Estágio supervisionado em serviço social: reflexões a partir da realidade da Universidade Federal de Juiz de Fora

Autores

  • Marina Monteiro de Castro e Castro Professora da graduação e pós-graduação da Faculdade de Serviço Social/Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Ana Maria Ferreira Professora da Faculdade de Serviço Social/Universidade Federal de Juiz de Fora

DOI:

https://doi.org/10.22422/2238-1856.2017v17n34p539-565

Resumo

O artigo apresenta análise dos relatórios de pesquisas realizadas na Faculdade de Serviço Social da Universidade Federal de Juiz de Fora nos anos de 2015/2016 que teve como objetivo avaliar o processo de supervisão de estágio e seus desafios contemporâneos. Foram levantadas questões acerca das condições de trabalho dos profissionais, características da política de estágio e sua contribuição para a formação e o trabalho profissional, bem como sobre a organização do processo de supervisão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ABEPSS. Diretrizes Gerais para os Cursos de Serviço Social. 1996.
________. Política Nacional de Estágio. Brasília, 2010.
BRASIL. Lei 11.788 de 25 de setembro de 2008. Brasília, 2008.
CFESS. Política de Educação Permanente do conjunto CFESS/CRESS. Brasília, 2012.
______. Resolução nº. 533. Conselho Federal de Serviço Social (CFESS). Brasília,
2008.
______. Resolução n°493. Conselho Federal de Serviço Social (CFESS). Brasília, 2006.
CRESS. Relatório das atividades da Comissão de Orientação e Fiscalização (COFI) do Conselho Regional de Serviço Social (CRESS) 6º região-seccional de Juiz de Fora do período de maio de 2011 a maio de 2012. CRESS, Juiz de Fora, 2012.
COMISSÃO ORIENTADORA DE ESTÁGIO. Pesquisa de acompanhamento do Estágio Supervisionado. Relatório de Pesquisa. Faculdade de Serviço Social. Coordenação de Estágio. Juiz de Fora: UFJF, 2015.
_____. Pesquisa com os alunos do estágio supervisionado. Relatório de Pesquisa. Faculdade de Serviço Social. Coordenação de Estágio. Juiz de Fora: UFJF, 2016.
FERREIRA, A. M; CASTRO, M. M.C. Fóruns de supervisão: fortalecimento da articulação entre universidade e campos de estágio. SANTOS, C. M et al (orgs). A Supervisão de Estágio em Serviço Social: aprendizados, processos e desafios. Lúmen Júris, p.173-189,2016.
GUERRA, Y. A categoria instrumentalidade do Serviço Social no equacionamento de “pseudos problemas” da/na profissão. Revista Construindo o Serviço Social. n 3. Bauru: Instituto de Pesquisas e Estudos/ Divisão Serviço Social, Faculdade de Serviço Social de Bauru, p. 9- 29, 2000.
_________.O projeto profissional crítico estratégia de enfrentamento das condições contemporâneas da prática profissional. Revista Serviço Social e Sociedade. n 91, ano XXVIII – especial. São Paulo: Cortez, p. 5-33, 2007.
_________. Serviço Social e dilemas da precarização e estratégias de enfrentamento. COSTA, G. et al (orgs). Crise contemporânea e Serviço Social. Editora EDUFAL, 2010.
IAMAMOTO, M. V. As dimensões ético - políticas e teórico – metodológicas no Serviço Social contemporâneo. In: MOTA, A et al. Serviço Social e Saúde – Formação e Trabalho Profissional. São Paulo: OPAS, OMS, Ministério da Saúde, 2006, p. 161 - 166.
__________.Serviço Social em tempo de capital fetiche: capital financeiro, trabalho e questão social. Editora Cortez, 2008.
_________. O Serviço Social na Contemporaneidade: trabalho e formação profissional. 4 ed. São Paulo: Cortez, 2001.
_________. 20 anos do livro Relações Sociais e Serviço Social no Brasil: uma leitura retrospectiva. Revista Temporalis. Suplemento. Brasília: ABEPSS, Grafline, p. 89-125, 2002.
PRATES, J. A questão dos instrumentais técnico-operativos numa perspectiva dialético crítica de inspiração marxista. Revista Virtual Textos e Contextos. n 2, p.1-8, PUC/RS, dez. 2003.
YACOUB, L. B. D; RIBEIRO, L. C. Emprego, desemprego e a precariedade do trabalho do assistente social. Revista Em Pauta. n°20, p.140-151, 2007.

Downloads

Publicado

2017-12-29