PESQUISA E CONHECIMENTO DA REALIDADE NO SERVIÇO SOCIAL

Autores

  • Alessandra Ximenes da Silva Universidade Estadual da Paraíba (UEPB)
  • Thaísa Simplício Carneiro Matias Universidade Estadual da Paraíba
  • Mônica Barros da Nóbrega Universidade Estadual da Paraíba

DOI:

https://doi.org/10.22422/temporalis.2018v18n35p105-118

Resumo

Este artigo versa sobre a pesquisa e o conhecimento da realidade no Serviço Social, com o objetivo de analisar a trajetória histórica da pesquisa na área e sua relevância para fundamentar o exercício profissional. Trata-se de um ensaio teórico que prioriza o debate baseado nos fundamentos ontológicos do ser social, de modo articulado com os desafios e potencialidades na realidade contemporânea. O estudo ressalta que apesar do recente acúmulo teórico-metodológico, a profissão vem contribuindo para o desvelamento da realidade, inclusive para outras áreas do conhecimento, em uma perspectiva vinculada aos interesses da classe trabalhadora. Reafirma que a pesquisa e o conhecimento da realidade foram fundamentais para que o Serviço Social se consolidasse como área de conhecimento e como uma nova competência sociopolítica e teórico-instrumental, no sentido de apreender o movimento da realidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alessandra Ximenes da Silva, Universidade Estadual da Paraíba (UEPB)

Bacharel em Serviço Social, Mestre em Serviço Social e Doutora em Serviço Social pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Professora Efetiva do Departamento e Programa de Pós-Grasduação em Serviço Social da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB). Líder do Núcleo de Pesquisa em Política de Saúde e Serviço Social (NUPEPSS), coordenadora da pesquisa "Contrarreforma, intelectuais e Serviço Social: as inflexões na política de saúde".

Thaísa Simplício Carneiro Matias, Universidade Estadual da Paraíba

Bacharel em Serviço Social pela Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), Mestre em Serviço Social pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Doutoranda em Serviço Social pela Universdidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Professora Substituta da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), Pesquisadora do Núcleo de Pesquisa em Política de Saúde e Serviço Social (NUPEPSS) da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB).

Mônica Barros da Nóbrega, Universidade Estadual da Paraíba

Bacharel em Serviço Social e Mestre em Sociologia pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Doutora em Serviço Social pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Professora Efetiva do Departamento e Programa de Pós-Grasduação em Serviço Social da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB).Vice coordenadora do Grupo de Estudos  e Pesquisas sobre Trabalho e Proteção Social (GETRAPS) da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB).

Referências

ASSOCIAÇÃO Brasileira de Ensino e Pesquisa em Serviço Social – ABEPSS. Proposta básica para o projeto de formação profissional Documento ABESS/CEDEPSS (nov. 1995). Serviço Social e Sociedade. Nº 50. São Paulo: Cortez, 1996. p. 143-171.
BARROCO, Maria Lúcia S. Barbárie e neoconservadorismo: os desafios do projeto ético-político. Serviço Social e Sociedade. Nº 106. São Paulo: Cortez, 2011, p. 205-218.
______. Ética: fundamentos sócio-históricos. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2009. (Biblioteca Básica de Serviço Social; v. 4).
CARDOSO, Priscilla Fernanda Gonçalves. Ética e projetos profissionais: os diferentes caminhos do serviço social no Brasil. Campinas, SP: Papel Social, 2013.

CARLI, Ranieri. Fenomenologia e Questão Social: limites de uma filosofia. São Paulo: Papel Social, 2013.

FERNANDES, Florestan. A revolução burguesa no Brasil: ensaio de interpretação sociológica. 5. ed. São Paulo: Globo, 2005.
IAMAMOTO, Marilda Vilela. Renovação e conservadorismo no Serviço Social: ensaios críticos. 11. ed. São Paulo: Cortez, 2011.
______. Serviço Social em tempo de capital fetiche: capital financeiro, trabalho e questão social. São Paulo: Cortez, 2008.
IAMAMOTO, Marilda Vilela; CARVALHO, Raul de. Relações sociais e Serviço Social no Brasil: esboço de uma interpretação histórico-metodológica. São Paulo: Cortez, 1998.
MAZZEO, Antonio Carlos. Estado e burguesia no Brasil: origens da autocracia burguesa. São Paulo: Cortez, 1997.

