociedade brasileira para apreender as determinações do racismo. Ao determinar o “lugar” do(da) negro(a) na informalidade, no desemprego e nas relações de trabalho precárias, o racismo limitou/impediu os(as) trabalhadores(as) negros(as) de participarem da constituição política da “questão social”. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tereza Cristina Santos Martins, Universidade Federal de Sergipe - UFS

Assistente Social,docente do Departamento de Serviço Social da Universidade Federal de Sergipe (UFS), doutora em Serviço Social pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

Referências

ANDERSON, J. La Feminizacion de La Pobreza en América Latina. Lima: Red Entre Mujeres, 1994.

ANDREWS, G. R. Negros e Brancos em São Paulo (1888-1988). São Paulo: EDUSC, 1998.

BAIRROS, L. Mulher Negra: o reforço da subordinação. In: LOVELL, Peggy (Org.). Desigualdades Sociais no Brasil Contemporâneo. Belo Horizonte: UFMG/CEDEPLAR, 1991.

BALTAR, P. E.; PRONI, M. W. Sobre o Regime de Trabalho no Brasil: rotatividade da mão de obra, emprego formal e estrutura salarial. In: OLIVEIRA, C. A. B; MATTOSO, J. E. L. (Org.) Crise e Trabalho no Brasil: modernidade ou volta ao passado? São Paulo: Scritta, 1996.

BATISTA, M. A. R.; GALVÃO, O. M. R. Desigualdade racial no mercado de Trabalho brasileiro. Estudos Afro-Asiáticos, Rio de Janeiro, n. 23, dez. 1992.

BOSCHETTI, I. Seguridade social e Trabalho. Brasília: Letras Livres/UNB, 2006.

BRUSCHINI, C; LOMBARDI, M. R. Mulheres e homens no mercado de trabalho brasileiro: um retrato dos anos 1990. In: MARUANI, M; HIRATA, H. (Org.). As novas fronteiras da desigualdade: homens e mulheres no mercado de trabalho. São Paulo: Senac, 2003. p. 323-356.

CANO, W. Desequilíbrios Regionais no Brasil: alguns pontos controversos. In: BELLUZZO, L. G. de M.; COUTINHO, R. (Org.). Desenvolvimento Capitalista no Brasil: ensaios sobre a crise. 4. ed. Campinas: UNICAMP; Instituto de Economia, 1998. v. 2.

FERNANDES, F. A Revolução Burguesa no Brasil: ensaio de interpretação sociológica. 5. ed. São Paulo: Globo, 2006.

HASENBALG, C. Discriminação e Desigualdades Raciais no Brasil. 2. ed. Belo Horizonte: UFMG; Rio de Janeiro: IUPERJ, 2005.

IAMAMOTO, M. V. O Serviço Social na Contemporaneidade: trabalho e formação profissional. São Paulo: Cortez, 2001.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. Indicadores Sociais Municipais: uma análise dos resultados do universo do censo demográfico 2010. Rio de Janeiro, 2011.

KERGOAT, D. Divisão sexual do trabalho e relações de sexo. In: MARLI, E. et al. (Org.). Trabalho e cidadania ativa para as mulheres. São Paulo: Coordenadoria Especial da Mulher, 2003.

KOWARICK, L. Trabalho e Vadiagem: a origem do trabalho livre no Brasil. 2. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1994.

LESSA, S. Mundo dos Homens: trabalho e ser social. São Paulo: Boitempo, 2002.

LUCENA, M. F. G. Saúde, Gênero e Violência: um estudo comparativo Brasil/França sobre a saúde da mulher negra. Recife: Editora da UFPE, 2010.

LUKÁCS, G. Ontologia do Ser Social: os princípios ontológicos fundamentais em Marx. São Paulo: Ciências Humanas, 1979.

MANDEL, E. Introdução ao Marxismo. 4. ed. Porto Alegre: Movimento, 1982.

MARTINS, T. C. S. Racismo no mercado de trabalho: limites à participação dos trabalhadores negros na constituição da “questão social” no Brasil. Recife: UFPE. Tese de Doutorado, 2012.

_____. Racismo, questão social e serviço social: elementos para pensar a violação de direitos no Brasil. Revista Inscrital, Brasília, Ano 10, n. 14, p. 10-17, dez. 2013.

MARX, K. O Capital: crítica da economia política. Livro I. Tradução de Reginaldo Sant’Anna. 25. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2008.

MATTOSO, J. E. A desordem do trabalho. São Paulo: Scritta, 1995.

MÉSZÁROS, I. Desemprego e Precarização: um grande desafio para a esquerda. In: ANTUNES, R (Org.). Riqueza e Miséria do Trabalho no Brasil. São Paulo: Boitempo, 2006.

NETTO, J. P. Cinco Notas a Propósito da “Questão Social”. Revista Temporalis, Brasília, ano 2, n. 3, p. 41-49, jan./jul. 2001.

PAIXÃO, M.; CARVANO, L. M. Relatório Anual das Desigualdades Raciais no Brasil; 2007 – 2008. Rio de Janeiro: Garamond, 2008.

POCHMANN, M. Desempregados do Brasil. In: ANTUNES, R. (Org.). Riqueza e Miséria do Trabalho no Brasil. São Paulo: Boitempo, 2006.

PORCARO, R. M. Desigualdade Racial e Segmentação do Mercado de Trabalho. Estudos Afro-Asiáticos, Rio de Janeiro, n. 15, jun. 1988.

SAFFIOTI, H. I. B. Gênero, patriarcado, violência. São Paulo: Perseu Abramo, 2004.

SANTOS, W. G. Cidadania e Justiça: a política na ordem brasileira. 2. ed. Rio de Janeiro: Campus, 1987.

Downloads

Publicado

2014-11-30