SERVIÇO SOCIAL E EDUCAÇÃO PERMANENTE: INTERFACE ENTRE PRECEPTORIA E FORMAÇÃO EM SAÚDE

Autores

  • Joyce Helena Martins Leal Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva
  • Ana Claudia Correia Nogueira Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva.
  • Fernando Lopes Tavares de Lima Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva.

DOI:

https://doi.org/10.22422/temporalis.2018v18n36p379-396

Resumo

O trabalho aborda reflexões sobre a experiência dos preceptores de Serviço Social no Programa de Residência Multiprofissional em Oncologia (PRMO) do Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA). Objetiva compreender, sob a ótica dos assistentes sociais preceptores, como o PRMO do INCA tem contribuído para o processo de formação e educação permanente dos assistentes sociais. Realizou-se uma pesquisa quanti-qualitativa, por meio de questionário semiestruturado aplicado a 31 assistentes sociais preceptores e de grupo focal com participação de 04 membros da Comissão de Ensino do Serviço Social. Utilizou-se o referencial teórico do materialismo histórico-dialético, considerando a compreensão da dinâmica social a partir da totalidade. O texto está dividido em dois eixos analíticos: (1) aspectos conceituais relativos a Política de Educação Permanente e o Serviço Social na Residência Multiprofissional; (2) perfis acadêmico e profissional dos preceptores e as reflexões sobre as potencialidades, limites e desafios da formação em saúde. Os resultados sinalizam que a residência constitui um importante espaço de formação profissional para os assistentes sociais, considerando a perspectiva do Projeto Ético Político. Frente aos desafios cotidianos dos serviços de saúde, faz-se necessário pensar em novos horizontes para a consolidação da residência, enquanto estratégia de qualificação da assistência aos usuários.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Joyce Helena Martins Leal, Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva

Assistente Social. Especialista em Oncologia pelo Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva

Ana Claudia Correia Nogueira, Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva.

Assistente social. Mestre em Política Social. Coordenação de Serviço Social (HCII).

Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva. Hospital do Câncer II.

Fernando Lopes Tavares de Lima, Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva.

Cirurgião-dentista. Mestre em Saúde Pública. Coordenação de Ensino do Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva.

Referências

BARDIN L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70; 2009.

BRASIL. Lei nº 11.129, de 30 de junho de 2005. Institui o Programa Nacional de Inclusão de Jovens – Pro Jovem; cria o Conselho Nacional da Juventude - CNJ e a Secretaria Nacional de Juventude; altera as Leis nos10.683, de 28 de maio de 2003, e 10.429, de 24 de abril de 2002; e dá outras providências. Disponível em: http://www.camara.gov.br/sileg/integras/535652.pdf. Acesso em: 20 jul. 2018.

BRASIL. Lei nº 12.317, de 26 de agosto de 2010. Acrescenta dispositivo à Lei no 8.662, de 7 de junho de 1993, para dispor sobre a duração do trabalho do Assistente Social. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/lei/l12317.htm>. Acesso em: 20 jul. 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Ministério da Saúde. Portaria Interministerial nº1.077 de 2009. Dispõe sobre a Residência Multiprofissional em Saúde e a Residência em Área Profissional da Saúde, e institui o Programa Nacional de Bolsas para Residências Multiprofissionais e em Área Profissional da Saúde e a Comissão Nacional de Residência Multiprofissional em Saúde. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=15462-por-1077-12nov-2009&Itemid=30192> Acesso em 20 fev. 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria de Consolidação nº 2, de 28 de setembro de 2017. Dispõe sobre a consolidação das normas sobre as políticas nacionais de saúde do Sistema Único de Saúde. Disponível em: < http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2017/prc0002_03_10_2017.html> Acesso em: 20 mar.2018.

BRASIL. Comissão Nacional de Residência Multiprofissional em Saúde. Resolução CNRMS nº2 de 2012. Dispõe sobre Diretrizes Gerais para os Programas de Residência Multiprofissional e em Profissional de Saúde. Disponível em: < http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=15448-resol-cnrms-n2-13abril-2012&Itemid=30192> Acesso em: 16 fev.2018

BRAVO, M.I.S.; MATOS, M.C. Reforma Sanitária e Projeto Ético Político do Serviço Social: elementos para o debate. In: BRAVO, M.I.S. et al. Revista Saúde e Serviço Social. 2ª. Ed. São Paulo: Cortez, 2006.

CAROTTA, F; KAWAMURA, D; SALAZAR. J. Educação Permanente em Saúde: uma estratégia de gestão para pensar, refletir e construir práticas educativas e processos de trabalhos. Saúde e Sociedade, v.18, supl.1, 2009.

CHALUB, Tânia; SKABA, Márcia Fróes. A construção do conhecimento em Serviço Social em oncologia: a contribuição do curso de especialização do INCA. Revista Brasileira de Cancerologia. v. 49, n. 1, p. 39-46, 2003.

CONSELHO FEDERAL DE SERVIÇO SOCIAL. Parâmetros para atuação de Assistentes Sociais na política de saúde. Brasília (DF), 2010. (Série: Trabalho e projeto profissional nas políticas sociais).

CONSELHO FEDERAL DE SERVIÇO SOCIAL. Residência em Saúde e Serviço Social: subsídios para reflexão. Brasília (DF), 2017. (Série: Trabalho e projeto profissional nas políticas sociais).

CONSELHO FEDERAL DE SERVIÇO SOCIAL. Política de Educação Permanente do conjunto CFESS/CRESS. Brasília, 2012.

GIL, A. C. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. 6 ed. São Paulo: Atlas, 2008.

GUERRA, Yolanda. Compromisso com a qualidade dos serviços à população e com o aprimoramento intelectual, na perspectiva da competência profissional: significado limites e possibilidades. In: Conselho Regional de Serviço Social (Org.) Projeto ético político e exercício profissional em serviço social: os princípios do código de ética articulados à atuação crítica de assistentes sociais. Rio de Janeiro: CRESS, 2013.

IAMAMOTO, M. V. Serviço Social em tempo de capital fetiche: capital financeiro, trabalho e questão social. São Paulo: Cortez. 2007.

INSTITUTO NACIONAL DE CÂNCER JOSÉ ALENCAR GOMES DA SILVA (INCA). Programas de Residência Multiprofissional em Oncologia e Residência em Física Médica (Plano de Curso). Rio de Janeiro: INCA, 2017.

LOBATO, C. P. Formação dos trabalhadores de saúde na residência multiprofissional em saúde da família: uma cartografia da dimensão política. 2010. Tese (Doutorado em Saúde Coletiva) Universidade Estadual de Londrina, Londrina. 2010.

MINAYO, M. C. S. (org.). Pesquisa Social: Teoria, método e criatividade. 19 ed. Petrópolis: Vozes, 2001.

RODRIGUES, F. T.; Residências Multiprofissionais em Saúde: formação ou trabalho? Serv. Soc. & Saúde, Campinas, SP v.15, n. 1, p. 71-82, jan./jun., 2016.

SILVA, L.C; BROTTO, M.E. Residência Multiprofissional em Saúde e Serviço Social: dilemas na formação e trabalho profissional. Revista em Pauta, Rio de Janeiro, v. 14, n. 37, p. 126-149, 2016.

SILVA, L.B; MONTEIRO, M.V.C; SANTO, M.C.B, MELO, F.R; ESTALINOS, E.S. O Serviço Social na Residência Multiprofissional em Oncologia no Instituto Nacional do Câncer – INCA. Serv. Soc. & Saúde, Campinas, v. 11, n. 1, p. 51-66 jan/jun., 2012.

Downloads

Publicado

2019-01-03