PENSAMENTO PÓS-MODERNO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL EM SERVIÇO SOCIAL

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22422/2238-1856.2016v16n31p219-236

Resumo

O Serviço Social vem desenvolvendo discussões a respeito do pensamento pós-moderno, balizadas pelos que acreditam na importância de se tomar novos aportes teóricos para explicar as expressões da questão social e pelos que defendem que a utilização das ideias dos autores pós-modernos gera a deslegitimação da direção ético-política do projeto profissional ou a disputa pela hegemonia no interior deste projeto. Este trabalho corresponde a alguns aspectos das considerações teóricas realizadas em nossa dissertação de mestrado e objetiva apresentar os posicionamentos da literatura sobre a influência e a presença do pensamento pós-moderno no Serviço Social. Consoante a análise teórica, notamos que estes posicionamentos descrevem o pensamento pós-moderno como uma demonstração do neoconservadorismo profissional, ofensivo para o projeto ético-político do Serviço Social de teor marxista.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Yashmin Michelle Ribeiro de Araujo, Universidade Estadual do Ceará.

Graduada em Letras pela Universidade Federal do Ceará. Graduada em Serviço Social pela Universidade Estadual do Ceará. Estudante do Mestrado Acadêmico em Serviço Social, Trabalho e Questão social (MASS) da Universidade Estadual do Ceará. Membro do Laboratório de Pesquisas e Estudos em Serviço Social da UECE (LAPESS/UECE).

Cristiane Maria Marinho, Universidade Estadual do Ceará (UECE).

Pós-doutora em Filosofia da Educação pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Doutora em Educação Brasileira pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Professora Adjunta da Universidade Estadual do Ceará. 

Referências

ABESS. Associação Brasileira de Escolas de Serviço Social; CEDEPESS. Capacitação, Assessoria e Consultoria em Políticas Pública. Proposta básica para o projeto de formação profissional. Serviço Social & Sociedade, São Paulo, n. 50, ano XVII, p. 143-171, abr. 1996.

ABEPSS. Associação Brasileira de Ensino e Pesquisa em Serviço Social. Lei de diretrizes curriculares. Diretrizes Gerais para o Curso de Serviço Social (com base no currículo mínimo aprovado em Assembleia Geral Extraordinária de 8 de novembro de 1996). Rio de Janeiro, 1996. Disponível em: <http://www.cressrs.org.br/docs/Lei_de_Diretrizes_Curriculares.pdf>. Acesso em: 20 ago. 2015.

BARROCO, Maria Lucia Silva. Barbárie e neoconservadorismo: os desafios do projeto ético-político. Serviço Social & Sociedade, São Paulo, n. 106, p. 205-221, abr./jun. 2011.

______. Ética e serviço social: fundamentos ontológicos. 8. ed. São Paulo: Cortez, 2010.

BRASIL. Código de ética do/a assistente social: lei 8.662/93 de regulamentação da profissão. 10. ed. rev. e atual. Brasília: Conselho Federal de Serviço Social, 2012.

CANTALICE, Luciana B. de O. As incidências do pensamento pós-moderno na produção do conhecimento em Serviço Social. 2013. 245 f. Tese (Doutorado em Serviço Social) – Faculdade de Serviço Social, Universidade Estadual do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro. 2013.

IAMAMOTO, Marilda Vilela. A formação acadêmico-profissional no Serviço Social brasileiro. Serviço Social & Sociedade, São Paulo, n. 120, p. 609-639, out./dez. 2014.

______. O Serviço Social na contemporaneidade: trabalho e formação profissional. 19. ed. São Paulo: Cortez, 2010.

MANDEL, Ernest, 1923. O capitalismo tardio. Tradução de Carlos Eduardo Silveira Matos, Regis de Castro Andrade e Dinah de Abreu Azevedo. 2. ed. São Paulo: Nova Cultural, 1985. (Os economistas).

MARINHO, Cristiane Maria. Pensamento pós-moderno e educação na crise estrutural do capital. 2. ed. Fortaleza: EdUECE, 2015.

MOTA, Ana Elizabete. Espaços ocupacionais e dimensões políticas da prática do assistente social. Serviço Social & Sociedade, São Paulo, n. 120, p. 694-705, out./dez. 2014.

PAULA, João Antônio de. O marxismo e seus rebatimentos no Serviço Social. 1. A atualidade do marxismo. In: Cadernos ABESS: ensino em Serviço Social: pluralismo e formação profissional. São Paulo, n. 4, p. 64-75, nov. 1991.


PAULO NETTO, José Paulo. Capitalismo monopolista e Serviço Social. 4 ed. São Paulo: Cortez, 2011.

______. Ditadura e Serviço Social: uma análise do Serviço Social no Brasil pós-64. São Paulo: Cortez, 1991a.

______. O marxismo e seus rebatimentos no Serviço Social. 2. Notas sobre marxismo e Serviço Social, suas relações no Brasil e a questão do seu ensino. In: Cadernos ABESS n.4: ensino em Serviço Social: pluralismo e formação profissional. São Paulo, n.4, p. 76-96, nov. 1991b.

SANTOS, Josiane Soares. Neoconservadorismo pós-moderno e serviço social brasileiro. São Paulo: Cortez, 2007. (Coleção questões da nossa época; v. 132).

______. Pós-modernidade, neoconservadorismo e Serviço Social. Temporalis, Brasília-DF, Ano V, n. 10, p. 29-50, jul./dez. 2005.

SILVA, José Fernando Siqueira da. Serviço social: resistência e emancipação? São Paulo: Cortez, 2013.

SILVA, Maria das Graças Miranda Ferreira da. Marxismo, pluralismo e formação profissional do assistente social. Teoria Política & Social, João Pessoa, v.1, n. 1, p. 145-150, dez. 2008.

YAZBEK, Maria Carmelita. A dimensão política do trabalho do assistente social. Serviço Social & Sociedade, São Paulo, n. 120, p. 677-693, out./dez. 2014.

______. Os fundamentos históricos e teórico-metodológicos do Serviço Social brasileiro na contemporaneidade. In: CFESS, ABEPSS. Serviço Social: direitos sociais e competências profissionais. Brasília-DF, 2009.

Downloads

Publicado

2017-02-13