“ENTRE AMORES E DISSABORES”: A POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL VOLTADA AOS/ÀS LGBTS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22422/temporalis.2018v18n36p239-255

Resumo

Este artigo tece análises sobre os avanços e os desafios da Política de Assistência Social no que tange ao atendimento da população de lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e transgêneros (LGBT). Objetiva-se, portanto, investigar os (des)caminhos da Política de Assistência Social voltada a este público. À vista disso, este artigo parte de uma pesquisa de natureza qualitativa, subsidiada por um levantamento bibliográfico e análise documental acerca do objeto de estudo. Logrou-se como principais resultados que, apesar das conquistas da Política de Assistência Social, a mesma não elucida a população LGBT enquanto seus/suas usuários/as. Esse seguimento só adentra na política por meio das categorias vulnerabilidade e risco social, ambas indicadoras de fragilidade na delimitação dos/as seus usuários/as. Por fim, não se encontram os termos identidade de gênero e orientação sexual nas legislações da Política de Assistência Social, como também não se incorpora as famílias formadas pela população LGBT.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Kaline de Souza Barbosa, Universidade Regional do Cariri (URCA)

Graduada em serviço social pelo Centro Universitário leão sampaio (UNILEÃo). Especialista em direito de familias pela universidade Regional do Cariri (URCA).

Poliana Machado Gomes da Silva, Universidade Estadual do Ceará

Graduada em Serviço Social pelo Centro Universitário leão sampaio (Unileão )
Mestranda em Serviço Social, Trabalho e Questão Social pela (UECE)

Jéssyka Kaline Augusto Ribeiro

GRADUADA EM SERVIÇO SOCIAL PELA UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA (UFPB). MESTRA EM SERVIÇO SOCIAL PELA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE (UFRN). DOUTORANDA EM SERVIÇO SOCIAL PELA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO DE JABEIRO (UERJ).

Referências

BEHRING, Elaine R. Expressões política da crise as novas configurações do Estado e da sociedade civil. In____. Serviço Social: direitos sociais e competências profissionais. Brasília: CFESS/ABEPSS, v.1, 2009. (P.69-86).

________. Política Social no Brasil Contemporâneo: entre a inovação e o conservadorismo. In____ Política Social: fundamentos e história. São Paulo: Cortez. V.2, 2006. (P.147-191).

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília/DF,2012.

________. Conselho Nacional de Combate à Discriminação. Brasil Sem Homofobia: Programa de combate à violência e à discriminação contra GLTB e promoção da cidadania homossexual. Brasília: Ministério da Saúde, 2004. Disponível em <http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/brasil_sem_homofobia.pdf>. Acesso em 17 fev. 2013.

________. Lei n. 8.742, de 07 de dezembro de 1993. Lei Orgânica da Assistência Social (LOAS). Dispõe sobre a organização da assistência social e dá outras providências. Brasília, 7 de dezembro de 1993. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília/DF. 1993. Disponível em:<http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8742.htm>. Acesso em: 23 maio 2014.

________. Ministério do Desenvolvimento Social. Resolução Nº 21, de 18 de dezembro de 2017. Dispõe sobre as deliberações da 11ª Conferência de Assistência Social. Disponível em:file:///C:/Users/Fabricio/Downloads/CNAS%202017%20-%20021%20-%2018.12.2017B%20(1).pdf. Acesso em: 18/08/2018.

BUTLER. Judith. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2013.

CAMURÇA, Sílvia; GOUVEIA, Taciana. O que é gênero. 4ed. Recife: SOS CORPO – Instituto Feminista para a Democracia, 2004.

CISNE, Mirla. Feminismo e Consciência de classe no Brasil. – São Paulo: Cortez, 2014.

CNAS (Conselho Nacional de Assistência Social). Nota do CNAS contrária a PEC 241/2016. Disponível em: <https://conferencianacional.files.wordpress.com/2016/09/nota-do-cnas-pec-241-pc3b3s-plenc3a1ria.pdf>. Acesso em: 1º out. 2016.

COUTO, Berenice R.. Assistência Social: direito social ou benesse?. Revista Serviço social e Sociedade. São Paulo, n.124, p.665-677, out/dez. 2015.

FOUCAULT, Michel. História da sexualidade I: a vontade de saber. 18º ed. Rio de janeiro: Graal, 1988.

GRUPO GAY DA BAHIA (GGB). Mortes Violentas de LGBT no Brasil, relatório 2017. Disponível em:https://homofobiamata.files.wordpress.com/2017/12/relatorio-2081.pdf. Acesso em: 14/08/2018

MELLO, Luiz; et al. Políticas Públicas de Trabalho, Assistência social e Previdência Social para a Populção LGBT no Brasil: Sobre os Desejos, Realizações e Impasses. Revista de Ciências Sociais, Fortaleza, v.44, n.1,p. 132-160, jan/jun, 2013.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Brasil Sem Homofobia: Programa de combate à violência e à discriminação contra GLTB e promoção da cidadania homossexual. Brasília:, p. 1-31, 2004. Disponível em: < http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/brasil_sem_homofobia.pdf> Acesso em: 02 set. 2016.

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME. Norma Operacional Básica – NOB/SUAS.. Brasília, DF, 2012.

________. Norma Operacional Básica de Recursos Humanos do SUAS. Brasília, DF, 2006.

________. Secretaria Nacional de Assistência Social. Norma Operacional Básica: NOB/SUAS: construindo as bases para a implantação do Sistema Único de Assistência Social. Brasília, DF, 2005.

________. Secretaria Nacional de Assistência Social. Política Nacional de Assistência Social. Brasília, DF, 2004.

MISKOLCI, Richard. A gramática do armário: notas sobre segredos e mentiras em relações homoeróticas masculinas mediadas digitalmente. In: XXX International Congress of LASA, 2012, San Francisco. LASA 2012 Congress Paper Archive. Pittsburgh: LASA, 2012. v. 1. p. 1-25.

MOTA, Ana E.; MARANHÃO, Cezar Henrique; SITCOVSKY, Marcelo. As tendências da política de Assistência Social. O Suas e a formação profissional. In: MOTA, Ana Elizabete (org.) O mito da assistência social: Ensaios sobre Estado, Política e Sociedade. 4º edição, São Paulo, Cortez, 2010.

RIBEIRO, Jéssyka K. A. Uma análise do atendimento a populações LGBT no âmbito do CREAS: reflexões sobre o atendimento da população LGBT no CREAS. Anais do 14° Congresso Brasileiro de Assistentes Sociais (CBAS). Águas de Lindóia-SP, 2014.

TONELI, MJF. Sexualidade, gênero e gerações: continuando o debate. In JACÓ-VILELA, AM., and SATO, L., orgs. Diálogos em psicologia social [online]. Rio de Janeiro: Centro Edelstein de Pesquisas Sociais, 2012. p. 147-167. ISBN: 978-85-7982-060-1. Available from SciELO Books <http://books.scielo.org>.

Downloads

Publicado

2019-01-03