Mães Solteiras: representação feminina nos filmes J Horror

Autores

  • Filipe Falcão Universidade Federal de Pernambuco

Resumo

Formatado a partir do lançamento do filme Ringu, de 1998, o horror japonês contemporâneo, ou J Horror, tornou-se uma forma de endereçamento fílmica para o Ocidente. Ao mesmo tempo, as tramas orientais com fantasmas também trazem simbolicamente diversas possibilidades de leituras sobre questões políticas, sociais e de gênero. A forma de como a mulher é vista na sociedade japonesa pode reverberar nestas produções fílmicas, o que torna ainda mais interessante analisar estas obras. Aqui, através de Reiko Asakawa, protagonista de Ringu, além de personagens coadjuvantes e de outros filmes J Horror, é possível entender um pouco da questão de gênero em um país muitas vezes dividido entre o tradicional e o moderno.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Filipe Falcão, Universidade Federal de Pernambuco

Doutorando do Programa de Pós Graduação da Universidade Federal de Pernambuco. Especialista em Jornalismo Cultural pela Universidade Católica de Pernambuco e Mestre em Comunicação pela Universidade Federal da Paraíba. Autor do livro Fronteiras do medo: quando Hollywood refilme o horror japonês, lançado em 2015 pela editora Estronho.

Downloads

Publicado

2016-08-10

Edição

Seção

ARTIGOS