FORMAÇÃO PROFISSIONAL EM SERVIÇO SOCIAL EM NATAL/RN: DESAFIOS E PERSPECTIVAS

Autores

  • Taise Cristina Gomes Clementino Negreiros Universidade Federal do Rio Grande do Norte

DOI:

https://doi.org/10.22422/temporalis.2018v18n35p137-154

Resumo

Este artigo apresenta os principais resultados da Pesquisa de mestrado que teve por objetivo discutir a formação profissional do Assistente Social na cidade do Natal/RN. Esta teve por prisma o materialismo histórico-dialético e partiu da análise qualitativa dos dados obtidos através: de entrevistas com docentes e coordenadores dos cursos; grupo focal com discentes das instituições pesquisadas; análise dos Projetos Políticos Pedagógicos e das estruturas curriculares e; estudo bibliográfico do tema em questão. Concluímos que o atual contexto de contrarreforma do ensino superior brasileiro impõe diversos desafios ao processo de formação profissional pautado nos valores ético-políticos defendidos hegemonicamente pela categoria, sendo fundamental à sua defesa a denúncia dos ataques deferidos contra o ensino superior público e a busca por novas estratégias de lutas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Taise Cristina Gomes Clementino Negreiros, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Assistente Social, mestranda do Programa de Pós-Graduação em Serviço Social da UFRN

Referências

ABEPSS, Associação Brasileira de Ensino e Pesquisa em Serviço Social. Diretrizes gerais para o curso de Serviço Social. Rio de Janeiro: 1996.

ANHANGUERA-UNIDERP. Projeto Pedagógico do Curso de Serviço Social, 2012.

BOSCHETTI, I. O desenho das Diretrizes Curriculares e dificuldades na sua implementação. In: O Ensino do Trabalho Profissional: desafio para a afirmação das Diretrizes Curriculares. Revista Temporalis/ Associação Brasileira de Ensino e Pesquisa em Serviço Social. Ano. 4, n.8 (jun/dez. 2004). Porto Alegre:ABEPSS, Gráfica Odisséia, 2004 – 180p

BRASIL. Decreto nº 6.096, de 24 de abril de 2007. Institui o Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais – REUNI. Brasília: 2007.

_____ . Censo da Educação Superior. Brasília: 2014.

CFESS. Sobre a incompatibilidade entre graduação à distância e Serviço Social. Brasília: CFESS, 2011. Disponível em: www.cfess.org.br. Acesso em: 04/04/2012

_____. Resolução CFESS 533/2008. Regulamenta a Supervisão direta de estágio no Serviço Social. Brasília: CFESS, 2008. Disponível em: www.cfess.org.br

DAHMER, L. Mercantilização do Ensino Superior, Educação à Distância e Serviço Social. Revista Temporalis /Revista da Associação Brasileira de Ensino e Pesquisa em Serviço Social. Ano VIII, n15 (jan./ jun. 2008) – Estado e Educação Superior –Questões e Impactos no Serviço Social.

ENGUITA, Mariano. Trabalho, escola e ideologia. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 1993.

FERNANDES, Florestan. A universidade brasileira: reforma ou revolução? São Paulo: Alfa-Omega ed. 1975.

GUERRA, Y. A instrumentalidade do Serviço Social. São Paulo: Cortez, 2011. 9ªed.

IAMAMOTO, M. V. O Serviço Social na contemporaneidade: trabalho e formação profissional. 17ªed. São Paulo: Cortez, 2009.

KOSIK, K. Dialética do concreto; tradução de Célia Neves e Alderico Toríbio. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2011. 2ªed.
LEWGOY, A. M. B. Supervisão de estágio em Serviço Social: desafios para a formação e exercício profissional. 2ªed. São Paulo: Cortez, 2010.

LIMA, K. Contrarreforma da Educação Superior e formação profissional em Serviço Social. Revista Temporalis /Revista da Associação Brasileira de Ensino e Pesquisa em Serviço Social. Ano VIII, n15 (jan./ jun. 2008) – Estado e Educação Superior –Questões e Impactos no Serviço Social.

_____. Capitalismo dependente e “Reforma universitária consentida”: a contribuição de Florestan Fernandes para a superação dos dilemas educacionais brasileiros. Caxambu, 2006. Trabalho apresentado na 28ª Reunião Anual de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação. Disponível em: http://www.anped.org.br. Acesso em: 02 de junho de 2017.

MENDES, J. M. R.; PRATES, J. C. Algumas reflexões acerca dos desafios para a consolidação das diretrizes curriculares. Revista Temporalis/ Associação Brasileira de Ensino e Pesquisa em Serviço Social. Ano. 7, n.14 (jun/dez. 2007). Porto Alegre:ABEPSS, p. 175-197.

NETO, A. C. Projeto Político-Pedagógico/UFRN; Maria Doninha de Almeida (org.). Natal: EDUFRN, 2000. (Coleção Pedagógica; n.1).

NETTO, J. P. A construção do Projeto Ético-Político do Serviço Social. In_____: Serviço Social e Saúde: formação e trabalho profissional. São Paulo: Cortez, 2007.

RICHARDSON, Roberto Jarry. Pesquisa Social: métodos e técnicas. 3ª Ed. São Paulo: Atlas, 2008

SANTOS, C. M. Na prática a teoria é outra? Mitos e dilemas na relação entre teoria, prática, instrumentos e técnicas no Serviço Social. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2013. 3ªed.

SANTOS, C. M.; FILHO, R. S.; BACKX, S.. A dimensão técnico-operativa do Serviço Social: questões para a reflexão. In_____: A dimensão técnico-operativa no Serviço Social: desafios contemporâneos. Juiz de Fora: Ed, UFJF, 2012.

SGUISSARDI, V. Universidade brasileira no século XXI. São Paulo: Cortez, 2009.

UFRN. Projeto Pedagógico do Curso de Serviço Social da UFRN. Natal: agosto, 2000.

Downloads

Publicado

2018-06-30