COMUNICAÇÃO PÚBLICA: UM DIREITO HUMANO EM CONEXÃO COM O SERVIÇO SOCIAL

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22422/temporalis.2018v18n36p162-177

Resumo

Esse artigo tem por objetivo refletir sobre a conexão entre a Comunicação Pública e o Serviço Social a partir de referenciais teórico-metodológicos e de pesquisa de campo. Com singularidade e formas próprias a Comunicação Pública se fundamenta nos direitos humanos e atribui o protagonismo a população por meio do exercício da cidadania havendo, portanto, um diálogo necessário entre as áreas visto o projeto ético político do Serviço Social. Essa transversalidade, em especial nas políticas sociais colabora em essência para o fortalecimento da democracia e para a noção de direito de cidadania. Sob este aspecto, de reconhecimento de si e para si é que o Serviço Social, por meio de suas intervenções técnico-operativas e da função pedagógica alicerçada na dimensão teórico-metodológica e ético-politica tem muito a contribuir para a construção de uma cultura hegemônica dos trabalhadores com o suporte técnico político da Comunicação Pública.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Kênia Augusta Figueiredo, Universidade de Brasília

Assistente Social.  Professora do Departamento de Serviço Social da Universidade de Brasília. Mestre em políticas sociais e Serviço Social pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (2005). Doutora em Comunicação pela Universidade de Brasília (2016).

Referências

BASTOS, Marco Toledo de Assis. Do sentido da mediação: às margens do pensamento de Jesús Martín-Barbero. Porto Alegre: Revista FAMECOS, nº 35, 2008.
BENJAMIM, Walter. A obra de arte na era de sua reprodutibilidade técnica. Magia e técnica, arte e política. Ensaios sobre literatura e história da cultura. Obras escolhidas volume 1. São Paulo: Editora Brasiliense. 1986.
BRAGA: José Luiz. Circuitos versus campos sociais. In: Mediação & Midiatização – Org.: Mattos, Maria Ângela; Junior, Jeder Janotti; Jacks, Nilda. Salvador: EDUFBA. Brasília: Compós, 2012.
BRANDÃO, Elizabeth. Conceito de comunicação pública. In DUARTE, Jorge. COMUNICAÇÃO PÚBLICA: Estado, Mercado, Sociedade e Interesse Público. 2ª ed. São Paulo: Atlas, 2009.
BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Senado Federal, 1988.
CARNOY, Martin. Estado e Teoria Política. São Paulo, Ed. Papirus, 1986.
CHAUÍ, Marilena. Cultura e democracia. São Paulo: Cortez, 10ª edição, 2003.
COUTINHO, Carlos Nelson. Contra a Corrente – Ensaios sobre democracia e socialismo. São Paulo: Cortez, 2000.
DOMINGUES, José Antônio Domingues. O Paradigma Mediológico - Debray depois de Mcluhan. Livros LabCom. Série Estudos em Comunicação. www.livroslabcom.ubi.pt - Covilhã, 2010.
FIGUEIREDO, Kênia Augusta. Comunicação Pública e Assistência Social: um estudo sobre os processos comunicativos nos Centros de Referência de Assistência Social/Cras. Tese de Doutorado – Universidade de Brasília. Faculdade de Comunicação, 2016.
____________________________. O/A assistente social e os processos comunicativos: por uma contra-hegemonia dos subalternos. Núcleo de Assistentes Sociais de Poços de Caldas/Conselho Regional de Serviço Social-MG, em 13/06/2017. Mimeo.
GOMES, Raimunda Aline Lucena. A comunicação como direito humano: um conceito em construção. Dissertação de Mestrado – Universidade Federal de Pernambuco. CAC. Comunicação, 2007.
GRAMSCI, Antonio. Cadernos do Cárcere. Volumes 3 e 4. Edição e tradução: Carlos Nelson Coutinho. Coedição: Luiz Sérgio Henriques e Marco Aurélio Nogueira. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001.
IAMAMOTO, Marilda V. O Serviço Social na Contemporaneidade: trabalho e formação profissional. São Paulo: Cortez, 5ª edição, 2001.
IAMAMOTO, Marilda Villela; CARVALHO, Raul de. Relações Sociais e Serviço Social no Brasil. SãoPaulo: Cortez, 15ª edição. 2003.
LACLAU, Ernesto. Inclusão, exclusão e a construção de identidades. In: Amaral, A.C & Burity, J. (orgs). Inclusão social, identidades e diferenças: perspectivas pós-estruturalistas de análise social. LOCAL: Annablume, 2006.
LEI 8662/93. Regulamenta a profissão de Assistente Social. Disponível em: http://www.cfess.org.br/arquivos/legislacao_lei_8662.pdf. Acesso em: 09/09/2018.
LIMA, Venício A. Liberdade de expressão x liberdade de imprensa. Direito à comunicação e a democracia. São Paulo: Publisher Brasil, 2010.
MARTIN-BARBERO, Jesús. Dos meios às mediações - Comunicação, cultura e hegemonia. Rio de Janeiro: Editora UFRJ. 7ª edição, 2013.
MATOS, Heloiza Helena Gomes. Comunicação Política e Comunicação Pública. Revista Organicom, ano 3, n. 4, USP, São Paulo, 2006.
NETTO, José Paulo. Democracia e transição socialista. Escritos de teoria e política. Belo Horizonte: Oficina de Livros, 1990.
NETTO, José Paulo. Transformações societárias e Serviço Social. In Serviço Social e Sociedade. Nº 50. São Paulo: Cortez, 1996.
CFESS/CRESS. Política de Comunicação do Conjunto CFESS/CRESS. Disponível em: http://www.cfess.org.br/arquivos/POLITICA_COMUNICACAO_CFESS-CRESS.pdf. Acesso em 30/08/2018.
RAMOS, Murilo César. Comunicação, direitos sociais e políticas públicas. In: MARQUES DE MELO, J.; SATHLER, L. Direitos à Comunicação na Sociedade da informação. São Bernardo do Campo: Unesp, 2005.
__________________; SANTOS, Suzy dos. Políticas de Comunicação: busca teórica e práticas. São Paulo: Paulus, 2007.
REGO, Walquiria Leão; PINZANI, Alessandro. Vozes do Bolsa Família – Autonomia, dinheiro e cidadania. São Paulo: Editora Unesp, 2013.
SANTOS, Milton. Por uma outra globalização – do pensamento único à consciência universal. São Paulo: Editora Record, 6ª edição, 2005.
SARDINHA, Antônio Carlos. Comunicação, controle social das políticas públicas e os desafios para a Comunicação Pública nos conselhos gestores de saúde. Revista e-Com, vol. 5, n. 1, 2012.
SEMERARO, Giovanni. Cultura e Educação para a democracia: Gramsci e a sociedade civil. Petrópolis: Vozes, 1999.
WILLIAMS, Raymond. Cultura e Sociedade: de Coleridge a Orwell. Petrópolis: Vozes, 2011.
YAZBEK, Maria Carmelita. Classes Subalternas e Assistência Social. 4ª edição. São Paulo: Cortez, 2003.
ZÉMOR, Pierre. La Comunication Publique. PUF, Col. Que sais-je? Paris, 1995. Tradução resumida do livro: Profª Dra. Elizabeth Brandão. Impressão eletrônica, 2005

Downloads

Publicado

2019-01-03