A arquitetura do Império Romano: uma discussão das construções da Bitínia na correspondência entre Plínio, o Jovem e Trajano

Autores

  • Alex Aparecido da Costa Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Estadual de Maringá

DOI:

https://doi.org/10.17648/rom.v0i17.33866

Palavras-chave:

Império Romano, Administração provincial, Construções, Integração, Relações de poder

Resumo

Um dos aspectos importantes de coesão do Império Romano era o urbanismo. As cidades eram espaços de afirmação da ordem social romana, sobretudo de suas camadas dirigentes. Nas províncias, a administração, por meio de um pacto com as elites, promovia construções de obras que respaldavam o poder local e o poder imperial. Expressões destacadas dos processos de integração do Império Romano, esses esforços eram marcados pela complexidade das relações de poder entre o centro e a periferia do mundo romano. Neste artigo, discutiremos a presença desses elementos nas cartas de Plínio, o Jovem, e Trajano acerca da administração da província romana da Bitínia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Documentação textual

PLINE LE JEUNE. Lettres Livre X. Panégyrique de Trajan. Texte établi et traduit par Marcel Durry. Paris: Les Belles Lettres, 2002.

PLINIO EL JOVEN. Cartas. Introducción, traducción y notas de Julián González Fernández. Madrid: Editorial Gredos, 2005.

Obras de apoio

ANDO, C. Imperial ideology and provincial loyalty in the Roman Empire. Berkeley: University of California Press, 2000.

BUSTAMANTE, R. M. C. Práticas culturais no Império Romano – entre a unidade e a diversidade. In: MENDES, N. M.; SILVA, G. V. (org.). Repensando o Império Romano: perspectiva socioeconômica, política e cultural. Rio de Janeiro: Mauad, 2006, p. 109-136.

CORTÉS COPETE, J. M. Paideía e Imperio: una reflexión sobre el valor de la cultura como fundamento del dominio imperial. Anuario de Historia virtual, año 6, n. 8, p. 10-30, 2015.

CORTÉS COPETE, J. M. Polis romana. Hacia un nuevo modelo para los griegos del Imperio. Studia Historica, v. 23, p. 413-437, 2005.

EVANGELIDIS, V. Agoras and fora: developments in the central public space of the cities of Greece during the Roman period. The Annual of the British School at Athens, v. 109, p. 335-356, 2015.

FRANCO PEREIRA, G. E. El Aqua Traiana. El control de las aguas urbanas en la estrategia del poder imperial. In: CERQUEIRA, F. et al. (org.). Saberes e poderes no Mundo Antigo. Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra, 2013, p. 217-228.

GUARINELLO, N. L. Ordem integração e fronteiras no Império Romano. Um ensaio. Mare nostrum, n. 1, p. 113-127, 2010.

LEVICK, B. Pliny in Bithynia – and what followed. Greece & Rome, v. XXVI, n. 2, p. 119-131, 1979.

REVELL, L. Constructing romanitas. Theoretical Roman Archaeology Conference, v. 98, p. 52-58, 1999.

REVELL, L. Roman imperialism and local identities. Cambridge: Cambridge University Press, 2009.

SHERWIN-WHITE, A. N. The Letters of Pliny: a historical and social commentary. Oxford: Oxford University Press, 1998.

VEYNE, P. Pão e circo: sociologia histórica de um pluralismo político. São Paulo: Editora Unesp, 2015.

WOOLF, G. Cultural change in Roman Antiquity: observations on agency. Kodai, v. 14, p. 157-167, 2004.

ZUIDERHOEK, A. The politics of munificence in the Roman Empire: citizens, elites and benefactors in Asia Minor. New York: Cambridge University Press, 2009.

Downloads

Publicado

2021-09-25

Como Citar

COSTA, A. A. da. A arquitetura do Império Romano: uma discussão das construções da Bitínia na correspondência entre Plínio, o Jovem e Trajano. Romanitas - Revista de Estudos Grecolatinos, [S. l.], n. 17, p. 124–140, 2021. DOI: 10.17648/rom.v0i17.33866. Disponível em: https://www.periodicos.ufes.br/romanitas/article/view/33866. Acesso em: 20 jan. 2022.

Edição

Seção

Tema livre