O PROJETO DE FORMAÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL E AS INFLEXÕES DO PENSAMENTO PÓS-MODERNO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22422/2238-1856.2016v16n31p189-218

Resumo

O presente artigo versa sobre o projeto de formação do Serviço Social e as mediações que se fazem presentes para sua objetivação, com destaque para a análise dos influxos teórico-culturais do pensamento pós-moderno. Objetiva refletir acerca dos rebatimentos da pós-modernidade sobre a formação profissional e das possibilidades de reatualização do conservadorismo profissional e societário. Diante do confronto entre o aprofundamento da direção social crítica do projeto de formação e a retomada do conservadorismo, cabe o enfrentamento do pensamento pós-moderno e suas implicações teórico-metodológicas, ético-políticas e técnico-operativas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cleomar Campos da Fonseca, Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

Assistente Social, professora do Departamento de Serviço Social da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), mestre em Serviço Social pelo Programa de Pós-Graduação em Serviço Social da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e doutora em Serviço Social pelo Programa de Pós-Graduação em Serviço Social da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). E-mail: cleofonseca11@yahoo.com.br

Referências

ABESS; CEDEPSS. Diretrizes gerais para o Curso de Serviço Social (com base no currículo mínimo aprovado em Assembléia Geral Extraordinária, de 8 de novembro de 1996). In: Cadernos ABESS, São Paulo: Cortez, n. 7, p. 58-76, 1997.

AMARAL, A. S. do. Perfil das Unidades de Ensino. In: Pesquisa Avaliativa da Implementação das Diretrizes Curriculares do Curso de Serviço Social – Relatório Final – ABEPSS, São Luís, out., 2008. CD-ROM.

ANTUNES, Ricardo. Os Sentidos do Trabalho: ensaio sobre a afirmação e a negação do trabalho. 6.ed. São Paulo: Boitempo Editorial, 2002. (Coleção Mundo do Trabalho)

CARDOSO, F. G. A pesquisa na formação profissional do assistente social: algumas exigências e desafios. In: ¬Cadernos ABESS, n. 8, São Paulo: Cortez Editora, 1998, p. 27-32.

CFESS. Código de Ética do Assistente Social. Brasília: CFESS, 1993.
CISLAGHI, J. F. A formação profissional dos assistentes sociais em tempos de contrarreformas do ensino superior: o impacto das mais recentes propostas do governo Lula. Revista Serviço Social e Sociedade, São Paulo: Cortez, 2011, n. 106, abr./jun., p. 241-266.

GUERRA, Yolanda. A Instrumentalidade do Serviço Social. São Paulo: Cortez, 1995.
______. A formação profissional frente aos desafios da intervenção e das atuais configurações do ensino público, privado e à distância. Revista Serviço Social e Sociedade. São Paulo: Cortez, n. 104, p.715-736, out./dez., 2010.

IAMAMOTO, M.V; CARVALHO, Raul de. Relações Sociais e Serviço Social no Brasil: esboço de uma interpretação histórico-metodológica. 7 ed. São Paulo: Cortez, 1990.

NETTO, J. P. Ditadura e Serviço Social: uma análise do Serviço Social no Brasil pós-64. São Paulo: Cortez, 1991, p. 115-333.

______. Capitalismo Monopolista e Serviço Social. São Paulo: Cortez, 1992, p. 13-77.

______. Transformações societárias e Serviço Social: notas para uma análise prospectiva da profissão no Brasil. Revista Serviço Social e Sociedade, São Paulo: Cortez, n. 50, p. 87-132, 1996.

______. III CBAS: algumas referências para a sua contextualização. Revista Serviço Social e Sociedade, São Paulo: Cortez, n. 100, p. 650-678, 2009.

PONTES, R. N. Mediação: categoria fundamental para o trabalho do assistente social. In: Capacitação em Serviço Social e Política Social. Módulo 4: O trabalho do assistente social e as políticas sociais. Brasília: CEAD, 2000, p. 37-50.

SANTOS, Josiane Soares. Neoconservadorismo Pós-Moderno e Serviço Social Brasileiro. (Coleção “Questões da nossa época”; v. 132), São Paulo: Cortez, 2007, p. 17-120.

SILVA, M. O. S (coord). O Serviço Social e o Popular: resgate teórico-metodológico do projeto profissional de ruptura. São Paulo: Cortez, 1995, p. 23-70.

SILVA, R. S. A formação profissional crítica em Serviço Social inserida na ordem do capital monopolista. Revista Serviço Social e Sociedade, São Paulo: Cortez, n.103, p. 405-432, jul./set., 2010.

SIMIONATTO, I. Expressões ideoculturais da crise capitalista na atualidade e sua influência teórico-prática. In: Serviço Social: direitos sociais e competências profissionais. Brasília: CFESS/ABEPSS, 2009, p.87-106.

TAVEIRA, M. R. Refletindo a Formação Profissional dos Assistentes Sociais. 2009. p. 1-6. Disponível em: <www.socialsocial.com.br>. Acesso em: 10 nov.2009.

VÁZQUEZ, A. S. Filosofia da Práxis. Tradução: Maria Encarnación Moya. São Paulo: CLACSO; Expressão Popular, 2007, p. 219-264.

Downloads

Publicado

2017-02-13