OS DESDOBRAMENTOS DO ETHOS IDEALISTA-FORMAL NO TRABALHO DOS/AS ASSISTENTES SOCIAIS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22422/temporalis.2018v18n36p28-44

Resumo

Esse trabalho apresenta parte dos resultados de dissertação de mestrado apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Serviço Social da Universidade Federal do Rio Grande do Norte e objetiva desvelar os desdobramentos do ethos idealista-formal no trabalho dos/as assistentes sociais, fazendo assim uma mediação entre a formação e o exercício profissional. A amostra da pesquisa se deu com três discentes por Instituição (totalizando seis discentes); duas supervisoras de estágio por Instituição – acadêmica e de campo – portanto, quatro supervisoras, de duas Instituições de Ensino Superior da cidade de Teresina/PI, totalizando uma amostra de 10 entrevistas. Utiliza-se como técnicas: a pesquisa bibliográfica e documental, observação e entrevistas semiestruturadas. A análise dos dados aponta uma adesão formal ao Projeto Ético-Político Profissional, por parte de algumas das entrevistas, alinhada à posturas conservadoras. Tal dado sinaliza um crescimento do conservadorismo no âmbito da profissão e mostra uma relação com o recrudescimento do conservadorismo mundialmente na conjuntura atual.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jodeylson Islony Lima Sobrinho, Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN)

Assistente Social pela Faculdade Adelmar Rosado (FAR), Mestre e Doutorando em Serviço Social pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Assistente Social da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul e Coordenador de Pós-Graduação da Faculdade Adelmar Rosado (FAR).

Rita de Lourdes de Lima, Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN)

Assistente Social pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Mestre e Doutora em Serviço Social pela Universidade Federal de Pernambuco, Pós-Doutora pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Professora do Departamento e do Programa de Pós-Graduação em Serviço Social da UFRN.

Referências

ANTUNES, Ricardo. Os Sentidos do Trabalho: ensaio sobre a afirmação e a negação do trabalho. São Paulo: Boitempo, 2003.
BARROCO, Maria Lúcia; TERRA, Sylvia Helena. Código de ética do/a assistente social comentado. São Paulo: Cortez, 2012.
BEHRING, Elaine Rossetti; SANTOS, Silvana Mara Morais dos. Questão social e direitos. In: Serviço Social: Direitos Sociais e Competências Profissionais, - Brasília: CFESS/ABEPSS, 2009.
ESCORSIM NETTO, Leila. O conservadorismo clássico. Elementos de caracterização e crítica. São Paulo: Cortez, 2011.
HARVEY, David. Condição Pós-Moderna. Uma pesquisa sobre as Origens da Mudança Cultural. (trad. Adail Ubirajara Sobral e Maria Stela Gonçalves). São Paulo: Loyola,1993.
HIRSCHMAN, Albert O. A Retórica da Intransigência. São Paulo, Companhia das Letras, 1992.
GUERRA, Yolanda Aparecida Demétrio. A instrumentalidade do Serviço Social. 9. ed. São Paulo: Cortez, 2011.
___. Transformações societárias e Serviço Social: repercussões na cultura profissional In: MOTA, Ana Elizabete; AMARAL, Ângela (Org.). Serviço Social brasileiro nos anos 2000: Cenários, pelejas e desafios. Recife: Editora UFPE, 2014.
IAMAMOTO, Marilda Vilela. Renovação e Conservadorismo no Serviço Social: ensaios críticos. 12. ed. São Paulo: Cortez, 2013.

___. Serviço Social em tempo de capital fetiche: Capital financeiro, trabalho e questão social. 8. ed. São Paulo: Cortez, 2014.

IAMAMOTO, Marilda Vilela; CARVALHO, Raul de. Relações sociais e serviço social no Brasil: esboço de uma interpretação histórico-metodológica. 41. ed. São Paulo: Cortez, 2014.
MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. Manifesto do Partido Comunista. Traduzida da edição alemã de 1848. Disponível em: <http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/cv000042.pdf>. Acesso em 30 de setembro de 2018.
NETTO, José Paulo. LUKÁCS. Sociologia. São Paulo: Ática, 1981. (Coleção Grandes Cientistas Sociais, n. 20).
NISBET, R A. Conservadorismo e sociologia. In: MARTINS, José de Souza (org.) Introdução crítica à Sociologia Rural.São Paulo: Hucitec, 1981.
PONTES, Reinaldo Nobre. Mediação e Serviço Social: um estudo preliminar sobre a categoria teórica e apropriação pelo Serviço Social. 7. ed. São Paulo: Cortez, 2010.
SADER, Emir & GENTILI, Pablo (Orgs.) Pós-neoliberalismo: as políticas sociais e o Estado democrático. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2010.
SANTOS, Silvana M. de S. Módulo: Ética e direitos humanos. XIX Curso Ética em movimento. São Paulo/SP. CFESS. 2015.
TOSCANO, Moema; GOLDENBERG, Mirian. A Revolução das Mulheres: um balanço do Feminismo no Brasil. Rio de Janeiro: Revan, 1992.
WEBER, Max. Ciência e Política: Duas vocações. (trad. Leônidas Hegenberg e Octany Silveira da Mota). 4a ed. Brasília, Editora Universidade de Brasília; São Paulo, Cultrix, 1983.

Downloads

Arquivos adicionais

Publicado

2019-01-03