No fio da meada: um estudo acerca da precarização do trabalho na indústria têxtil

Autores

  • Hiago Trindade de Lira Silva

DOI:

https://doi.org/10.22422/2238-1856.2016v16n32p375-398

Resumo

Este texto pretende fornecer uma aproximação das contradições que marcam a realidade do operariado têxtil inserido na indústria potiguar “Casa de Costura”. Para tanto, além de proceder à revisão da literatura, estamos ancorados nos dados produzidos mediante realização de entrevistas semiestruturadas com o operariado fabril. O resultado de nossas incursões investigativas nos permite compreender as alterações processadas no âmbito da indústria estudada e elucidar como diferentes mecanismos de organização do espaço produtivo persistem no desenvolvimento das atividades, conformando um arranjo particular na gestão da força de trabalho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Hiago Trindade de Lira Silva

Doutorando em Serviço Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Referências

ALVES, Giovani. O novo (e precário) mundo do trabalho: reestruturação produtiva e crise do sindicalismo. São Paulo: Boitempo, 2005. (Coleção Mundo do Trabalho).

______. Trabalho e neodesenvolvimentismo: choque de capitalismo e nova degradação do trabalho no Brasil. Bauru: Canal 6, 2014.

ANTUNES, Ricardo. Os sentidos do trabalho: ensaio sobre a afirmação e a negação do trabalho. 10.ed. São Paulo: Boitempo, 2013. (Coleção Mundo do Trabalho).

CHESNAIS, François. A mundialização do capital. Tradução Silvana Finzi Foá. São Paulo: Xamã, 1996.

FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE. Guia industrial. [2016]. Disponível em: <http://guiaindustrial.fiern.org.br/cadusuario.php>. Acesso em: 17 ago. 2016.

GONZÁLEZ, Ana Izabel Á. As origens e a comemoração do dia internacional das mulheres. São Paulo: Expressão Popular, 2010.

GOUNET, Thomas. Fordismo e toyotismo na civilização do automóvel. São Paulo: Boitempo, 1999.

HARVEY, David. A condição pós-moderna. São Paulo: Loyola, 1992.

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E MEIO AMBIENTE. Pró-Sertão vai fixar 360 confecções no interior do Estado. 28 nov. 2013. Disponível em: <http://www.idema.rn.gov.br/Conteudo.asp?TRAN=ITEM&TARG=14552&ACT=null&PAGE=null&PARM=null&LBL=Projetos> Acesso em: 23 dez. 2015.

MANUAL DE IDENTIDADE. Fio da meada comunicação. [2012]. Disponível em: <http://fca.pucminas.br/verbo/wp-content/uploads/2012/09/Agencia-Fio-da-Meada-Manual-de-Identidade-.pdf>. Acesso em: 8 maio 2014.

MARX, Kal. O capital: crítica da economia política. Tradução de Reginaldo Sant'Anna. 13. ed. Rio de janeiro: Bertrand Brasil, 1989. (Livro 1, Volume 1).

MÉSZÁROS, István. Para além do capital: rumo a uma teoria da transição. Tradução de Paulo Cezar Castanheira e Sérgio Lessa. São Paulo: Boitempo, 2009.

PINTO, Geraldo Augusto. A organização do trabalho no século XX: taylorismo, fordismo e toyotismo. São Paulo: Expressão Popular, 2010.

SILVA, Hiago Trindade da Lira. No fio da meada: Um estudo acerca da precarização do trabalho na indústria têxtil. 2015. 268 f. Dissertação (Mestrado em Serviço Social)- Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2015.

______; GUERRA, Eliane Costa. Sobre amarras e grilhões: análise dos instrumentos de regulação do trabalho no âmbito da indústria têxtil “Casa de Costura”. Revista Universidade e Sociedade, Brasília-DF, n. 59, jan./jul. 2017. No prelo.

Downloads

Publicado

2017-02-26