MÉSZÁROS, István. A crise estrutural do capital. 2. ed. rev. e amp. São Paulo: Boitempo, 2011.
MONTAÑO, Carlos. A natureza do serviço social: um ensaio sobre a sua gênese, a “especificidade” e sua reprodução. São Paulo: Cortez, 2007.

MORAES, Carlos Antônio de Souza. A particularidade da dimensão investigativa na formação e prática profissional do assistente social. Serviço Social e Sociedade. nº 122. São Paulo: Cortez, 2015, p. 294-316.
MOTA, Ana Elizabete. Serviço Social brasileiro: insurgência intelectual e legado político. In: SILVA, Maria Liduína de Oliveira e (Org.). Serviço Social no Brasil: história de resistências e de ruptura com o conservadorismo. São Paulo: Cortez, 2016. p. 165-182.
______. Serviço Social brasileiro: profissão e área de conhecimento. Revista Katálysis. Vol. 16. nº esp. Florianópolis/SC, 2013, p. 17-27.
______. Questão Social e Serviço Social um debate necessário. O mito da assistência social: ensaios sobre Estado, Política Social e Sociedade. 2. ed. rev. e amp. São Paulo: Cortez, 2008. p. 21-57.
______. Cultura da crise e seguridade social: um estudo sobre as tendências da previdência e da assistência social brasileira nos anos 80 e 90. São Paulo: Cortez, 2005.
NETTO, José Paulo. Uma face contemporânea da barbárie. In: BRAZ, Marcelo (Org.). José Paulo Netto. Ensaios de um marxista sem repouso. São Paulo: Cortez, 2017. p. 56-88.
______. Introdução ao método na teoria social. In: Conselho Federal de Serviço Social (CFSS); Associação Brasileira de Ensino e Pesquisa em Serviço Social (ABEPSS). Serviço Social: direitos Sociais e competências profissionais. Brasília, DF: CFESS/ABEPSS, 2009a. p. 667-700.
______. A construção do Projeto Ético-Político do Serviço Social. In: MOTA, Ana Elizabete et al. (Org.). Serviço Social e saúde: formação e trabalho profissional. 4. ed. São Paulo: Cortez; OPAS; OMS; Ministério da Saúde, 2009b. p. 141-160.
______. Capitalismo monopolista e Serviço Social. São Paulo: Cortez, 2007.
______. Ditadura e Serviço Social: uma análise do serviço social no Brasil pós-64. São Paulo: Cortez, 2004.
NEVES, Lúcia Maria Wanderley. (Org.). Direita para o social e esquerda para o capital: intelectuais da nova pedagogia da hegemonia no Brasil. São Paulo: Xamã, 2010.
ORTIZ, Fátima Grave. O serviço social no Brasil: os fundamentos de sua imagem e da autoimagem de seus agentes. Rio de Janeiro: E-papers, 2010.
QUIROGA, Consuelo. Invasão positivista no marxismo. São Paulo: Cortez, 1995.
SANTOS, Josiane Soares. Neoconservadorismo pós-moderno e Serviço Social brasileiro. São Paulo: Cortez, 2007. (Coleção Questões da Nossa Época, v. 132).
SILVA, José Fernando Siqueira. Pesquisa e produção de conhecimento em Serviço Social. Revista Textos e Contextos. Vol. 6, Nº 2, Porto Alegre, 2007, p. 282-297.

YAZBEK, Maria Carmelita. Fundamentos históricos e teórico-metodológicos do Serviço Social. In: Conselho Federal de Serviço Social (CFSS); Associação Brasileira de Ensino e Pesquisa em Serviço Social (ABEPSS). Serviço Social: direitos sociais e competências profissionais. Brasília, DF: CFESS/ABEPSS, 2009. p. 143-164.

Downloads

Publicado

2018-06-30