Sobre o conceito de capital financeiro

Autores

  • Mauricio de Souza Sabadini Universidade Federal do Espírito Santo (UFES).

DOI:

https://doi.org/10.22422/2238-1856.2015v15n30p71-92

Resumo

A obra O Capital financeiro (1910) de Rudolf Hilferding influenciou autores clássicos e contemporâneos acerca de várias temáticas na Economia e nas Ciências Sociais. Vivemos em um período histórico onde os entrelaçamentos entre a produção e as finanças estão cada vez mais fortes e complexos e onde os movimentos financeiros especulativos interferem fortemente na dinâmica da acumulação. Historicamente, as novas formas de poder econômico, a ascensão de novos atores financeiros, a forma de apropriação do excedente econômico, o esgotamento da livre-concorrência, o aumento da concentração de capital, requerem uma (re) leitura e um “novo olhar” interpretativo sobre contribuições de autores clássicos como Hilferding. Para tentar captar algumas dessas contribuições à luz de nossa realidade, este artigo tem por objetivo fazer uma (re) leitura do conceito de Capital financeiro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mauricio de Souza Sabadini, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES).

Doutorado em Economia pela Université Paris 1 Panthéon-Sorbonne. Professor do Departamento de Economia e do Programa de Pós-Graduação em Política Social (PPGPS) da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). Tutor do grupo PET-Economia/Ufes (Sesu-MEC).

Referências

CARCANHOLO, Reinaldo A.; SABADINI, Mauricio de S. Sobre o capital e a mais-valia. In: ______. (Org.). Capital: essência e aparência. São Paulo: Expressão Popular, 2011. v. 1.

DELILEZ, Jean-Pierre. Accumulation, capital financier, monopolisme. Révue économique, v. 21, n. 5, p. 799-827, 1970.

DUMENIL, Gérard. ; LÉVY, Dominique. Le néolibéralisme sous hégémonie états-unienne. La finance mondialisée: racines sociales et politiques, configuration, conséquences. Paris: Éditions la Découverte, 2004.

GERMER, Claus M. Dinheiro, capital e dinheiro de crédito: o dinheiro segundo Marx. 1995. 278 f. Tese (Doutorado em Economia)- Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1995.

GONÇALVES, Reinaldo. A dominação do capital financeiro no Brasil. Revista da Sociedade Brasileira de Economia Política, Rio de Janeiro, n. 19, p. 25-43, 2006.

GUILLÉN, Arturo. La notion des capital financiero em Hilferding y su importância para la comprensión des capitalismo contemporâneo. Análisis, n. 8, p. 1-7, enero-abril 2011a.

______. Claves para el análisis del capitalismo contemporâneo. Análisis, n. 8, p. 46-54, enero-abril 2011b.

HARVEY, David. Los límites del capitalismo y la teoría marxista. México: Fondo de Cultura Econômica, 1990.

HILFERDING, Rudolf. O capital financeiro. São Paulo: Nova Cultural, 1985.

HUSSON, Michel. Finance, hyper-concurrence et reproduction du capital. La finance capitaliste. Paris: Presses Universitaires de France, 2006.

______. La baisse tendancielle de la part salariale. 2007. Disponível em: <http://hussonet.free.fr/parvabis.pdf> Acesso em: 21 mar. 2015.

KLAGSBRUNN, Vitor H. Considerações sobre a categoria dinheiro de crédito. Ensaios FEE, Porto Alegre, v. 13, n. 2, p. 592-615, 1992.

LAPAVITSAS, Costas. Financialised capitalism: direct exploitation and periodic bubbles. 2008. (Mimeo). Disponível em: <http://www.leftlibrary.com/lapavitsas1.pdf>. Acesso em: 8 fev.2012.

LÊNIN, Vladimir I. Imperialismo, fase superior do capitalismo. São Paulo: Global, 1979.

MARQUETTI, Adalmi; MALDONADO FILHO, Eduardo; LAUTERT, Vladimir. The rate of profit in the brazilian economy, 1953-2003. In. CONGRÈS MARX INTERNATIONAL, 5, Université de Paris X Nanterre, 2007. Actes... Paris, 2007. Disponível em: <http://netx.u-paris10.fr/actuelmarx/cm5/index5.htm> Acesso em; 20 dez. 2012.

MARX, Karl. O capital. São Paulo: Abril Cultural, 1984. V. III, Tomo I.

______. O capital. São Paulo: Abril Cultural, 1985. V. III, Tomo II.

MOLLO, Maria de Lourdes Rollemberg. Monnaie, valeur et capital fictif. 1989. Tese (Doutorado em Economia)- Université Paris X, Nanterre, 1989.

MORIN, François. Le nouveau mur de l’argent: un essai sur la finance globalisée. Paris: Éditions Seuil, 2006.

PALLOIX, Christian. Rudolf Hilferding: des avances novatrices. Cahiers d’économie politique, n. 51, p. 265-285, 2006.

PIERRE, Matari. El capital financiero de Hilferding: legado y lecciones para el análisis contemporáneo. Memoria, n. 246, p. 40-47, sept. 2010. Disponível em: <http://www.academia.edu/7989575/El_Capital_financiero_de_Hilferding_centenario> Acesso em: 19 jul. 2011.

PINTO, Nelson Prado A. O capital financeiro na economia contemporânea: uma revisão teórica e histórica de seu papel no desenvolvimento recente dos Estados Unidos. 1994. 172 f. Tese (Doutorado em Economia)- Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1994.

______. O capitalismo financeiro. Crítica Marxista, São Carlos, v. 1, t. 5, p. 9-26, 1997.

SABADINI, Mauricio de Souza. Le capital fictif et ses effets sur la macroéconomie et sur le monde du travail au Brésil. Tese (Doutorado em, Université Paris 1 – Panthéon Sorbonne, Centre d’Économie de la Sorbonne (CES), 2008. Disponível em: <https://tel.archives-ouvertes.fr/tel-00354467/en/> Acesso em: 27 abr. 2012.

______. Especulação financeira e capitalismo contemporâneo: uma proposição teórica a partir de Marx. Economia e Sociedade, Campinas, v. 22, n. 3 (49), p. 583-608, dez. 2013.

______. O capital fictício e suas formas: lucros de fundador, diferencial e fictício. In: GOMES, Helder (Org.). Especulação e lucros fictícios: formas parasitárias da acumulação contemporânea. São Paulo: Outras Expressões, 2015.

SWEEZY, Paul. Teoria do desenvolvimento capitalista: princípios de economia política marxista. São Paulo: Abril Cultural, 1983.

Downloads

Publicado

2016-01-08